The Sandman

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Nota: Para outros Areiomens, consulte aqui

RobertSmithTC.jpg Este artigo é gótico!

Ele veio da escuridão, dorme em cemitérios, usa preto até para ir à padaria e passa o dia tomando vinho e ouvindo rock triste.

Cquote1.svg Wake me up inside... Cquote2.svg

Cquote1.svg Qual o poder desse n00b? Cquote2.svg
Nerd desatento sobre Sandman

A disfuncional família dos Perpétuos. Em sentido horário: Robert Smith, Axl Rose depois de velho, Michael Jackson, Björk, Jack Black, Tarja Turunen e Sacolaman.

The Sandman é uma série da Detective Comics Comics idealizada e lançada no final dos anos 80, numa tentativa de alcançar atrasadamente o público góticozinho do post-punk e niu ueive. Por incrível que pareça, a série ultrapassou todas essas mesmas modinhas em longevidade, inspirando gerações até hoje a gastarem quilos de tinta preta e branca em cosplays e esbanjar 500 conto comprando volumes e mais volumes de edições de colecionador. Todos trouxas, porque eu li tudo de graça na internet Hihi.

Origens

Exemplo de mané indivíduo que leu muito Sandman e agora sai por aí achando que é bonito ser feio.

Em 1987, Neil Gaiman era um jovem escritor sem muito sucesso na profissão ingrata do jornalismo (pena que ele não conheceu as nossas Desnotícias). Depois de alguns anos na redação do Planeta Diário com seu mentor Agamenon Mendes Pedreira, Gaiman queria uma mudança pra ares menos poluídos por CO2 que a cidade de São Paulo, e ao dar de cara com uma edição de Monstro do Pântano numa parada na Estação Corinthians-Itaquera, Neil teve o insight que faltava!! Ele seria agora um roteirista de quadrinhos, já que estão sempre fazendo criança pra comprar gibi; e sabe-se lá como, Gaiman foi contratado pela DC depois de muito mandar currículo. E com preguiça de bolar algo do começo, Neil pediu dicas de ideias pros novos patrões (que beleza de empregado recém-contratado), e após a editora fuçar nos milhões de arquivos, foi concedido a ele um personagem abandonado da lista C, Wesley Dodds.

Porém, eram os anos 80, a onda gótica tava a todo vapor e Neilzito era um grande fã de The Cure, Siouxsie and the Banshees e Bauhaus. Inspirado por esses sons boiolais, claro que ele não quis reciclar o mesmo Wesley de 1900 e bolinha, afinal quem em pleno mundo moderno ainda quer ler histórias de hominhos de sobretudo e máscara, atirando fumaça nas pessoas?? (O pessoal que pagou ingresso nos filmes do Batman do Joel Schumacher, aparentemente). E assim Neil juntou o inútil ao desagradável, e nasceram as aventuras de Sonho e os Perpétuos, a família disfuncional mais trevosa dos quadrinhos!!... agora só falta o ânimo pra aguentar 75 capítulos dessa inhaca enfadonha, tirando os spin-offs, edições de colecionador, autografados e outras baboseiras.

A biblioteca dos sonhos

As dez sagas originais de The Sandman (se prepare, pois a leitura vai ser graaaaaaande) são:

Série Original

Prelúdios e Noturnos

Tipo de cena miguxa que você vai encontrar e da qual, com certeza, alguém fez tatuagem.

Aqui já começamos bem, com nosso intrépido herói Sonho (que nome sem graça) se encontrando preso numa bola de gude gigante após um ritual bem mal-sucedido, perpetrado por mortais de quinta que não seriam nem figurantes num Troll 2 ou The Room da vida. Após se libertar com os poderes do protagonismo, Sonhozito sai na missão de recuperar suas bugigangas mágicas que todo herói de quadrinhos tem que ter; contou com as participações dos também intrépidos John Constantine, Lúcifer e Caçador de Marte, pra dar uma forcinha a mais nas vendas.

A Casa de Bonecas

Organizando a bagaça toda, Morpheus está a fazer em seu reino um censo (melhor que os do IBGE, se bem que não é difícil ser melhor que funcionário público do Bananil) e percebe que algumas de suas criações sumiram, embarcando numa aventura onde terá que lidar com famílias bizarras, serial killers e outros tipos desafortunados. Destaque vai para a personagem Rose Walker, um vórtex de sonho: Gaiman havia assistido muito programa de ciências do Discovery Channel com Carl Sagan e Neil deGrasse Tyson e quis aplicar toda sua sabichonice aqui.

