Yaquis

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Yaquis (não aquele boi peludo) foram uma tribo indígena famosa por usar sombreros que vive entre o estado mexicano de Sonora e o estado estadunidense de Arizona, ajudando imigrantes ilegais a ir de um lado para outro da fronteira (isso é o que fazem atualmente, a história desse povo é muito rica).

História[editar]

Um grupo de iaques.

Os yaques foram inicialmente ignorados pelos espanhóis, afinal, eles não sabiam nem usar uma machadinha. Eram tipo uns baianos, mas no lugar da música ruim eles faziam um rap bem maneiro nos batuques que faziam nos troncos secos do deserto sinaloano.

Por serem espertos, ao contrário das várias tribos norte-americanas que decidiram se rebelar aos colonizadores, os yaques decidiram misturar-se aos jesuítas e ficar ganhando dízimo dos seus cidadãos e passando por anos de prosperidade.

Mas teve um dia que um cacique yaqui, depois de ler um livro de história do Principado de Andorra e toda sua magnífica e rica saga épica, inspirado, teve a ridícula ideia de iniciar um movimento de independência dos yaques... que foi facilmente evitado pelos espanhóis com uma meia-dúzia de soldados e embargo econômico de cenouras, falindo e dizimando os yaques.

Os poucos yaques sobreviventes foram presos, metade foi confinado numa fábrica de sombreros em Hermosillo e a outra metade foi transportada e escravizada para trabalhar em Cancún, capital de Yucatán, onde até hoje servem como barman.

Parte dos yaques, porém, ficaram nos Estados Unidos, onde estiveram por mais de 12 mil anos e agora são considerados imigrantes ilegais dentro das próprias terras.

Cultura[editar]

Os yaques baseavam-se na pesca e plantio de cactos alucinógenos. Também eram mestres produtores de algodão, que usavam para fabricar antigos cotonetes.

A religião yaque é parecida com um mundo de RPG, dividindo o planeta em deserto, sobrenatural, mundo das flores, mundo dos sonhos e o da noite. Agregaram ensinamentos jesuítas para colocar um pouco mais de magia natalina em suas crendices surreais, e pronto.