Ponte do Gard

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Francia d.JPG ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Cuidado! A qualquer momento um alemão pode invadi-lo!

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


A Ponte do Gard (ou Pont du Gard para os que falam francês apenas porque acham chique) era uma ponte e aqueduto romano, tudo ao mesmo tempo. Como os políticos eram muito ladrões econômicos, eles aproveitaram uma ponte e fizeram junto com ela um aqueduto. Foi uma solução muito idiota inteligente, pois a água que passa pelos condutores desgasta a estrutura da ponte, que está quase caindo.

A Ponte do Gard quando transportava água para os vilarejos próximos.

A UNESCO a acrescentou na lista dos patrimônios por ser um trambolho que não serve para nada, já que hoje existe tubulações subterrâneas, muito mais eficiente do que aquedutos velhos. Ninguém sabe quando ou por que foi feito esse aqueduto/ponte. Dizem que o negócio foi construído para levar água para a população de um vilarejo local, mas as provas indicam que isso provavelmente é mentira.

História[editar]

Para começar, o vilarejo fica a beira de um rio. Portanto, é mais fácil pegar água diretamente do rio do que fazer uma obra dessas. Acredita-se que como naquela época o governador dessa região da França tinha descendência portuguesa, ele possuia um QI mais baixo, o impedindo de ter esse raciocínio. Depois que o povão percebeu que aquilo era uma obra inútil, o Aqueduto do Gard estava com a sentença de morte demolição assinada.

Para não estragarem um trabalho que durou anos, a prefeitura fez umas pequenas modificações na coisa, mudou o nome para Pont do Gard e disse que agora o aqueduto era uma ponte. Com essa desculpa justificativa, o negócio pôde sobreviver. Durante a Idade Média, a ponte/aqueduto foi adaptada para a passagem de veículos. Ou melhor, disseram que foi adaptada, porque a única coisa que fizeram foi liberar o trânsito de veículos, sem nenhuma modificação.

Assim, o que era ruim ficou pior, a ponte não aguentava tanto peso e desmoronou. Para esconder o desastre, o governo francês fez outra ponte muito semelhante a original. Devido ao alto índice de problemas de visão da população local, ninguém precebeu a farsa, a ainda acreditam que o aqueduto original está de pé. Hoje a Ponte do Gard falsa recebe alguns turistas que gostam de visitar velharias, e só.