Hilda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Foi preciso muito Photoshop para fazer Hilda não assustar as criancinhas que fossem assistir a série no Netflix

Hilda é uma série de TV que nunca passou na televisão pois é original do Netflix, que mesmo sendo um serviço de streamming da web, se classifica como TV.

A série é baseada em uma novela gráfica de mesmo nome que ninguém conhece e que é um porre de achar na Internet - você só consegue comprando na Amazon, o que mostra o quanto as pessoas têm interesse nisso.[1] Hilda conta as aventuras de Hilda, personagem titular pois requer muita criatividade utilizar o personagem principal para nomear uma obra. Em suas aventuras, enfrenta criaturas místicas, como fantasmas de sonhos, trolls, um cachorro gigante, a ansiedade de se fazer novos amiguinhos na escola e a TPM de sua miguxinha egocêntrica.

Quando surgiu o trailer da animação, muitos disseram ser uma cópia descarada de Gravity Falls, o que é e não é verdade. A graphic novel veio antes de Gravity Falls, o que talvez fosse o suficiente para dizer que Hilda não é um plágio, certo? Mas acontece que o estilo da Hilda na graphic novel é diferente, isto é, ela é muito mais feia (como visto na imagem ao lado),[2] enquanto que na série animada ela está mais agradável de se olhar, isso porque o estilo é de fato uma cópia descarada de Gravity Falls, assim como a Wikipédia nos copia.

Personagens[editar]

Hilda[editar]

Hilda é a protagonista porra louca que viveu no mato a vida inteira e agora precisa se adaptar à civilização, mas ela não consegue pois frequentemente coloca seus amigos escoteiros em risco, isso porque são bundões que não sabem porra nenhuma da vida selvagem mas colecionam vários distintivos que dizem que sabe. Hilda tem um animação de estimação, que é um híbrido de veado-raposa,[3] e ele age como um cachorro assim como todos os animais de desenhos animados.

Apesar de ter as melhores intenções em mente, Hilda sempre fode com a porra toda, comprometendo a vida de seus amigos, sua mãe e de todos os civis que tiveram a infelicidade de receber Hilda em sua cidade. Como viveu no mato a vida inteira, Hilda é uma ativista da PETA, e frequentemente enche o saco com o ostracismo que as criaturas místicas da floresta recebiam na cidade, mesmo quando tais criaturas comprometessem a vida humana - e Hilda não liga pois odeia pessoas.

Frida[editar]

Reação da turma ao pegar os pais de Frida em um momento de lazer

Frida é a amiguinha escoteira de Hilda e David que preenche a cota de negros em desenhos animados. Frida é inteligente e destemida, mas costuma entrar na TPM e sair xingando todo mundo pois não aceita estar errada. Ela também é obcecada por distintivos, já que essa é a única coisa que dá valor à sua vida patética.

Ao final da série, Frida e Hilda brigam pois Frida é Bolsominion e Hilda é esquerdista, e Frida se isola do grupo. Mais tarde, descobre-se que Frida está saindo um grupinho de aborrecentes que na verdade são uns fantasmas que invadem os sonhos dos outros para assustá-los, mas diferente do Freddy Krueger, eles só fazem isso para se mostrar para seus outros amiguinhos adolescentes, não chegando a matar as vítimas.

David[editar]

David é outro escoteiro que é cagão e vive rodeado de insetos - e não há explicação nenhuma para isso, ele simplesmente é amigo de insetos. Alguns poderiam dizer que ele foi friendzonado por Hilda e Frida, mas em nenhum momento ele demonstra qualquer interesse nelas, o que nos leva a crer que ele joga no outro time; inclusive, ele ficou todo desesperado quando uma das fantasmas adolescentes gostosinha resolveu invadir seus sonhos.

David é mimado pelos pais e em raras ocasiões ele cria bolas e age como homem, dando suas opiniões honestas que ninguém pediu.

Episódios[editar]

Capítulo 1
Hilda mora na floresta sozinha com sua mãe solteira, seu veado-raposa Twig e seus companheiros da mata. Ela descobre que, durante sua vida inteira, havia pessoas minúsculas invisíveis morando em seu jardim, o que significa que ela vinha pisando e matando eles desde sempre. Apesar do genocídio, os baixinhos aceitam a amizade dela, e ela assina um contrato (pois assim como o governo brasileiro, eles são obcecados com burocracia) para poder enxergar eles, e Alfur, um dos homenzinhos, vira o stalker particular de Hilda, ficando no seu ombro e agindo como a consciência de Hilda - e falhando duramente pois Hilda é porra louca e faz o que quer.
Capítulo 2
Hilda precisa ajudar um gigante macho beta que está há séculos chorando por ter tomado um bolo de uma gigante com buceta. Ela descobre que a giganta esteve lá o tempo todo, agindo como morro e dormindo, para veres como ela estava ansiosa com o encontro.
Capítulo 3
Hilda e sua mãe se mudam para Trolburgo que, como o nome já diz, é infestada por trolls, só que não são os mesmos trolls da floresta, mas sim seres humanos filhos da puta, e Hilda descobre isso ao agir como moralista quando a molecada da escola com quem ela tentou fazer amizade quer se divertir atirando pedras em pássaros. Hilda leva o páçaro para casa e cuida dele, e SURPRESA ele fala, e inclusive é o pássaro lendário do evento que ocorre na cidade. Ele vira o pássaro particular de Hilda e a ajuda como meio de transporte em futuros capítulos, apesar de ser um medroso.
Capítulo 4
Hilda vira amiga de Frida e David e mostra sua porra louquisse ao querer tocar o puteiro no grupo de escoteiros.
Capítulo 5
Hilda descobre que apesar da cidade ser infestada de trolls filhos da puta, eles não aceitam os trolls da floresta, e ela tem que agir como advogada do diabo para defender o troll selvagem.
Não é justo compará-la a outras Hildas...
Capítulo 6
David fala que está sofrendo pesadelos, mas ninguém se importa porque ele é de fato um merdinha medroso, só que realmente há algo de errado com ele, pois uma fantasma gostosinha fica entrando em seus sonhos para assustá-lo ao máximo - e é claro que ele se assusta.
Capítulo 7
Para não fazer o público esquecer dos homenzinhos invisíveis que tomaram conta dos dois primeiros episódios, este capítulo mostra Alfur encontrando o seu povo perdido. Provavelmente o episódio mais chato.
Capítulo 8
Hilda vira macumbeira para ajudar David e a sua mãe e o efeito colateral acaba fazendo com que ambos fossem possuídos pelo Demônio.
Capítulo 9
A turma descobre que um fantasma arrumava o quarto de Frida todo dia em agradecimento de um livro que ela tinha (e isso é de fato algo assustador considerando que o fantasma era um velho barbudo), só que Frida, por ter mania de organização, não aceita isso, e briga com Hilda por ter tido seu frágil ego afetado.
Capítulo 10
Hilda descobre que uma cientista meteorológica louca estava querendo controlar o tempo ao sequestrar uma pobre nuvenzinha indefesa, causando revolta no clima que estava distribuindo tempestades e tsunamis para geral estilo Japão.
Capítulo 11
Uma casa estranha na floresta promete conceder todos os seus desejos, mas é tudo mentira, uma alusão à pornografia.
Capítulo 12
Hilda quer ajudar um mendigo ao trazê-lo para casa mas sua mãe é obviamente contra pois tal mendigo era o Bluezão.
Capítulo 13
Um cão gigante aterroriza a cidade, e quando eles finalmente conseguem capturar a besta, a Hilda, por ser ativista da PETA, dá um jeito de libertar o animal, mesmo que o resultado fosse a morte de vários civis.

Ver também[editar]

Referências

  1. De fato, um dos fatores que mostram o quanto as pessoas estão interessados em alguma mídia é quanta pirataria tem de algo, por isso o que mais tem é site pirata de pornografia e hentai.
  2. Não que o autor não seja bom no desenho, mas ele optou por fazê-la feia mesmo, talvez para não correr o risco da galerinha da Internet fazer Rule 34 de sua preciosa personagem.
  3. Parece até coisa do Dr Mefisto de South Park