Igreja de Saint-Savin-sur-Gartempe

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
FrancesAutentico.jpg ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Cuidado! A qualquer momento um alemão pode invadi-lo!

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


A Igreja de Saint-Savin-sur-Gartempe é mais uma entre centenas de igrejas medievais velhas espalhadas pela França. Assim, deveria ser totalmente desconhecida, mas devido a algumas pichações feitas nos seus muros, ficou internacionalmente reconhecida, virando patrimônio mundial. Esse é um caso raro em que um vandalismo melhora alguma coisa.

Surgimento[editar]

A torre da igreja. Aposto que alguém vai pensar em outra coisa quando ver essa imagem.

A Igreja de Saint-Savin-e-outras-palavras-com-esses-tracinhos-para-separá-las foi criada inicialmente para servir de cemitério para uma meia dúzia de cadáveres de seres pré-históricos encontrados em alguma caverna da região. Na época não se sabia cavar buracos e colocar umas pedras neles, por isso faziam igrejas enormes para guardar os corpos das pessoas mortas. Terminada a construção, o local ficou abandonado durante séculos, já que ninguém suportava o cheiro dos corpos decompostos.

Desenhos[editar]

Durante as guerras religiosas na França, onde combatiam adeptos do Haruhismo, catolicismo, Igreja Universal, etc; algum desses grupos planejou uma operação para enfraquecer os rivais. Os soldados envolvidos na guerra passaram a vandalizar as construções adversárias pichando os muros delas. A Igreja de Saint-Savin-sur-Gartempe não escapou, e foi totalmente pichada.

As pinturas feitas nos muros das paredes.

Parecia que o local não poderia ser consertado, até que alguém teve uma estúpida incrível ideia. Em vez de admitir o vandalismo, falaram que as pinturas nas paredes eram propositais, e serviam para "embelezar" a igreja. Todo mundo acreditou nisso, e o pior, acharam as "pinturas" bonitas. Rapidamente a igreja ficou famosa e teve algum reconheimento, apesar de quase ninguém ter ouvido falar dela, como você.

A UNESCO teve que tombar o negócio por representar o início do movimento artístico chamado Vandalismo, que dura até hoje. Saint-Savin-sur-Gartempe estava quase virando uma ruína (assim como 95% dos patrimônios mundiais), então passou por uma reforma para esconder a verdade pintando mais desenhos e colocando mais detalhes para desviar a atenção do estado em que o lugar está.