Maringá Futebol Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Maringá Futebol Clube
Escudo do Maringá.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Atualmente Maringá Futebol Clube
Origem link={{{3}}} Paraná - Maringá
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote Zebra (justo)
Torcedor Ilustre
Estádio Willie Davids
Capacidade Um tanto
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo Xana
Liga Campeonato Paranaense
Divisão Série Ouro
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Maringá Esporte Clube é uma das mais tradicionais e poderosas equipes do mundo, tanto que, em número de torcedores, consegue se igualar aos também poderosos Íbis Sport Club e Associação Atlética Batel. Como está sempre anunciando grandes contratações, que abalam todo o cenário futebolístico nacional, como é o caso de Tomás Turbando Pinto, que veio para o clube por, aproximadamente, 24 reais, e Paula Tejando, que custou 42 centavos, o Maringá sempre consegue conquistar títulos reconhecidos mundialmente, como é o caso do título de Campeão Paranaense da Segunda Divisão. É o único time do mundo cujo escudo é uma piroca gorda.

História[editar]

Fundação[editar]

Ninguém sabe exatamente quando o Maringá surgiu (nem mesmo os espertalhões da Wikipédia), o que é de esperar de um time que em 5 anos já teve 5 nomes diferentes, tornando a tarefa de rastrear as origens de tal clube quase impossível. Bem, mas isso não é importante (ou sim) porque a quem importa a origem de um time desses que nunca ganha nada de útil? A única coisa que sabemos é que o Maringá foi fundada por um grupo de empresários riquíssimos que estavam interessados em criar uma grande equipe no Brasil, para assim, conquistarem grande fama e reconhecimento em todo o território nacional. Para formar uma grande equipe os empresários estavam dispostos a investir todo o seu patrimônio, então avaliado em 24 reais + uma tampinha de garrafa de Guaraná Dolly. Mesmo sabendo que seria um investimento de risco, os empresários foram ousados, e arriscaram tudo. Infelizmente, eles esqueceram que estavam criando um time no estado do Paraná, reconhecidamente sem tradição futebolística, e o resultado de criação desta equipe, claro, seria bem insatisfatório.

Como o dinheiro investido era muito grande, poucos dias após a sua criação, o Maringá já era uma das maiores equipes do Paraná, e, apesar de já ter competência para competir na primeira divisão, eles precisariam antes passar pela terceira divisão do estadual. Mesmo sabendo que teriam que jogar em uma divisão com tão pouco desafio, todos os jogadores do Maringá, que já eram reconhecidos mundialmente, e que alguns eram, inclusive, campeões do mundo, aceitaram o desafio com humildade, e permaneceram tranquilamente na equipe. Com o nome de Grêmio Metropolitano Maringá venceria por 2x1 outro time-empresa que não daria certo, o Iguaçu AGEX.

Segunda divisão estadual[editar]

Mantendo o elenco do ano anterior o Maringá foi com muita humildade para a disputa de mais um torneio bem merda, a Série B estadual de 2011. Tudo parecia já bem garantido pois os adversários todos eram nada mais que apenas outras equipes paranaenses, e de baixo escalão. Porém, a segunda divisão do Campeonato Paranaense era mais difícil do que parecia, pois ela também contava com diversas outras equipes de renome, como por exemplo, o Pato Branco Esporte Clube e o Toledo Colônia Work, por isso, mesmo com os massivos investimentos, ficou na Série B estadual os anos de 2011, 2012 e 2013.

Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, no final, o Maringá conseguiu uma vaga para disputar a primeira divisão do Campeonato Paranaense, também conhecida como Série Ouro, ao vencer a edição de 2013.

Final estadual[editar]

Em sua estreia na primeira divisão estadual, em 2014, já surpreendeu a todos chegando na final. Mas foi contra o Coritiba ou Atlético essa final? Claro que não, porque se o Maringá chegou tão longe é porque esses dois estavam desinteressados na competição. A final foi contra o Londrina, e como não cabe ao Maringá destacar-se demasiadamente, ficou com o vice mesmo. Com isso pode cumprir tabela na Série D de 2014, onde mal deu conta de Brasil de Pelotas e Ituano, porque times merdas dos outros estados são diferentes dos times merdas do Paraná sobre quem o Maringá havia se acostumado vencer.

Rebaixamento[editar]

Estando na primeira divisão o Maringá Esporte Clube encontrou desafios nunca antes vistos na história, pois as equipes eram extremamente fortes e tradicionais, havendo inclusive vários campeões brasileiros de vários tipos de divisões competindo no torneio. Por conta disso o Maringá acabou não aguentando a pressão, e, mesmo com toda a sua força, acabou caindo para a segunda divisão do estadual em 2016, não havia como superar equipes do porte de Rio Branco de Paranaguá.

O retorno[editar]

Ao contrário de 90% dos times paranaenses, o Maringá não desistiu, mesmo após a humilhação de um rebaixamento estadual, e deu a volta por cima, vencendo times bem horrorosos em 2017 para conquistar seu segundo título inexpressivo e regressar à primeira divisão estadual.

Série D de novo, novo escudo[editar]

Por falta de outros times, mesmo com um desempenho apenas "normal/regular" no estadual de 2018, conquistou o acesso para a Série D de 2019. Preparando-se para jogar a competição nacional de 2019, começou a temporada brigando não cair no estadual, o que não é tarefa fácil quando se enfrenta só times muito bons como Cianorte Futebol Clube. Para disfarçar essa ruindade toda, o clube modificou seu escudo em 2019, substituindo o tradicional brasão por um desenho de um enorme nariz de batata (a muringa) para identificar melhor o clube.

Torcida[editar]

Contando com uma das maiores torcidas do Paraná, composta por mais de 24 membros, o Maringá é invejado em todo o mundo, pois diversas equipes internacionais sempre quiseram ter uma torcida tão grande assim. Como a torcida é gigantesca, os dirigentes da Maringá Futebol Clube precisam sempre estar inventando novos métodos para evitar que aconteçam brigas nos estádios, pois as torcidas dos rivais também são absurdamente grandes. Mas as confusões são inevitáveis, e sempre tem algum torcedor que invade o estádio de terra batida, armado com um pedaço de pau e com uma garrafa de cachaça quebrada.

Títulos[editar]