Santa Cruz das Palmeiras

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Um habitante de Santa Cruz das Palmeiras dando um rolê na cidade.

Santa Cruz das Palmeiras tem esse nome porque havia falta de árvores na cidade, o que levou a população da época a fazer cruzes com troncos de palmeiras. Após alguns anos, criaram um time medíocre de jogadores de futebol, que trabalhavam em fazendas criadoras de suínos babuínos.

História[editar]

Após a batalha entre os 300 espartanos e o exército de Xerxes, os poucos sobreviventes que restaram saíram correndo e acabaram parando nesta cidade, que é a rota principal para Atlântida e possui como principal via de locomoção a Infinita Highway SP-369.

De Santa a cidade não tem nada. A água da Biquinha é um marco de magia negra feita há muitos anos atrás pelo Homem da Figueira, árvore nativa que dividia o espaço com quem ia comer lanche no Bikão. Reza a lenda que esta pessoa, um forasteiro, pediu um lanche pro Luiz do Bikão e, ao receber uma negativa, jogou praga na água para que quem daquela água se utilizasse para matar a sede, nunca mais daquela terra sairia, estando assim preso às derivações máximas de 12 km, conseguindo chegar apenas à Tambaú, à metade do caminho para Casa Branca e metade de Pirassununga, ou seja Cachoeira de Emas (também conhecida no Guinness como lugar com maior quantidade de pessoas feias por m²).

A cidade poderia ter se tornado uma grande metrópole na época do cultivo do Café Cannabis em 1930, mas devido a propagação do vírus "Cidadis Pequinis Para Sempris", sua população parece ter estagnado na faixa dos 30.000 habitantes, e nunca aumenta, pois a cada filho que nasce, um rapaz da cidade foge.

Em 2018, o ex-dono do Supermercado se tornou o primeiro prefeito a sofrer um golpe.

População[editar]

É composta por pessoas perigosas ou que se acham, possuem bonés de aba reta que no momento os emos (seguidores de One Direction) usam pois até os ladrões (manos) já se envergonharam.

No geral, são pessoas que andam na contramão de bicicleta numa avenida, meninas de 12 anos que já não são mais BV mas ainda não sabem a capital do estado, moleques de 14 anos que mal aguentam as gotas de Magnopyrol e se exibem com garrafas de Askov, Véio Barreiro e Água de Jamaica. Alguns jovens evitam sair nos finais de semana, a fim de preservarem a pouca moral que lhes resta.

Há também alguns idosos que geralmente organizam torneios mundiais de jogatinas de Yu-Gi-Oh! e dominó na Praça da Matrix Revolution.

99,5% da população são de cearenses com 50 cm de cabeça que vieram cortar cana.

Turismo[editar]

Santa Cruz das Palmeiras é caracterizada por não haver absolutamente nenhuma atração turística a não ser a famosa Fespal. De resto são só praças publicas, sendo uma delas utilizada para profanação de funk, com piriguetes e moleques com carros de som ultrapassando os limites toleráveis, lanchonetes e barzinhos.

Atividades Culturais não existem, ou seja nada de atraente essa cidade possui.

Salvam-se alguns pontos, também conhecidos como focus de malária, dengue e micose, onde os moradores costumam nadar: Represas da Aurora, Schiavon e David. Evite nadar nestes locais, pois estão contaminados com césio 137 e Elemento X.

Caso você ainda insista em achar algo aventureiro e turístico, existe também a "Torre do Big Bang do Mirante". Nela é possível ver toda a cidade, mas você não vai perder seu tempo e ir lá, já que são apenas 27 casas e algumas fazendas com cana-de-açúcar.

Educação[editar]

Possui três escolas particulares, nenhuma de grande qualidade, exceto a muito endividada COMUNITÁRIA.