Lojas Americanas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ladraompce.jpg Lojas Americanas é um ladrão.

Este artigo é sobre alguém em que votamos de 4 em 4 anos.
Se ele ainda não lhe roubou, vai roubar.

Guarde bem sua carteira antes de ler este artigo.

Senhor ladrão.png
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Favela-bresil2.JPG Essi artigu é faveladu!

Nem por isso tá involvida cum droga, putaria ou ladruagi!

Não vá dar uma de 171 e estragar o artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Lojas Comunistas Cquote2.png
Google sobre Lojas Americanas
Cquote1.png Grandes merdas, preços caros, todos os dias!!! Cquote2.png
Povo sobre Lojas Americanas
Cquote1.png É uma loja fundada por americanos. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Lojas Americanas
Cquote1.png Porra, o peso da barra de chocolate baixou de novo!! Cquote2.png
Cliente ja emputecida com a loja
Cquote1.png O peso do pacote de biscoito baixou também!! Cquote2.png
Trouxa que costuma comprar lá
Cquote1.png Em qualquer supermercado o preço é mais barato que aqui... Cquote2.png
Imbecil acordando pra vida
Cquote1.png Tira esse "americanas" do nome que você é MOLEQUE!! Cquote2.png
Wal Mart sobre Lojas Americanas
Cquote1.png Você não se encaixou no perfil da empresa. Cquote2.png
Gerente dando carta de alforria a um ex-escravo sobre Lojas Americanas
Cquote1.png Pi pi pi pi pi... Cquote2.png
Cliente roubando a Lojas Americanas
Cquote1.png Pi pi pi pi pi é o caralho Cquote2.png
Os Djheras após ter roubado chocolates da Lojas Americanas e ninguém ter percebido

Típico cliente otário das Lojas Americanas

Lojas Americanas (LASA) é uma empresa brasileira (sim, nós criamos algo que preste!! Tá, talvez não preste tanto assim...) de varejo fundada em 1929 em Niterói, no Rio de Janeiro, por quatro americanos sem noção que vieram plantar seus frutos diabólicos no Brasil. A desgraça da loja já se espalhou por todo o Brasil, inclusive em Brasília.

Hoje em dia, a loja não tem mais nada a ver com o Capitalismo Americano, que é baseado em preços baixos e volume de venda absurdamente gigante: a fachada da loja é vermelho-comunista, e os preços deles são os mais caros de todos!! Sim, você, caro idiota, que vai lá achando que vai comprar aquele chocolatinho baratinho, aprenda que lá não é nada barato, em qualquer supermercado você encontra preços menores que lá!! A loja foi gourmetizada e hoje só parece que é barata. Pra piorar, eles fazem conluio com o mega-giga monopólio esquerdista da Nestlé, que domina 80% do mercado de chocolate e biscoito do Brasil, para lançar produtos com peso cada vez MENOR, daqui a pouco a barra de chocolate vai ter 10 gramas e o pacote de biscoitos também, mas você vai continuar pagando o preço da época em que era 200 gramas, seu TROUXÃO!!!

As Lojas Comunistas agora não enchem mais de gente, embora ainda tenha 50 caixas em cada loja, que é um resquício da época que esta bosta cobrava barato e dava filas enormes. Já estão vendendo ovo de páscoa a prestação, e logo logo vão te oferecer empréstimo consignado pra comprar alguma bosta por lá, se tornando igual a qualquer banco.

História[editar]

O povo falando sobre a nova loja chique.

Os quatro americanos sem noção chamados John Lee, Glen Matson, James Marshall e Batson Borger saíram dos Estados Unidos para Buenos Aires pra abrir uma loja no estilo camelô, que já fazia sucesso na 25 de Março, no Rio de Janeiro e até nos EUA. Na viagem conheceram dois favelados do Rio que convidaram os americanos pra fazer uma visitinha na favela deles (coisa simples, só pra sequestrar, pedir um resgate e drogar os caras mesmo). Os otários (estamos falando de americanos, não é?) aceitaram a proposta maliciosa dos dois. Na visita ao Rio de Janeiro, perceberam que lá era a cidade perfeita para fazer negócios. Afinal era só eles inventarem uma conversinha sobre a loja ter produtos exportados de tudo quanto é canto e dizer que era chique. Assim, ninguém ia querer ficar de fora da "coisa chique". Foram arrumando escravos para trabalharem lá e esperaram o primeiro cliente que foi só uma menininha que entrou e comprou uma bonequinha. O sucesso estava na certa. E assim a lojinha vagabunda se multiplicou igual coelho pro mundo inteiro.

Tipos de Lojas[editar]

A ligação do mal contra as forças do bem.

Modelo Tradicional[editar]

O modelo tradicional da lojinha, pequeno, quadrado e com poucos produtos.

Americanas Express[editar]

Um pouco menor do que a original, vende produtinhos que variam com cada perfil dos compradores.

Americanas Express Blockbuster[editar]

Uma parceria com a empresa Blockbuster, que serve pra entregar os produtos nas casas das pessoas preguiçosas que não tomam vergonha na cara pra pegar o carro e ir na loja comprar o que precisa. Mas, não, quer tudo na mão prontinho, né não?

Quem Faz compras nas lojas americanas[editar]