Princesa Serpente

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


KimPlayboy.jpg Princesa Serpente é uma ruiva!

E provavelmente é mais esperta que você.

Clique aqui para conhecer outras deusas do fogo.

Narutofuuga.jpg Este artigo é relacionado a fillers!

Você nunca vai ver num mangá, provavelmente não serviu para porra nenhuma
e é difícil pacas de encaixar na cronologia original (ou não).

Clique aqui para saber de outras coisas sem importância.

Dark-Art-Grim Reaper 01DesktopNexus.jpg Princesa Serpente já morreu!

E jurou vingança!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno


Princesa Serpente
Vdbz014.jpg
Nome completo Princesa Serpente
Local de Nascimento Caminho da Serpente
Raça Alguém aí sabe?
Tecnicas Dar em cima de homens casados
Profissão Puta de luxo dos deuses de Dragon Ball
Hobbies Dar para deuses e lutadores

que conseguem chegar em seu palácio

Frases preferidas Tem certeza que você não quer mesmo?

Cquote1.png Nossa, como é grande! Cquote2.png
Princesa Serpente ao ver o Goku nú
Cquote1.png Vou te comer, vou te comer... Cquote2.png
Princesa Serpente sobre Goku
Cquote1.png Ei, essa fala é minha. Cquote2.png
Majin Boo sobre Princesa Serpente
Cquote1.png É porque ele não quis me comer. Então eu como. Cquote2.png
Princesa Serpente

A Princesa Serpente é mais um dos mais de oito mil personagens de fillers de Dragon Ball Z. Surgiu no anime para aumentar o número de episódios em que Goku atravessa o Caminho da Serpente.

História[editar]

Ninguém poderia imaginar que o Caminho da Serpente, com seus mais de oito cem mil quilômetros até a casa do Senhor Kaioh, é habitado por uma princesa, nem mesmo Akira Toriyama. Entretanto os produtores do anime conseguiram imaginar o absurdo e criaram mais essa personagem para segurar um pouco a saga dos Saiyajins, afinal Toriyama estava com trabalho demais pela frente e precisava de mais um tempinho.

Princesa Serpente e suas duas escravas sexuais ajudantes.

Depois de muito pensar, os produtores do anime deuses decidiram colocar a Princesa Serpente como guardiã do caminho, exatamente em sua metade, para garantir mais um episódio de enrolação caso fosse necessário para o bom andamento da série. Só que não existia nenhum ser com saco para percorrer toda essa procissão até o planeta do Kaioh, o que deixava a princesa muito entediada e cada vez mais louca para abordar o primeiro homem que aparecesse por lá. Um belo dia, adivinha quem chegou em seu castelo?

Cquote1.png Oi, eu sou Goku. Cquote2.png
Goku chegando ao castelo da Princesa Serpente

Goku e a Princesa Serpente[editar]

Princesa Serpente tentando dar para o Goku.

Quando Goku apareceu no castelo depois de milhares de anos sem um único macho (e o anterior fora o Enma Daioh, que não é grandes coisas também), a Princesa Serpente decidiu que era a hora de tirar o atraso e chamou o saiyajin para a janta. Foi só falar em comida e o Goku não decepcionou. Parecia ser simples conseguir dar para um sujeito que só pensa em comida, mas o problema é que o Goku preferia pensar no Senhor Kaioh o tempo todo em vez de reparar na princesa, o que ia deixando ela cada vez mais puta em todos os sentidos.

Depois de descobrir que Goku não queria comê-la por ser casado, o que faria a coleira matrimonial doer muito, a princesa resolveu ela mesma comê-lo, mas no sentido mais literal mesmo. Então Goku teve de fazer o que sabia melhor: Lutar com a Princesa Serpente, transformada em uma... serpente. Só que Goku não queria lutar com a princesa que tinha sido tão legal com ele, e por isso deu um jeito de enrolar a doida em forma de nó, da mesma forma que ele enrola o anime com esse tipo de episódio. Agora era só chegar no planeta do Senhor Kaioh (ou não), depois de mais alguns capítulos, é claro.

As Empregadas[editar]

Por mais que elas eram empregadas eram bem mais bonitas do que a patroa e usavam roupas bem mais sexy, além disso eram mais inteligentes e também eram a favor de trios ou quartetos amorosos afinal todas elas queriam comer o Goku. Uma delas era masoquista e pegou um revolver para dar um tiro na própria cabeça num ato de brincadeira.

Ver Também[editar]