Hercule Poirot

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Lupa detetive.JPG

Elementar, meu caro descíclope!
Observando o conteúdo investigativo, percebe-se que este artigo se trata de um investigador, detetive ou enxerido.



O CONTEÚDO ABAIXO É LEVEMENTE SÉRIO! Para bom entendedor, apenas uma ironia basta


Belgasecxistem.jpg

Ceci n'est pas Desciclopédia!!!

Este artigo é belga e contém altas doses de lavagem cerebral e teorias da conspiração que farão com que você acredite que Hercule Poirot existe!

Cuidado: a qualquer momento um agente da NWO pode sequestrá-lo!

Belgiumcoatofarms.jpg


Um herói para as minorias sensíveis

Cquote1.png O melhor detetive do mundo Cquote2.png
Hercule Poirot sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Mas não pegava ninguém! Cquote2.png
Você sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Mas quem disse que eu preciso, mon ami? Cquote2.png
Hercule Poirot sobre o comentário acima
Cquote1.png Ele pensa em tudo! Cquote2.png
Ariadne Oliver sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Mas eu sou mais famoso!!! Cquote2.png
Sherlock Holmes sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Acho que nós vamos ter um caso Cquote2.png
Hercule Poirot para Arthur Hastings
Cquote1.png EU AMO DEMAIS SHERLOCK HOLMES Cquote2.png
fã nerd de sherlock holmes sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Seu idiota aqui é o artigo de Poirot Cquote2.png
Eu sobre Nerd acima sobre Hercule Poirot
Cquote1.png Quem é esse? ele é bonito? gosta da hello kitty? Cquote2.png
Guria retardada sobre Hercule Poirot

Hercule Poirot é um detetive francês belga gordo, esperto e macho, mas tão macho, que foi criado pela Gata Triste para favorecer as minorias sempre desfavorecidas nos romances policiais.

História[editar]

Hercule Poirot nasceu na cidade belga de Bichê, e se mudou para a Inglaterra aos 14 anos. Sua família o deixou lá a mercê de doações para viver. Em entrevista recente, a mãe de Poirot, Flandres Poirot, disse que além da falta de dinheiro, a arrogância do filho os levou a tomar essa decisão, já que ninguém aguentava o tagarela sabichão!

Encontrou ajuda de uma mulher inglesa chamada Gata Triste que o acolheu e o criou, literalmente. Logo percebeu que ele tinha grande inteligência e arrogância, requisitos para um grande detetive. Tempos depois ele conseguiu se formar na UFRGS e passou a se virar como detetive particular, revertendo todo o lucro das suas investigações para sua mentora como forma de agradecimento. Assim, trabalhou até o fim da vida como um escravo.

Personalidade[editar]

Poirot é um homem muito arrogante (como todo bom belga que sofre de complexo de superioridade na verdade causado pela Bélgica ser só uma extensão da França), e sempre tem a resposta do caso nas suas mãos antes de o requisitarem. Sua bebida preferida é suco de groselha e costuma ler romances policiais, como os livros do Sherlock Holmes, para se inspirar e ver se consegue cobrar mais caro.

Sua arrogância é tanta que ele nunca se envolve com mulher alguma em nenhum livro. O jeito gaymacho pode dar a impressão de que ele gosta de homens, mas a verdade é que ele se considera tão bom que acha que não precisa de ninguém.

Poirot num raro momento de descontração

Aparência[editar]

Gordo e com seu bigode extravagante, Poirot estava sempre com o mesmo estilo de roupa para gastar pouco:

  • Sobretudo bege
  • Chapéu preto
  • Calça bege
  • Gravata
  • Suco de groselha na mão

Métodos investigativos[editar]

Poirot sempre dizia que tudo deve fluir até sua massa cinzenta e a solução aparecerá instantantaneamente. Ou seja, uma bela desculpa para não tirar a bunda gorda da cadeira. Seu mundialmente famoso método de investigação:

  • Se a vítima tiver um marido, foi o marido
  • Se tem uma mulher bonita no meio, ela está envolvida
  • Se alguém encontrou o cadáver, ele é o criminoso
  • Se tem russo no meio, está envolvido
  • Criada? Está envolvida!
  • Mordomo? Sabe quem é o culpado! Ou não...
  • As brigas nunca são o que parecem ser
  • Nada é o que parece ser
  • O que parece ser não é nada

Sua característica principal era, depois de já ter o caso detalhado em mãos, reunir todos os envolvidos no caso que ainda estivessem vivos num local e iniciar um monólogo cansativo(uma cena infernal)


até que o culpado não aguentasse mais e confessasse.

Curiosidade[editar]

Poirot sempre teve o sonho de cometer um assassinato, pois queria ver quem descobriria seu envolvimento. Obviamente, ninguém, já que seu maior inimigo, Sherlock Holmes, já estava morto!