PSG-1

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Somebody set up us the bomb!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Exploding-head.gif
Frauleinpre.jpg Desciclopëdia über alles in der welt!!!

Estä arrtigö é alemon! Issö querr düzerr que seu autorr suschtenta ö gerraçon interra com bratwurst e sauerkraut, serrvidös porr uma fräulein . Non faça scheiße, öu te porremos de quatrro nö cörredorr polonës.

Cquote1.png Você quis dizer: PSG Cquote2.png
Google sobre PSG-1
Cquote1.png Schwaizer! Schwaizer! Schwaizer! Shinëider tomit Judën! Ops... Cquote2.png
atirador da GSG9 sobre resgate dos israelenses
Cquote1.png Maldição errei! Maldição errei! Ótimo, acertei um judeu! Ops... Cquote2.png
tradução sobre o que o atirador da GSG9 dizia

O fuzil PSG1, essa belezinha é o sonho dos malditos e preguiçosos peritos campers snipers

O PSG-1 é um fuzil alemão de precisão da Heckler & Koch, semi-automático, sonho de consumo de qualquer atirador de elite da velha-guarda (ou terrorista moderno). Seu nome é uma sigla bastante original em alemão: Präzisions-Scharfschützen-Gewehr, que quer dizer: Fuzil de Precisão para Atiradores. O PSG só tem um rival em potencial, o fuzil americano da Knight's Armament Company modelo M110 SASS, queridinhos dos atiradores psicopatas high-tech dos EUA.

História[editar]

Policial alemão da GSG9, treinando após atingir uns reféns em Munique...

O fuzil PSG-1 foi desenvolvido logo após o episódio das Olimpiadas de Munique de 1972, com a brilhante operação de resgate da Die Elite Einheit GSG9 da Polícia Federal alemã no aeroporto com o saldo espetacular de 11 reféns mortos (com alguns abatidos por tiros dos atiradores alemães, outros explodidos pelas granadas dos mesmos, e além de alguns que foram encaminhados para campos de concentração), 10 terroristas pegando o avião de volta pra casa e cinco presos. Até hoje o episódio não foi muito esclarecido, ninguém sabe quantos oficiais da GSG9 haviam servido na Segunda Guerra Mundial ao lado de Adolf Hitler, para justificar a quantidades de israelenses mortos "acidentalmente".

A polícia alemã (ocidental), percebeu que sua brilhante unidade policial necessitava de um fuzil que carrega-se mais rápido para poder atingir uma maior quantidade de reféns (acidentalmente, claro). E também precisava de um design bonito, para ajudar os soldados com tara por armas (e a conquistar gatinhas).

Hoje[editar]

O fuzil PSG-1 atualmente não é usado pela GSG9, já que a Grenzschutzgruppe 9 e outras undiades especiais da Bundespolizei Alemã o trocou pelo AMP DSR-1, mas muitos outros Spezialeinsatzkommandos da polizei da Deutschland continua usar ele.

No Brasil[editar]

O fuzil PSG-1 é muito raro, já que os alemães da Heckler & Koch esqueceram o projeto principal em algum lugar, após uma ressaca do Oktoberfest. A Polícia Federal brasileira tem alguns exemplares do PSG-1 no COT, o "BOPE" federal. Além do COT, somente outra unidade militar no Brasil mantém esta arma em seu arsenal. Adivinha qual é?

Se você pensou no BOPE, pensou errado (ahahahha!). A Companhia de Operações Especiais da Choque da Polícia Militar baiana, é a única outra unidade brasileira que dispõe dessa arma. Lá estão os melhores atiradores, até porque os baianos são os melhores para a atividade.

A Companhia de Operações Especiais da Choque da Polícia Militar baiana, não é a unica unidade brasileira a utilizar o O fuzil HK PSG-1. O GATE, Grupo de Açoes Taticas Especiais, da Brigada Militar do estado do Rio Grande do Sul possui 4 exemplares. O 2° pelotão CENTAURO do CBFPM 2009/2010 da Academia de Policia Militar em instrução de Medidas Preliminares esteve junto ao GATE para conferir a precisão do fuzil HK PSG-1 que é empregado nas operações do melhor e mais tático grupo do Brasil.