Terra dos Sonhos

Primeira de algumas séries de histórias individuais que viriam; períodos onde o autor Nilson Gamão, cansado de ter que seguir coisas como enredo, coesão, coerência e afins, resolveu desligar o cérebro nos jogando 4 histórias avulsas. Participam aqui a musa Calíope pra quem gosta de mitologia grega, uma mamãe gato para o público furry, William Shakespeare para os cults fãs de histórias chatas e por fim uma heroína transmorfa da lista F da DC, pois Gaiman é um patrão caridoso que está sempre dando chances para personagens quaternários esquecidos.

Estação das Brumas

Porcaria caça-níquel que algum doido, contrariando todo bom senso, inventa de lançar 30 anos depois... que porra são aqueles talheres ali atrás?!

As coisas começam a esquentar, literalmente: Morpheus decide ir até o Inferno para resgatar a condenada alma de uma ex-namorada (ei, pra quem ficou abandonado por décadas, o que vier é lucro), e ali descobre que Lúcifer desistiu da vida de flagelador das almas pra tirar umas boas férias na Praia de Maresias. Com isso, a chave do lago de fogo cai nas mãos de Morpheusito que planejava transformar o lugar num enorme evento de anime gótico, mas como claro que as outras divindades dos outros panteões do mundo não podiam deixar isso acontecer, segue-se aqui um enorme vale-tudo onde eles competem entre si pelas trevas exteriores.

Um Jogo de Você

A saga mais temida e lamentada, causando depressão e decepção em milhões de leitores que caem aqui sem saber o que os espera. Depois de nos oferecer uma história incrivelmente envolvente na série anterior, Neil Gaiman resolveu contrastar aqui com uma saga insuportavelmente chata. Junte uma personagem terciária reciclada do segundo volume com um elenco de apoio maçante para agradar o público LGBT (é sério) e é este o resultado. É a saga preferida do autor, por ele ser um espertinho Do Contra que gosta de sacanear os leitores. O destaque vai para... mim, que consegui concluir essa parte sem nenhuma tentativa de suicídio.

Fábulas e Reflexões

Senta que lá vem mais história! Pausa pra mais uma dispersão, já que as... críticas construtivas que assucederam Um Jogo de Você fizeram o escritor precisar de uma folga pro cocuruto. Em contraste com os quatro contos de Terra dos Sonhos, aqui temos seis, para dar bastante tempo de todo mundo esquecer e perdoar Neil pelas cagadas da saga anterior. Para complicar mais ainda há também Espelhos Distantes que tem algumas das mesmas histórias, se foi uma confusão do departamento descriativo ou um plano pra fazer os babacas pagaram duas vezes pela mesma coisa, talvez nunca saibamos.

Vidas Breves

A série que todos estavam esperando. Depois de literalmente anos cutucando (epa!!) os leitores com a possibilidade de um irmão perdido e gostosão dos Perpétuos, finalmente temos Morpheus indo numa aventura atrás do dito cujo, Destruição, com a presença ilustre da capeta em forma de guria Delírio para trazer um pouco de alívio cômico para a história (alguém precisava colocar o "comic" em "Comics"). Maldições ocorrem, pessoas morrem, quadrinhos com traços horrendos são lançados, e muita gente na DC fica mais rica.

Fim dos Mundos

Mais contagem de contos. Puta merda. Dessa vez a desculpa foi uma "tempestade de realidade", mais precisamente o que acontece quando Neil Gaiman dá um tempo do LSD. Tal tempestade faz vários "viajantes do cosmo" ficarem presos numa tal de "Taverna do Fim do Mundo", quase tão sem noção quanto o nosso Boteco aqui mas claro que nem tanto assim. Já que lá não tinha TV e como tudo indica cosmonautas não transam, restou a opção mais chata, compartilharem histórias. E como não poderia ser diferente mais personagens B são reciclados, é claro.

Entes Queridos

Treta de família! Quem gosta de caflitos assim deu sorte, pois temos aqui 14 fascículos, de longe a maior saga da franquia. Após reencontrar e dar um fim em seu filho Orpheus duas sagas atrás, o Monarca das Fronteiras do Dormir cai na mira das Erínias, um trio de clones da Christina Rocha vindos direto da mitologia romana para cobrar a pisada grave cometida. Quem nesse andar da carruagem já se cansou de ler, anime-se!! Já já você fica livre.

O Despertar

Tradução burra, pois o certo seria O Enterro. A conclusão da odisseia de Morpheusito, feita para botar os pingos nos is que ficaram perdidos anteriormente (e com uma saga viajada assim, ficar perdido é o menor dos problemas). Para dar uma sacudida a mais nesse fim de novela, chamaram mais uma vez o Caçador de Marte e Constantine que nessa situação, tavam aceitando qualquer ponta pra ganhar uma graninha a mais e com ele vieram Batman, Super-Homem, Darkseid, Vingador Fantasma, Doutor Oculto e Aranha Negra, um verdadeiro elenco de peso. Tudo isso para participarem de um velório!!

Bônus que vieram depois


v d e h
Bem-vindo à DCclopédia!