Zélia Cardoso de Mello

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


A90.jpg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 90's!
Se você NÃO teve infância naquela época, com certeza você está no Facebook ou no Whatsapp neste instante.


Zélia Cardoso de Mello
Zelia-cardoso-mello-cagando.jpg
Naquele dia, o acessor dela ficou extremamente puto
ex-ministra da fazenda
Partido sem partido
Nível de honestidade Icon 00 percent.png , se houver alguma poupança dando sopa...
Perfil
Nascimento
Brasil
Partido sem partido
Profissional
Profissão Cosplay de economista
Escândalo O confisco e um dedo médio na poupança de todo brasileiro
Dados Pessoais
Sexo link={{{3}}} Lésbica
Nível de Inteligência Alto , foi bastante astuta enquanto ministra.
Plástica(s) Nenhuma e a prova é a cara toda "chupada" que ela tem atualmente.
Vícios Bebida
Preferências
Livro Nuvola apps bookcase.png Confisco tributário
Música Emblem-sound.svg.png Catedral, dela mesma.
Prato Salários do contribuinte brasileiro
Filme Muito Além do Cidadão Kane, que mostra como seu irmão? foi eleito.
Time Palmeiras
Contacto
E-mail Não tem
Website Não tem


Zélia Duncan Maria Cardoso Collor de Mello (Marcola's City, 20 de setembro de 1953) é uma mulher que finge ser economista há uns pelo menos 30 anos. Ficou conhecida por ter o mesmo sobrenome maculado do ex-presidente Fernando Collor <de Mello> e sendo prima do mesmo, tendo inclusive trabalhado para ele durante o seu curto governo, onde fez uma de suas maiores obras até então jamais concebidas no mundo inteiro, o confisco da poupança de milhões e milhões de cidadãos, muitos deles atrás do dinheiro corrigido até hoje. Enquanto ministra, Zélia colecionou uma coleção de medidas arbitrárias enquanto comandava a pasta econômica (na época chamado de Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento). A ministra ganhou notoriedade a ser o primeiro tribufu a ganhar notoriedade no país das popozudas de maneira não-sexual (ou não, não sabemos...). Ela foi sucedida 10 anos depois pela ex-presid.anta da republiqueta tupiniquim, Dilma Rousseff.

Biografia[editar]

A diferença entre uma revista de humor debochado...

Zélia Cardoso teve seu primeiro contato com o dinheiro aos 8 anos de idade, quando por intermédio do seu pai, ganhou alguns trocados para pagar a conta da Sabesp que vencia na ocasião e foi até o banco pagar a conta. Quando chegou lá, foi surpreendida pelo caixa do banco que perguntou a ela se ela não poderia cuidar um pouco do caixa enquanto o bancário fosse ao mictório fazer suas necessidades básicas. Foi quando a então garotinha abriu a gaveta com a chave dos cofres dos clientes e foi pegando os rendimentos ali guardados. Quando o bancário voltou, ela já tinha surrupiado tudo e ainda pago a conta sozinha.

Depois aos 38 anosnota ? e cansada de só pilotar fogão, Zélia foi pedir oportunidades ao priminho querido, o impitimado Collor, numa época que ele era apenas mais um "rostinho bonito" da política brasileira, então paladino da moral, aquele que salvaria os mais ricos do Lula e consequentemente do comunismo e ao mesmo tempo seria a solução para o fim dos encostados que recebiam ene vezes mais do que 99% da população. Ledo engano, isso foi apenas mais uma viagem dos conservas porque no fim ele acabou sendo só mais um. Enfim, como parente sempre deve favor a parente, então o então ganhador das eleições de 1989 a chamou para compor elenco dos palhaços que foram ministros desse curto governo, que tem lá suas glórias também.

Como ministra[editar]

... e uma revista um pouco mais séria.

Zélia Cardoso de Mello deu início a abertura das pernas brasileira ao estrangeiro, quando resolveu facilitar a importação. Não muito tempo depois dessa medida, os brasileiros mais abastados puderam comer du bom e du melior em um país onde o salário mínimo era dois dólares e um saquinho de alfafa. Zélia também implementou a segunda moeda no Brasil em menos de 5 anos, o Cruzeiro (1990 version) e criou o onipresente IOF e ajudando a acabar ainda mais com o dinheiro de milhões de brasileiros.

Com o X-9ismo de seu outro primo vítima de queima de arquivo[carece de fontes], Pedro Collor, o desgoverno Collor pode finalmente acabar e junto com isso o show de amadorismo demonstrados pela trupe econômica encabeçada pela sra. Carvalho de Mello via Plano Collor, plano esse que passou o bastão para o Plano Real que veio em seguida e que colocou o real, pasmem, equiparável ao valor do dólar. Mas isso foi só no inicio, depois que a moeda do FHC se deu conta que é brasileiro, desvalorizou tanto que em 2016 R$ 4,00 passou a valer US$ 1,00.


Vida pessoal[editar]

A dna. Zélia não cansou de aparecer na revista MAD brasileira

A ministra aprendeu a fazer humor com o "mestre" de porra nenhuma Chico Cunha Anysio, até 1998, quando as piadinhas que ele fazia sexta-feira a noite passou a ser sermões enquanto ela só queria discutir a relação.

A Zélia Duncan da economia foi o primeiro caso notório de nepotismo no alto escalão do governo desde o Brasil Império, quando Dom Pedro I infringiu a Constituição Federal Brasileira de 1988 indicando um familiar para o cargo, no caso o filho dele, o que era ainda mais grave, se compararmos com primos. Não se sabe se a relação entre Zélia e Fernando Collor eram iguais aos que você e suas primas(os) tem ai, com direito a todas as filias possíveis (com exceção da pedo, claro), um bacanal louco entre cegos, ou se eram quase irmãos — se você faz sexo com sua irmã(o), por favor, se interne o mais rápido possível.

A Zélia também já respondeu crime contra a ordem tributária no Sanitário ou Trono de juizes Federais. Como de praxe ela também foi absolvida naquele antro de Oswalds Cobblepots.

Atualmente desfruta de sua aposentadoria vitalícia que tem direito como ex-ministra. Isso até o país quebrar de novo.


Precedido por
Maílson Alberto de Nóbrega
Ministra da Fazenda
1990 — 1991
Sucedido por
Malcílio Marques Moreira