Professor de matemática

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Típico professor de matemática.

O professor de matemática é aquele cara de meia-idade, nerd, com barba feita, cabelo cheio de gel e todo engomadinho que veio do submundo para atormentar a vida dos estudantes preguiçosos dos ensinos fundamental e médio. Fazendo uso de sua inseparável caneta vermelha, sua especialidade é zerar questões as quais os estudantes passaram horas fazendo o cálculo para chegar ao resultado do problema, mas que erraram tudo pois inverteram um sinal no começo da resolução.

Características[editar]

O professor de matemática é considerado por muitos como a versão do Mundo do Contra do professor de filosofia. Enquanto os licenciados em filosofia andam pela escola fedendo, com a barba encardida, vestidos como mendigos e com bafo de cachaça, os professores de matemática estão sempre com aquele visual padrão de classe média, com roupa social, cabelo penteado e às vezes perfumados. Além disso, a metodologia de ensino também é completamente oposta, enquanto o professor de filosofia defende a subjetividade, nunca zerando questões pois defende que não existe certo ou errado, apenas pontos de vista (mesmo que o estudante tenha escrito que Aristóteles é uma marca de cereal), o professor de matemática defende a objetividade, e zera sem dó a questão se o aluno errar qualquer coisinha, afinal a matemática é uma ciência precisa e qualquer mínimo erro de cálculo pode ocasionar problemas terríveis, Sérgio Naya que o diga.

Assim como o professor de português, o professor de matemática é costumeiramente considerado como o mais filho da puta do ambiente escolar, pois nunca aceita arredondar a nota do aluno vagabundo de 2 para 6. Além disso, o professor de matemática é considerado ditatorial e autoritário pelos pobres alunos, estes que, por serem obrigados a assistir a aula e realmente entender pelo menos o mínimo do conteúdo pra não reprovar de ano, não podem nem jogar seu truco ou dormir na aula em paz.

Aulas[editar]

Cquote1.png Professor... mas eu apliquei a Regra de L'Hospital... me ajuda... eu só preciso de mais cinco pontinhos pra passar... Cquote2.png

Diferente do professor de história, que é apaixonado pela própria voz e faz questão de fazer aquelas leituras extensas e cansativas que duram a aula inteira, o professor de matemática não costuma passar mais de dez minutos explicando a matéria. Ele apenas ensina rapidamente os conceitos, resolve uma questão exemplo no quadro-negro, passa quinhentos exercícios para os alunos e deixa que eles se virem pra resolver, aplicando aquilo que aprenderam (ou não aprenderam) em toda a sua vida escolar. A partir daí ele fica lendo revista de fofoca em sua mesa e só fica disponível para tirar dúvidas, mas desde que as dúvidas não sejam muito idiotas, do tipo "fessor, isso aqui que eu fiz tá certo?"

Nos exercícios, os professores de matemática costumam passar questões mais simples, que exigem menor variedade de cálculos. Isso gera uma falsa esperança nos alunos, que acreditam que a prova possa ser daquele jeito também. Mas nos testes, para a surpresa de ninguém, os professores de matemática fazem questão de botar no rabo de todos os alunos sem vaselina, colocando apenas questões que exigem um cálculo de duas folhas e que se utilize todas as operações e expressões aprendidas desde o ensino fundamental. É claro que ninguém além do nerd consegue ir bem nesse exame, e por isso na hora da correção, o professor de matemática mostra a sua habilidade mais terrível: o poder da caneta, enchendo de "X" a prova de todo mundo.