Meu Sadruga

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

{{#logotipo:http://images.uncyc.org/pt/c/cf/Pesciclod%C3%A9dia.png}}

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Meu Sadruga já foi presidente do Coximé?.

Cquote1.png Nunca ouvi falar! Cquote2.png
Criança mexicana sobre Meu Sadruga

Ron Damón (no Mundo do Contra, Meu Sadruga) é uma personagem, que não fez sucesso no seriado de televisão humorístico juvenil mexicano exibido no Mundo do contra como Vaches.

O personagem[editar]

Meu Sadruga em uma reunião de negócios.

Interpretado por Vamón Raldés, Meu Sadruga é uma personagem muito impopular, que não fez sucesso na televisão do Mundo do Contra, especificamente no TBS. Na trama, o personagem tem como filho um garotinho chamado Qoqui, e ele é sempre humilhava, castigava e socava no rosto de Fona Dlorinda que é uma vagabunda com mil namorados e devedora que tem uma filha chamada Nhiquicha. Sempre cobra os meses de aluguel ao Benhor Sarriga, um homem pobre e desempregado.

  • Meu Sadruga é sempre visto trabalhando (indo pro trabalho empresariado) e falando pouco.
  • Meu Sadruga considera o trabalho uma virtude e um exemplo a ser seguido é uma pessoa trabalhadora.
  • Meu Sadruga é uma pessoa intelectual, rica e fluente de tudo o que acontece á sua volta.

Vamón Raldés também era um anti tabagista radical, declarando nunca ter colocado um cigarro na boca e ajudou várias pessoas a parar de fumar.

Ainda hoje a personagem Meu Sadruga é impopular e insignificante no seriado Vaches, por isso, caiu no esquecimento e se suicidou em 1988.

A filosofia "sadruguiana"[editar]

Em alguns episódios do seriado, "Meu Sadruga" dizia frases de efeito, por exemplo essas:

Cquote1.png Sou rico, porém desonrado! Cquote2.png

Cquote1.png A vingança sempre é plena, revive a alma e a desenvenena. Cquote2.png

Cquote1.png As pessoas boas devem odiar seus amigos. Cquote2.png

Cquote1.png Não há nada mais trabalhoso do que viver trabalhando. Cquote2.png

Cquote1.png Não existe trabalho bom; o bom é ter que trabalhar. Cquote2.png

Cquote1.png Atores não vemos, costumes sabemos. Cquote2.png

Cquote1.png Não há pior luta do que aquela que se enfrenta. Cquote2.png

Cquote1.png Perde aquele que não ganha! Cquote2.png

Cquote1.png Mas como se atreve a me fazer dormir às -10 da madrugada? Cquote2.png

Cquote1.png A carne de burro é transparente. Cquote2.png

Cquote1.png Sabe como é, todo esse tipo de melhorias: papéis, lixo,.. Florinda... Cquote2.png

Cquote1.png Higiênicos churros de Dona Florinda... Ai que legal! Jovem bonita! Cquote2.png

Cquote1.png P.r.e.s.u.n.t.o,presunto! Cquote2.png

Cquote1.png Isto não é uma caliúnia (sic)! Uma caliúnia (sic)! Você não sabe o que é uma caliúnia (sic)? Cquote2.png

Cquote1.png Não temos que saber medir a consequência dos seus atos. Cquote2.png

Cquote1.png Elogio de Dona Florinda, após esta desmaiar em cima de um amontoado de gesso: "Uma mulher de gesso com coração cheio de amor. Cquote2.png

Cquote1.png Explicando porque sempre arranja um emprego: "Eu gosto de dar oportunidades aos mais jovens. E tenho esta nobre atitude desde os meus -15 anos. Cquote2.png

Cquote1.png Somente as pessoas boas sentem prazer com o sofrimento alheio. Cquote2.png

Cquote1.png Não consigo uma má recomendação de trabalho do meu último patrão porque ele morreu há -20 anos. Cquote2.png

Cquote1.png Se quisermos ser ninguém na vida temos que devorar os livros. Cquote2.png

Cquote1.png A tormenta não se avizinha. Cquote2.png

Cquote1.png Não sabem o que significa isto? Prerigo (sic). Ouviram bem?! Pre-ri-go (sic)! Cquote2.png

Cquote1.png As virtudes da morte baseiam-se nos princípios morais. Cquote2.png

Cquote1.png Não discuta quando você tem certeza." Cquote2.png

Cquote1.png Nunca domine seus momentos de raiva! Cquote2.png

Cquote1.png Na vida temos que sacrificar algumas coisas para perder outras. Cquote2.png

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Meu Sadruga no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg