Geração Z

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Stfu teller.gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!
Galvao-bueno-na-globo.jpg Este artigo é sobre algo ou alguém que enche o saco e é muito irritante. Se você vandalizar, ele será seu tormento pro resto da vida!


Típicos espécimenes da Geração Z.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Geração que faltou cintada no lombo? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Geração Z
Cquote1.png Experimente também: Beber uma xícara de café Cquote2.png
Sugestão do Google para Geração Z
Cquote1.svg Eca, sai fora, que cringe... Cquote2.svg
Adolescente da geração Z que bebe energético sobre sugestão do google.
Cquote1.svg Não sou homem, nem mulher. Não me rotule! Cquote2.svg
Típica frase de um [email protected] de cabelo roxo da Geração Z.
Cquote1.svg Sou Pan-demi-poli-bi-queer-fluid-gay-lesbian-vegan *inserir mais 500 rótulos* e sua opinião me ofendeu! Não invada meu espaço seguro! Cquote2.svg
Zoomer depois de ouvir um tiozão do churrasco dizer que não gosta de abacate.
Cquote1.svg MORTE AO CAPITALISMO!!! Cquote2.svg
Geração Z xingando muito no Twitter.
Cquote1.svg #PrayForTheArtic #instavegan #plantbased #veganfood #govegan #... Cquote2.svg
Geração Z fazendo militância na Internet e achando que isso resolve porra alguma.

Geração Z, também conhecida (pouco) como Geração Floco de Neve e quase que unicamente conhecida como Geração Nutella, é a designação formalzona da porra usada em história, geografia e principalmente sociologia para descrever os vagabundos indivíduos nascidos entre o final da década de 1990 e o início da década de 2010. São considerados uma versão piorada dos Millennials em todos os aspectos possíveis, desde moda e dialeto, até preferência musical, ideologia política e repertório memístico. Por serem considerados a pior geração de sempre por sociólogos, psicólogos e professores, ou seja, empatados com os baby boomers na "desgraceira moral", eles ganharam a alcunha de Zoomers, um termo pejorativo extremamente versátil, sendo empregado tanto por millenials para se referir a qualquer pirralho dessa geração que pensa feito tiozão do churrasco, quanto por qualquer outro tipo de tiozão para se referir a absolutamente todo mundo que nasceu depois que acabou a ditadura militar.

Contextualização

Depois que Leandro Hassum, digo, João Goulart foi retirado do cargo de desocupado supremo da República das Bananas, sociólogos do mundo todo acreditaram ter acabado o fenômeno da "Explosão de Bebês", ou baby boom, no dialeto farialimer. Isso era compreensível para os Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, que precisaram repovoar seus territórios depois que quase todo mundo morreu de morte matada na Segunda Guerra Mundial, e isso deu uma diminuída depois que os EUA conseguiram enfiar militares retardados tiranos nos governos da América Latina para conseguirem importar jardineiros e empregadas domésticas, mas para pedaços de fim de mundo que não perderam menos de 56 pessoas, como a Finlândia e o Brasil, não fazia o menor sentido: em terras tupiniquins, o bom e velho costume de ter mais de 8 mil filhos pra serem escravizados na roça já existia antes e continuou existindo depois; quanto a Finlândia, ninguém se importa.

Como fazer sentido para país em subdesenvolvimento é uma exigência mais absurda que usar sistema métrico pros padrões dos EUA, decidiu-se considerar que os nascidos após 1965 eram uma nova geração e o resto que se lascasse. 16 anos depois, essa geração, que recebeu o nome de X por pura preguiça e foi marcada pela escassez braba de brinquedos e o total desleixo dos pais com a exposição das crias à mendigos traficantes pedófilos, foi encerrada para dar valor a uma nova, com uma variedade muito maior de brinquedos, como pokémons e jogos em Flash, e de problemas mentais não resolvidos com abuso de álcool e violência doméstica. O mesmo aconteceu depois de mais 16 anos, quando a guerra entre Super Nintendo e Mega Drive começou a esfriar: surgia então a Geração Z, cujo nome homenageava o caso de Efeito Mandela mais notório envolvendo as gerações anteriores: o mito de que estava passando Dragon Ball Z antes do Plantão da Globo noticiar os atentados de 11 de setembro, acontecimento que os EUA escolheram para separar os millennials dos zoomers. No Brasil e na França, isso foi substituído pela derrota da Seleção Brasileira em 1998.

Identificação

Como o período final do confronto mais épico e depravado da história dos consoles foi um período controverso, já que dependeu do quão pobre e crentelha era a população em cada país entre a quarta e a quinta geração de consoles, as pessoas nascidas em 1995 e 1996 podem ser da Geração Y em um lugar, como na terra do Tio Sam, mas da Geração Z em outro, como a inofensiva Austrália. Isso faz com que existissem "diplomatas" ou meios-termos entre millennials nascidos, por exemplo, quando a Sega deu um pé na bunda do Alex Kidd no cargo de massacote da empresa, e zoomers nascidos depois que a Naughty Dog perdeu o Crash, portanto, essas duas gerações compartilham vários gostos parecidos, como churrasco vegano, brigadeiro de maconha, falar abobrinha sobre identidade de gênero, fazer mapa astral, não querer casar antes dos 40 e desrespeitar os mais velhos.

