Pardinho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pardinho
Bandeira pardinho.jpg Brasão pardinho.jpg
Aniversário 16 de abril
Fundação 30 de novembro de 1900
Gentílico afro-brasileiro miscigenado
Localização
Localização de Pardinho
Estado São Paulo
Região metropolitana Que metrópole?
Municípios limítrofes Bofete, Botucatu, Tião Carreiro e Rodovia Castello Branco
Distância até a capital 3.200 km
Características geográficas
Área 210 km²
População 4.732 hab. est. 2006
Idioma Não disponível
Densidade 0,0002 hab./km²
Altitude 898 metros
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC -3
Indicadores
IDH -0,01 PNUD/2010
PIB R$ 1 IBGE/2003
PIB per capita R$ 2 IBGE/2003

Cquote1.png Você quis dizer: Dupla Sertaneja? Cquote2.png
Google sobre Pardinho
Cquote1.png Você quis dizer: Acre? Cquote2.png
Google sobre Pardinho
Cquote1.png Vamos fazer uma parada de 15 minutos Cquote2.png
Motorista do seu ônibus sobre posto em Pardinho
Cquote1.png Você sabe onde fica? Não? Nem eu! Cquote2.png
Deus sobre a cidade de Pardinho
Cquote1.png Isso non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Pardinho
Cquote1.png Caralho, minhas botas! Cquote2.png
Judas sobre Pardinho
Cquote1.png E no hoje, no caldeirão recebemos um pedido para o fusquinha do Jura ser arrumado pelo Lata-Velha diretamente da cidade de Pardin... pô produção, é pegadinha isso né? Cquote2.png
Luciano Huck sobre Pardinho

Ninguém conhece a cidade, mas todo mundo conhece o restaurante e posto Rodoserv, aquele que o ônibus para para que a gente solte um barro e esvazie a bexiga quando vem ou vai para o interior. Ou seja, é uma cidade onde todo mundo deixa um pouco de si. Algumas pessoas conhecem o Pardinho que fazia dupla com o Tião Carreiro, que como o posto, são mais conhecidos do que a cidade em si.

Pardinho é uma daquelas cidades que você não faz ideia de como chegou lá, e também não tem curiosidade alguma pra descobrir o caminho. Você só vê mato quando chega lá, só vê mato quando "entra" na cidade e ao sair também só vê mato, assim fazendo que você nem perceba que é uma cidade, mas deve ser provavelmente algum terreno de fazendeiro que o motorista invadiu se confundindo ao dirigir na estrada sob o uso de rebite.

História[editar]

Histórias locais (que os funcionários do posto contam) falam que o local da atual Pardinho foi criada como um recinto de nômades perdidos por volta do século XVIII que, ao pegarem o caminho até qualquer cidade do interior sempre acabavam em um loop eterno de voltar ao mesmo local. Vendo que a presença de Deus ou qualquer entidade era abastada do lugar; pois nem mesmo com rezas e sacrifícios à luz de velas eles conseguiam sair; eles decidiram desistir e tentar estabelecer moradia.

A partir século XIX, se tornou um antigo pouso de tropeiros no meio da fazenda de jesuítas que então evoluiu de pouso de tropeiros para posto de parada de ônibus com destino ao interior graças ao misterioso "senhor X", dono atual do posto; sua identidade é desconhecida e alguns funcionários que buscam a verdade são dados como desaparecidos. Não se sabe se existem habitantes além dos funcionários do posto e do restaurante, permanecendo assim uma incógnita até os dias de hoje.

Economia[editar]

A renda do posto Rodoserv juntamente com o restaurante, sendo 50% do lucro em combustível (exceto gasolina e diesel, pois interior tem mania de ser conhecido pelo álcool mesmo...], 35% nos comes e bebes do restaurante (que tem como prato corriqueiro a feijoada) e 15% em guloseimas como Halls e balinhas de goma.

Culinária[editar]

O restaurante do posto Rodoserv e, por incrível que pareça, um trailer de comida! Que fica no posto Rodoserv também... Bem, o restaurante serve feijoada todo santo dia e, quando é feriado, também disponibiliza um Franguinho na Panela. Quando alguns viajantes se perderam do ônibus, eles decidiram estabelecer moradia no posto e criaram o próprio trailer de comida, pra ir de frente contra o monopólio do restaurante local. Nele serve-se pão com linguiça, Tubaína e coxinha, como todo bom trailer mediano. Apesar de tecnicamente ficarem na "cidade", eles não pagam o imposto (não tem fiscal nem prefeito pra cobrar mesmo!) e assim não contribuem em porra nenhuma pra economia.

Pontos Turisticos[editar]

A construção do posto e restaurante Rodoserv. Apesar de ser apenas cimento, concreto e terra batida (porquê no interior tu acha mesmo que vai existir asfalto?), você pode tentar se divertir com algumas poucas atrações além da máquina de refrigerantes da década de 80 e do mendigo que sempre, mas sempre tá pedindo um trocadinho pra beber cachaça comer um pratinho no mundialmente conhecido restaurante do posto; a natureza!

Tá, tá, não que ver mato seja tão divertido quanto parece, mas como você não vai ter sinal de celular no meio do nada, o último jornal do local é sobre o impeachment do Collor, você pode se deleitar dos diversos espécimes naturais encontrados no local, como bananeiras desidratas, vastas plantações de capim-gordura e as vacas sem dono que ficam pastando perto do local.

Cultura[editar]

Apesar de ser composta apenas de um posto, a cidade tem até hino! Provavelmente foi em um momento que os funcionários do local não tinham porra nenhuma pra fazer, e decidiram se unir no maior momento We Are The World tupiniquim. O fraquíssimo fantástico hino se encontra abaixo:

E quem canta o hino provavelmente deve ser ele!

A centro oeste do estado
Num lugar de natureza exuberante
Na cabeceira do rio pardo
Nasceu Pardinho cidade de pujante

Povo trabalhador e hospitaleiro
Com orgulho mostra a sua serra
E saudam os teus pioneiros
Pelo amor dedicado a essa terra


Salve, salve, Pardinho
Pela honra e pela glória
Salve, salve, Pardinho
Alcançaremos a vitória

Terra de prosperidade e conquista
Que vivera sempre em nosso coração
Fração do grande estado paulista
Nosso abençoado torrão

Caminhas pela senda do progresso
Neste solo de riquezas mil
Lutaremos sempre pelo teu sucesso
Recanto feliz do nosso Brasil

Salve, salve, Pardinho
Pela honra e pela glória
Salve, salve, Pardinho
Alcançaremos a vitória

Ver Também[editar]