Minas Neolíticas de Silex de Spiennes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Belgasecxistem.jpg

Ceci n'est pas Desciclopédia!!!

Este artigo é belga e contém altas doses de lavagem cerebral e teorias da conspiração que farão com que você acredite que Minas Neolíticas de Silex de Spiennes existe!

Cuidado: a qualquer momento um agente da NWO pode sequestrá-lo!

Belgiumcoatofarms.jpg
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

Erro ao criar miniatura: Não foi possível salvar a miniatura no destino

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Nela tem alta tecnologia do futuro Cquote2.png
Homem da Pré História sobre Minas Neolíticas de Silex de Spiennes

As Minas Neolíticas de Silex de Spiennes são um conjunto de túneis feitos dentro de uma rocha prestes a desmoronar próximo em Spiennes, mas a maioria das pessoas considerada isso como minas antigas feitas por hominídeos que não sabiam nem andar com duas pernas para explorar silex. Esses túneis, segundo os pesquisadores, possuem tecnologia muito mais avançada do que outros da mesma época, apesar de ninguém perceber alguma diferença.

História[editar]

As minas de Spiennes, repletas de equipamentos de última geração.

Elas surgiram quando os primeiros nerds do mundo, cerca de 2 milhões de anos atrás, necessitavam de silício para fazer chips de computador. Eles tinham todas as matérias-primas para montar os primeiros computadores da Terra e assim poderem inventar jogos, entre eles Tibia. Mas faltava o silício. Fazendo estudos avançados em uma área da Bélgica, eles descobriram silex, de onde pode ser retirado o silício necessário para os chips de computador.

Na época, não havia nem pá para cavar as minas, mas os hominídeos nerds desenvolveram furadeiras toscas geniais para formar os túneis das minas. Eles furaram as rochas até formar buracos enormes, e dentro deles ficavam o dia todo pegando sílex para formar os chips de computador. O processo de extração de sílex era muito avançado. Os mineiros entravam para dentro dos túneis e procuravam pedrinhas brilhantes.

Quando encontravam o sílex, usavam as unhas compridas para retirá-los de fendas nas rochas (não existia picaretas ou outros instrumentos para mineração). Repetiam esse processo o dia todo, até juntar o material necessário. Levavam as pedras de silex para a "usina de beneficiamento", que na época era muito avançada. Os trabalhadores devam porradas no minério até ele ficar do jeito certo, e aí eram feitos os chips de computador pelos nerds.

Os hominídeos que viviam próximas à região sentiam inveja da tecnologia superior da tribo que era dona das minas de silex de Spiennes, e desejavam a todo momento atacar e roubar pegar emprestada a tecnologia dos chips e das minas. A tribo dona da mina, percebendo que poderia ser atacada a qualquer hora, iniciou a fabricação de armas a partir da única matéria-prima da região.

Enquanto os seus adversários usavam "machados" (que eram somente um pedaço de pedra), a tribo de Spiennes projetou bazucas, escopetas, minigun, bombas nucleares e outros armamentos pesados, assegurando as minas. Elas existiram por milhares de anos, até a Inquisição religiosa proibir o porte de computadores para evitar que os habitantes da região escrevessem blogs criticando os religiosos (sem informática, os chips de silex eram inúteis). Hoje, ela é um patrimônio mundial.