Uadjit

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tutankamon.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!


Asogaaaaaa.jpg Este artigo contém VENENO!

Este artigo... precisa de antídoto... Ele pode se tratar de... algum animal, pessoa, lugar... ou composto... Ele pode... conter materiais tóxicos... como lactose ou glúten... Chupe a picada ou morra... argh! (morri)

Babyashaus.jpg Este artigo se trata de um réptil!

Ele pode ser um dinossauro ou uma lagartixa, adora tomar sol e foi morto para virar bolsa de perua!


Uadjti, fazendo a egípcia com o seu chapéu em formato de trono. Última tendência há três mil anos atrás.

Cquote1.png Você quis dizer: Deusa Egípcia da Caça? Cquote2.png
Google sobre Uadjit
Cquote1.png Experimente também: Índio? Cquote2.png
Sugestão do Google para Uadjit
Cquote1.png Plagiadora! Cquote2.png
Meretseguer sobre Uadjit
Cquote1.png Imitação egípcia minha! Cquote2.png
Ártemis sobre Uadjit
Cquote1.png Pelo menos essa não é virgem! Cquote2.png
Deuses egípcios sobre Uadjit

Classificação[editar]

Uadjit em sua forma mais comum: uma serpente com asas. WTF?

Uadjit (leia-se Uadijiti - ou não) é a deusa da caça, da pesca, do assassíneo de animais para subsistência alimentar (ou praticas esportivas) e do extermínio em massa para exposição cultural de carnificina. Trata-se de mais uma deusa presente na vasta Mitologia Egípcia, com seus faraós e múmias.

Diferentemente de Ártemis, a deusa grega da caça (e que também é a deusa da Lua, só para ocupar mais cargos no serviço público do Olimpo), Uadjit não é virgem, perdendo o seu cabaço a sua pureza há muitos e muitos anos, quando Hórus nem sequer tinha nascido.

Seu filho tem o nome de Sobebe, e não passa de um bêbado qualquer, além de ser considerado um deus foderoso com cabeça de jacaré (mas que os egípcios insistem em dizer que se trata de um crocodilo, apesar de eu não perceber nenhuma diferença).

Como a deusa da caça, sua função não era tão importante assim no Egito, haja visto que os animais que vagam pelo deserto não são dos mais saborosos e nem mesmo comestíveis. Não é coincidência o fato de o povo egípcio sobreviver das enchentes e colheitas do Rio Nilo e não ser considerado um povo famoso por suas caças e coisas do tipo, sendo que tal parcela de culpa recai nessa deusa inútil, que tem uma profissão ainda mais inútil.

Também era tida como a deusa da vegetação padroeira do Baixo Egito (que fica logo depois do Alto Egito), por ela não ser muito alta e nem rica para ficar no High do Egito.

Características divinas[editar]

Assim como todos os deuses do Egito Antigo, Uadjit também tem a head com formato de um bicho medonho, sem nenhum motivo aparente.

A forma dessa deusa é de uma mulher com cabeça de serpente, uma serpente bem grossa, roliça e comprida, para poder se adequar a largura do pescoço humano.

Para proclamá-la como soberana do Baixo Egito, Uadjit usa uma coroa feia na cabeça, que algumas vezes escorrega para o pescoço quando não está excitada atenta e sempre de cabeça erguida.

Também podia ser representada com uma cabeça de leoa, porque a leoa sempre botava medo em todo mundo no antigo Egito, pois lembrava a deusa Sekhmet, uma deusa que adorava uma carnificina. O que também não deixava de ser uma usurpação com direito à processo por falsidade ideológica (mas ninguém ligava mesmo).

Porém, sua forma de representação mais esquisita era a de uma cobra alada, porque toda a serpente voava no Antigo Egito.

Essa é a deusa Meretseguer. Não é a deusa Uadjit (Ou sim?) Ah, sei lá!

Nos tempos do Antigo Egito[editar]

Uadjit era a deusa ligada à vegetação e vários outros trabalhos menos importantes. Isso era tão chato que até mesmo ser a rainha do Baixo Egito não lhe era um privilégio, afinal quem gosta de ficar próximo de pobres?

Sua maior inimiga era a deusa Nekhbet, a rainha da Alto Egito, justamente por ela está sempre no top do Egito enquanto a outra está na ralé do Egito e ainda ter um filho alcoólatra.

O maior conflito de identidade que Uadjit tinha era com a deusa Meretseguer. As duas eram mulheres com cabeças de cobras, pois no tempo dos egípcios não havia muitos animais para equipará-los aos seus deuses, aí a solução era repetir os animais mesmo e enchê-los de apetrechos para diferenciar as divindades.

Mesmo sendo uma padroeira de gente pobre, Uadjit ganhou uma coroa para simbolizar sua realeza, porém, somente para ser trollada, a coroa tem a forma de um trono, mostrando que sempre alguém é capaz de sentar em cima dela e que seu poder não é nada, NADAAAAAA! Além disso, ainda ganhou mais um belo par de asas, pois cobras que voam eram muito comuns no Antigo Egito.

Meretseguer não foi muito feliz na sua seleção divina, pois ficou somente como uma mulher com cabeça de cobra e protetoras dos sarcófagos que sempre eram saqueados pelos ladrões descobertos pelos pesquisadores.

A deusa com cabeça de cobra também está ligada à lenda de Osíris, o primeiro Faraó do Egito, que foi esquartejado pelo próprio irmão e espalhado pelo Egito pelo próprio irmão.

Foi Uadjit quem cuidou do pequeno gavião Hórus, fruto do amor fraternal entre Osíris e Ísis. Ela o alimentava diariamente com o seu leitinho quente. Assim sendo, a mulher-cobra mostrou que era possível até mesmo para um réptil dar um pulo na escala evolutiva e se transformar em um mamífero só para ajudar o seu próximo. Nada demais.

Mas quem foi que disse que os mitos precisam ter lógica mesmo?

Ver também[editar]