Uiraúna

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Uiraúna
"Terra dos sacerdotes músicos"
Bandeira de Uiraúna.png
Bandeira
Aniversário 2 de dezembro
Fundação 2 de dezembro de 1953
Gentílico urinenses
Lema Quem é você que eu não sei
Localização
Localização de Uiraúna
Estado link={{{3}}} Paraíba
Região intermediária Cafundós da Paraíba
Região imediata Dependências de Cajazeiras
Região metropolitana Favelas de Cajazeiras
Municípios limítrofes Luís Gomes, Paraná (como?), São João do Rio do Peixe, Vieirópolis, Joca Claudino, Poço de José de Moura
Distância até a capital 476 Km km
Características geográficas
Área Não disponível
População Não disponível
Idioma forrozismo moderno; Tupi arcaico
Clima Quente pra caralho

Cquote1.png Você quis dizer: Urina Cquote2.png
Google sobre Uiraúna
Cquote1.png Que negócio longe da [email protected]*/£% Cquote2.png
Pessoense falando sobre Uiraúna
Cquote1.png O pior show que já fiz Cquote2.png
Leonardo falando sobre festa que cantou em Uiraúna
Cquote1.png Traga a vasilha, traga a vasilha... Cquote2.png
Anúncio do carro de sorvete que vende oito bolas por um real

Uiraúna, também conhecida como Cleides city, é a cidade onde Judas perdeu as cuecas, localizada oficialmente no estado de Pernambuco do Norte, embora este não reconheça isso, recusando-se a oferecer qualquer suporte à corrutela. É a única cidade do universo em que o padre é prefeito, o delegado é presidente da câmara, juiz, promotor, padeiro... Foi anexado ao seu território a vila de São João do Rio do Peixe e Triunfo.

História

A colonização de Uiraúna está relacionada com a expansão das plantações de cana-de-açúcar no litoral paraibano, deixando pouco espaço para a criação de gado (para abastecer a grande demanda de charque do interior nordestino). Fazendeiros intrépidos decidiram ir para o meio do nada tentar criar gado, surgindo assim o núcleo que daria origem à Uiraúna. O nome adotado vem do termo em latim "uiraunnus" que significa urinei no seu ânus.

O local escolhido para a criação daquela vila era teoricamente estratégico, na tríplice fronteira entre Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Só esqueceram-se que estes três estados são miseráveis e não podem oferecer absolutamente nada para ninguém, então Uiraúna ficou fadada a ser miserável pra sempre.

A cidade foi sendo colonizada por tropeiros, seres nômades que viajavam pelo interior nordestino procurando os melhores cabarés, o que definitivamente não encontraram nas barangueiras de Uiraúna.

No século XIX as plantações de algodão permitiram Uiraúna ser alguma coisa além de amontoado de casas miseráveis no meio do sertão. Com aquela riqueza veio o Banco do Brasil, Caixa Econômica e o povo pela primeira vez podia comprar roupas. Mas como estamos falando da Paraíba, nada que é bom pode durar muito, e uma peste trazida pelo bicudo-do-algodoeiro destruiu todas as plantações para sempre. Tal besouro gigante, típico de regiões pobres, não permite que riquezas se difundam em regiões semi-áridas.

Geografia

Cidade localizada no Alto Sertão paraibano, num local chamado tabuleiro central nordestino, localizado há 200.000 anos-luz da capital João Pessoa.

A fauna local é pobre, existe lá somente cururus que jorram leite ao se sentirem ameaçados, jaguatiricas, preás, tégius, carcaras, abutres, cobras peçonhentas, burros de carga, jumento/jegue, suínos magros, bovinos magros, caprinos magros, galinhas da guiné (capote), anuís, garças, muitos artrópodes mesmo (maioria), caçotes, pebas e bacurim. E nenhum peixe, apesar do rio Peixe estar ali.

A vegetação é a caatinga, com solo argiloso e rachado, de clima seco e quente, com a paisagem repleta de mandacarus, xiquexiques, cactos, palmas, vegetação rasteira, xerófilas, espinhosas, peçonhentas, e acúmulo de poças d`água (açudes).

Economia

Centro comercial de Uiraúna. Boa coisa não parece ser.

A economia local é o cururuzismo, baseada na exportação de carne de cururu para a França. Os maiores produtos de exportação são raparigas, viados e cornos.

Como meio de sobrevivência os habitantes desenvolveram a caça, pesca, coleta de frutos, canibalismo, desenvolvendo uma sociedade coletora.

As ferramentas de trabalho são copo de cachaça, osso de preá, argila de açude, madeira de algaroba, carcaça de cururu, instrumentos para a pintura rupestre feitos a partir de tegumentos de urina de cururu.

População

Possui 14.545 habitantes, em sua maioria (95,5%) são alcoólatras e/ou viados e/ou mulheres mundanas. Disputa com Luís Gomes-RN e Triunfo-PB qual possui a maior concentração de prostitutas.

A maioria da população tem como habitat o nomadismo, mas uma minoria mora em ocas, cavernas, tundras, grutas, tabernas, cabanas, toca, buracos, fazendas, granjas, resorts, mini-latifundio, sesmarias.

Transportes

Os principais meios de transporte avistados no município são rede transportada por escravos, carroças, charretes, burros, jegues, cururu, peba, moto-táxi.

Cultura

Modo de vida nômade, os habitantes locais são conhecidos por seus costumes de serem individualistas, primatas, utilizam couro de cururu para se protegem do frio noturno (clima desértico, dia-quente/noite-fria), baseado na cultura indígena, nativa, primitiva, energúmena, obsoleta, antiquada, ultrapassada, inexistente, ociosa.

Culinária

Os principais pratos tipicamente locais são leite de cururu, preá na brasa, urubu ao molho rose, água de açude, nata, qualhada, soro de leite, ricota, buchada, picadinho de fígado, tripa de porco, cérebro de macaco, olho de cabra, rabada, lombo, língua de boi, mocotó, tutano, pirão, traíra guisada, macaxeira, pamonha, cuscuz, galinha cabidela, guisado de preá, rolinha de arribaçã tostada, bosta de vaca à la carte.

Turismo

  • Banco do Brasil (vulgo, "Beco da Facada", "Pracinha", ou "Praça velha") - Local que vai um monte de beradeiro que ficam só rodando feito um monte de piru-leso, a qual consta 2m de largura e 20m de comprimento (lá é a maior praça da região, fazendo inveja até a capital João Pessoa).
  • Praça Nova (vulgo, "O Maconhão") - Local aonde teoricamente ocorreriam os shows, é uma obra mais ou menos recente e inacabada onde, futuramente, ocorrerão as festas (por enquanto só rola maconha mesmo)

Tem como principais eventos festivos: Padroeira, jogo do bicho, Santo Expedito, bingo, Semana Santa, Novena, Quinzena, Dezena, Mega Sena, bingo de novo, vendinhas ao ar livre, quermesse, São Pedro, Micaruna (mimica + uiraúna) e Unanana (Festival da banana onde é preciso importar bananas para a realização do evento). Mas, ultimamente quase nem tem festa. FATO!!!