Falando em "velho", esse é um bom momento para abordar a causa, motivo, razão ou circunstância que levou a Geração Z a ser comparada com os tiozões mais cagados da história. Acontece que os boomers podem ser divididos em precoces e tardios, com a diferença que os precoces não compartilham merda no Whatsapp com frequência, tampouco fazem passeatas medonhas apoiando políticos neonazistas, tanto por não terem físico para aguentar acompanhar (e escutar) uma fila de motoqueiros vagabundos, quanto por sequer tentarem trocar o telefone fixo pelo smartphone, devido à demência e ao reumatismo, ou seja, são menos cagados da cachola. Da mesma forma, existem zoomers precoces, que poderiam se passar por qualquer um da Geração Y fácil, pois presenciaram a morte da TV Globinho e sabem o quanto isso foi terrível para as crianças da época, e os tardios, que ERAM as crianças da época.

No entanto, assim como boomer precoce continua sendo boomer, achando que nanotecnologia é coisa do diabo, zoomer precoce ainda é a mesma praga: se lembra da guria do Faz Sentido Sim e da Rebecca Black? Das fanbases do Restart, do Justin Bieber e do One Direction? TODOS eles são zoomers precoces! Se essa gente era a nata da Geração Z, quem estaria afogado no soro azedo de coalhada? A resposta se manifestou da pior forma possível durante a pandemia de COVID-19, quando o xingamento "cringe" caiu na boca dos normies e revelou às gerações anteriores que os zoomers tardios não gostavam de... tomar café, possivelmente por influência das e-girls patrocinadas por energéticos ou devido ao aumento cuzão do preço do ovo e da mortadela.

Vamos lá logo diferenciar essa molecada das outras gerações (até pra você, se for Millenial, ficar aliviado e se tocar da idade que você tem agora): se você nasceu na primeira metade nos anos 90 ou nos anos 80 (ou seja foi adolescente nos anos 2000 ou 90) você é da Geração Y, também chamado de Millenial. Para de se iludir achando que ainda é novinho, você agora trabalha e tem conta pra pagar e é chamado de cringe pela Geração Z.

Se você nasceu nos anos 70 ou nos anos 60, você é da Geração X, também chamados de Geração Coca-Cola. Deve ser pai ou mãe de alguém da Geração Z (possivelmente avó, caso o tal indivíduo da geração Z seja funkeiro). Você mesmo tendo participado lá das Diretas Já e do Fora Collor e mesmo não sendo tão velho assim também é chamado de Boomer por aborrecentes mal-educados da Geração Z.

Se você nasceu nos anos 50 ou nos anos 40, você é um Baby Boomer autêntico. Sem palavras. E na boa... independente se você era um careta certinho ou um hippie vagabundo ... você conheceu e viu opressão de verdade, mas é cancelado por essa geração frescurenta, mesmo quando você é um progressista (essa molecada retardada uma vez cancelaram até a Madonna e o Caetano Veloso... vai entender).

O Que Define?

Sou tão megadescolada, única e especial com esse cabelo mermaid irónico que você não vai entender mesmo.

Filhos de pais superprotetores e paranoicos, que viam perigo em todos os lugares e promoveram um complexo de superioridade e de "ai-o-meu-menino-é-tão-especial", os frescos membros da Geração Nutella são babacas abiolados que não têm qualquer capacidade para enfrentar as dificuldades do mundo real, estando mais propensos a desenvolver depressão e outras doenças de doido do que as gerações anteriores. Eles levam como ofensa pessoal qualquer obstáculo que encontram no seu caminho, quer seja um acontecimento ou mesmo uma ideia ou opinião contrária à sua, querendo comparar isso à síndrome pós-traumática sofrida pelos veteranos de guerra. Querem ser os donos da razão, e para isso ignoram e distorcem fatos científicos e a palavra de autoridade de cientistas e outros profissionais só para promover seus delírios. Afinal, os papais lhes ensinaram que eles são muito especiais e, portanto, melhores que as outras pessoas. A sua falta de pragmatismo e de maturidade emocional para lidar com a realidade faz com que exijam "espaços seguros", mesmo que tenham sido educados num ambiente social estável e seguro, em comparação com as gerações anteriores.

Exemplares da Geração Z na infância.

