Maratá

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Ivete Sangalo (ou alguém parecido, nunca se sabe) fazendo propaganda de Maratá
NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Maratá.

Maratá é uma das cidades que faz parte da tríade das cidades mais novas já formadas: essa em especial foi formada no século XIX (hã o que significa esse número grego?) por alemães... Sim, ela já é uma cidade meio velha, mas como precisava se enturmar com outras cidades...

Origem[editar]

A origem de Maratá é tão difícil de entender quanto o Stonehenge ou então as testemunhas do caso do ET de Varginha.

Dizem alguns que os alemães estavam vindo de navegação para o Brasil por causa daquela propaganda enganosa, acabaram chegando no Brasil e como o governo do Rio Grande do Sul não sabia que tudo se passava de um trote para os estrangeiros, acabaram dando uma parte de terra no meio do Estado para eles... Na verdade esse é o motivo de tantas cidades no Rio Grande.

Os alemães começaram com a agricultura, só que ao ver que aquilo era pouco higiênico, acabaram migrando para a navegação.

Economia & Navegação[editar]

Após eles terem migrado para a navegação, eles perceberam que eles não tinham rios largos para eles poderem por seus barcões. Então tiveram que abandonar a navegação e migrar para o comércio de ferramentas e minérios.

Então perceberam mais uma ve que não tinha nenhum minério em sua região. Acabram voltando para a agricultura por ser uma opção mais viável (ou não).

População[editar]

  • 57% das pessoas praticam algum tipo de agricultura, o restante são os que consomem o que eles produzem.
  • 11% dos habitantes diz ser casado.
  • 60% diz estar separado mas é reconhecido como casado pelos outros.
  • 40% da população mora em favelas.
  • 60% acredita não haver favelas na cidade.