Jardim da Granja

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Só tem galinha nesse lugar. Cquote2.png
Morador de outro bairro de SJC sobre o Granjão.

Cquote1.png Mas você veio aqui em busca de um pinto, não foi? Cquote2.png
Resposta de um morador do bairro para a piadinha manjada e sem graça.

Cquote1.png Se maconha fosse fortificante, no Granjão só tinha gigante. Cquote2.png
Pixação no muro de uma das penitenciárias escolas do bairro.


Jardim da Granja[editar]

O Jardim da Granja (ou GRANJÂO para os íntimos), é um condomínio fechado (pela Polícia) de São José dos Campos-SP; foi fundado por moradores que trabalhavam nos galinheiros da região e que mais tarde fundariam seus próprios galinheiros particulares, dando origem ao aglomerado de casas e formando o bairro que hoje tem esse nome. Local relativamente seguro, pois os bandidos saem de lá para roubarem em outros bairos(ex.: Centro, Zona Oeste e Zona Sul) O bairro está situado na região leste-sudeste-central-quase Sul do município, mas devido sua pouca importância sócio-econômica, sempre que se faz necessário mencionar sua localização, diz-se que o mesmo fica pros lados da Embraer. Seus limites fazem fronteira com a Petrobras, INPE, CTA, Via Dutra e Putim, o que o deixa totalmente isolado de outros bairros e do restante do município.

A granja nasceu primeiro[editar]

Outros pequenos povoados sub-bairros que fazem parte da região são: Vila São Benedito (que tem uma rua que vai e outra que vem), Cambuí (que pode ser visto da Dutra quando não está alagado), Jd Colorado (minifazenda fundada por um gaúcho torcedor do Inter de Porto Alegre que veio trabalhar na Embraer), Martim Cererê (que vai do "Pé no Chão" até entrada do Uirá - fundado por um mineiro que foi à Praia Martim de Sá e viu um boto cor-de-rosa que se transformou no saci pererê), Parque Santa Rita (que se resume ha um campo de futebol e casas em volta dele), Jd Souto (onde moram os que não chegaram a tempo de construir seu próprio galinheiro) , São Francisco (onde dizem que ja chega até ônibus) , Flamboyant (nome de bairro rico, mas com a mesma pobreza dos outros) e Jd Uirá (Cheio de ex-moradores do granjão que acham que mudaram de vida mudando pra lá). Suas ruas levam nomes de planetas e constelações, o que não tem absolutamente nada a ver com o nome do bairro em si mas dá um ar mais moderno às suas vias.


Patricinha passeando pelo bairro.

Infraestrutura[editar]

Reunião com o vereador e moradores do bairro.

A principal atração do bairro é a Avenida dos Astronautas, já que ela é a única que leva para outras regiões da cidade. A maioria das ruas são largas e foram planejadas para servir como rota de fuga dos funcionários que trabalham na Embraer e precisariam furar o bloqueio dos sindicalistas na Av dos Astronautas. Fora isso, o bairro conta com uma grande infra-estrutura de bares e botecos e umas poucas padarias que acabam virando bares ou botecos após algum tempo. Três novos bancos foram instalados recentemente no bairro e são muito

Xaveco típico.

utilizados por casais de namorados que praticam diversas posições em cima dos mesmos. Possui uma boa estrutura educacional, desde a pré-escola, com a tradição da Escola Formiguinha que já formou milhares de alunos e que saíram preparados para o grande desafio de estudar no Pedro Mazza, (ou simplesmente "Pedrão"), até a Universidade (do crime, no caso). O Bairro ainda tem o privilégio de estar ha menos de 5 minutos do Aeroporto, o que não significa muito já que 98% da população local nunca andou de avião, e os 2% que andam precisam ir até São Paulo, pois o aeroporto não possui voos regulares.


Lazer[editar]

Inaugurado, o novo ginásio poliesportivo levou mais de 30 anos para começar a ser construído - antes era quadra de cimento sem acabamento e esburacada com traves de bambu - tendo, a partir de agora, capacidade para dez pessoas em pé e só, e estes dez precisam estar jogando.

A prefeitura tem direcionado 99,9% das verbas do município para divulgação do poliesportivo, na esperança de que ele possa abrigar alguma disputa das Olimpíadas - os outros 0,1% são para ampliação do aeroporto-. O único parque da região é o Parque Santa Rita, o que significa que não há área verde no bairro. Há no entanto uma grande pista de cooper de cerca de 3 km para prática de esportes, mas que exige que os atletas corram com máscara de oxigênio para não inalar a fumaça dos ônibus que vão para a Embraer. Um programa família aliás, é ir ver aviões no aeroporto e no pseudo-museu aeronautico que construíram ali perto, num galpão e onde encheram de sucata aeronáutica para mostrar para os visitante que aquilo já teve alguma importância.