O seu habitat natural é a Internet, especialmente as redes sociais como o Facebook, Instagram, Twitter, etc.. Não têm qualquer conexão com pessoas na vida real, vivendo literalmente agarrados aos celulares e computadores, preocupando-se mais com o número de likes e seguidores nessas porras inúteis do que em estudar. Se perguntar para um Geração Z quais são suas perspectivas de futuro, ele dirá que quer ser youtuber, blogueiro, vlogueiro ou influencer. Entrar na faculdade e se especializar? Imagina!!! Eu quero é exibir-me nas redes sociais e ter muitos likes e seguidores!! Olha só minha selfie!! Mas depois querem uma profissão boa e que os deixe ricos sem terem de trabalhar no duro para isso. Entretanto, os membros dessa geração que ainda têm cérebro sabem que Psicologia e Psiquiatria são áreas que terão muito emprego no futuro. São a geração mais preocupada ou manipulada com a tolerância e igualdade social, apesar de só fazerem militância na Internet e sobre aquilo que os favorece. Muitos nem acreditam nas porras que pregam, simplesmente o fazem para ganhar likes e seguidores, e parecerem "despertos" e descolados (só parecerem). No fundo é simplesmente moda ser gay, se for trans melhor ainda, e se acrescentar todos os rótulos inúteis é a cereja no topo do bolo.

Geração Z in a nutshell.

Para tentar se colocar no lugar deles, imagine que você é uma criança nascida nos Anos 90, exceto por um detalhe: Tu nasceu na década errada. Pois é, esses heróis existem e foram, não ironicamente, cancelados pela Geração Nutella. Eles são a última esperança do mundo, e isso (provavelmente) se deve ao Pânico na TV, MTV (Brasil), Orkut, Vale Tudo do Fórum UOL Jogos, etc.

Com isso eles tendem a possuir uma imunidade maior à vagabundices contemporâneas como Pronome Neutro, Tumblr, Twitter, Feminismo, groselha do COVID-19, Movimento Negro, Social Justice Warrior, TikTok, discussão sobre o símbolo real do Autismo, e, claro, o novo Baianinho da Casas Bahia.

Caraterísticas

Exemplo do que a Geração Z acha como "fonte de inspiração e coragem".
  • Vivem na e para a Internet;
  • Preguiçosos;
  • Infantilizados e imaturos;
  • Vagabundos;
  • Putas e cafajestes;
  • Encostados nas costas dos pais e dos avós;
  • Superficiais;
  • Irresponsáveis e não pensam nos riscos;
  • Impacientes;
  • Mimados;
  • Exigentes com todos (exceto consigo próprios);
  • Complexo de superioridade (só na internet, na vida real choram por qualquer merda);
  • Sentimentais demais e se ofendem com e por tudo (mimimi);
  • Pouco racionais;
  • Sem identidade pessoal (efeito manada);
  • Politicamente corretos e policiamento da opinião alheia;
  • Frescos Mais propensos a doenças mentais e ao consumo de drogas do que as gerações anteriores;
  • Militância política (Feminismo, Movimento negro, Veganismo...).
  • Dormiram na cama dos pais até quando quiseram, largaram a mamadeira e a chupeta quando quiseram e só comem o que querem;
  • Têm vida social aos 10 anos e centenas de amigos na Internet;
  • Têm de receber sempre o melhor celular disponível no mercado e mais de 10 prendas no Natal;
  • Não sabem esperar, não sabem ouvir "não" e conseguem tudo o querem;
  • Não levaram palmada, não gritaram com eles nem foram postos de castigo;
  • Educação não é dada pelos pais, mas pela escola.

Como virar um/Como é um

  • Nasça na Geração Z;
  • Não fique 24/7 na Internet;
  • Não dê ataque de pelanca por qualquer merda;
  • Respeite opiniões alheias (vulgo escute mas não dê tanta importância, um que outro que segue o que prega então foda-se);
  • Aproveite a juventude invés de querer ser e-Girl/Youtuber;
  • Seja mais responsável com a sua vida ao invés de pagar de oprimido pela sociedade/sistema na internet;
  • Faça coisas mais ou menos consideradas normais no passado;
  • Xaveque a mulherada do teu bairro/cidade ao invés de biscoitar attwhore no Instagram com jargões feministas;
  • Entenda piadas e não fique ofendido com tudo (Menos aqui: Categoria:Artigos ofensivos);
  • Aceite os altos e baixos da vida, desde que não seja uma situação bosta;
  • Não veja/leve a sério a imprensa marrom, influencers, coachs e demais vagabundos;
  • Seja zuero e tenha Bom Senso (Ou Senso Comum, foda-se);
  • Pratique algum esporte, mesmo que seja só aquela pelada de quarta;
  • Não seja amigo da pessoa só por ela ser não-branca, LGBT, deficiente, não-cristã, estrangeira, etc. (Ou vice-versa);
  • Aproveite a infância/adolescência porque, um dia, acabou...

Momento Wholesome Raro Pra Caralho.

  • Não seja um escravoceta feministo

Afiliados

Ver também:

Nandonazi.jpg Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!
A casa dessa pessoa vive quebrada e pichada.

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.