Geografia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cometinha.jpg Este é mais um artigo com pretensão pseudo-científica, portanto, seu autor é um desocupado mentiroso que não diz coisa com coisa.
Descitacoeslogo2.png
O Descitações possui citações de/sobre Geografia.

A Geografia é o estudo das coisas humanamente incompreensíveis que ocorrem no Planeta Mundo. Não vá confundir com Geometria, Geologia, Fonologia. Eles aprendem um pouco de geologia, sociologia, história, ecologia, ciência política, geofísica... mas se você precisar de alguém que entenda de algum desses assuntos, procure um geologista, historiador, ecologista, cientista político, geofísico... ou seja, a geografia é uma ciência que serve para porra nenhuma, pois não aprendem tema algum direito.

Surgimento da nova Ciência[editar]

Garoto pegando um jacaré na tsunami, objeto de estudo dos geografistas.

Lá por volta de algum século depois de Cristo alguém teve a terrivel brilhante ideia de criar um estudo sobre a Terra. O fato de ter sido criada em algum século depois de Cristo se deve a um pedido do próprio Cristo ao Todo Poderoso, tamanha a sua repulsa à Geografia. Enfim, por volta da metade de aproximadamente V d.C., o reino Maia vivia seu apogeu, porém o rei Maia, Ruiz Mirácio, mais conhecido como Jula (a pronúncia correta é Dela), estava descontente com as frequentes mudanças climáticas na aldeia, por isso destinou 90% do Imposto de Renda para as pesquisas na área. Brincadeira, ninguém sabe aonde surgiu a Geografia.

Ramificações da Geografia[editar]

Como a Geografia tem um amplo campo de estudos, foram criadas divisões, pra facilitar o trabalho destes geografismos (nome dado a quem atua na área) folgados.

Cartografia: Ramo da Geografia onde se estuda artes plásticas. Seu objeto de estudo é a criação de mapas. Depois da criação do Google Earth a cartografia deixou de existir.
Climatologia: Serve para os geógrafos deduzirem brilhantemente que faz calor no verão e frio no inverno, além de discutirem sobre a maior mentira do século 21.
Hidrogeografia Estudo da água que propricia a melhor cerveja para os alunos de Geografia.
Geopolítica: Destinado ao estudo das maneiras mais eficazes de enganar o povo. Estudo também dos países pobres e por que eles ficaram pobres. Estudo dos paises ricos e como eles estão ficando mais ricos. Discutem estratégias militares de dominação global que nunca sairão do meio Acadêmico, ou seja, um passatempo para os alunos.

Biogeografia: Estuda a geografia do ser humano: onde habitamos, quantos pés temos, onde ficam nossos dedos, esse tipo de coisa.
Geofísica: É o estudo da física da Terra, dado por alguém que teve preguiça de se aprofundar e resolveu viajar em vez de produzir.
Geometria: Explica aos maconheiros da geografia quantos centímetros formam um metro.
Regionalização: Estuda em algumas matérias (umas três) o que os historiadores estudam em todo o seu curso.
Demografia: Estuda a grafia do Demónio.
Geomorfologia: É um curso que existe dentro da Geografia, geralmente quem gosta dele não gosta da Geografia em geral e se diz geomorfólogo por vergonha de dizer que faz Geografia.
Geografia Agrária: Tenta convencer os alunos a entrar para o MST.
Geoprocessamento: Estuda a Geografia dos processadores.
Pedologia: Estuda a relação entre sociedade, tara por pé e por cheirar peidos. Os Podólogos são vistos no meio do mato cuspindo na mão. Não confundir com pedofilia.
Geografia Cultural: Estuda festas e cachaça, ideal para quem gosta de festejar e dizer que é estudo.
Geografia da Saúde: Brilhantemente indica o local das doenças: estou com dor no pé... estou com a minha orelha direita machucada.
Oceanografia: Estudo das águas do planeta, é um dos tipos de geógrafo mais malucos, pois é muita coisa para decorar, como lugares como Mar de Barents, Golfo de Riga, Mar de Azov e Estreito de Kerch. Entre as atividades do oceanógrafo, está a de mergulhar com tubarões para estudos e navegar em rios para pescar dourados em extinção, além de ser um chato no que diz respeito à proteção dos corais.

Dados Importantes[editar]

Uma imagem, claramente feita no Paint, tentando enganar a gente sobre o estado da Camada de Ozônio.

Quando se vai estudar Geografia, algumas coisas são vitais à se saber:

  • Jamais pense que vai pegar mulher, pois todas as estudantes de Geografai são feias, gordas e fedorentas exceto a V. O. N. da Ufpel
  • Ninguém conversa sobre NADA que não esteja relacionado à Geografia; quando raro, sobre futebol
  • Se você não é de esquerda, não bebe e nem usa drogas, pare de ler aqui e vá estudar pra passar em Engenharia
  • E = mc²
  • A água potável nunca vai acabar.
  • Milton Santos graduou em DIREITO e se tornou um grande GEOGRAFO
  • Efeito estufa é golpe de marketing.
  • A Camada de Ozônio está mais forte que nunca.
  • Terremotos só ocorrem no Japão. Então fique tranquilo e deixe que eles se fodam encontrem maneiras para prevenir as tragédias causadas por eles.

.

  • Recursos energéticos são infinitos
  • Que textos de geografia são ótimos remédios contra insônia (comprovado por "TODO MUNDO").
  • Os principais nomes que escrevem textos sobre Geografia não são Geógrafos (ou seja pra que perder tanto tempo estudando se você pode começar a falar qualquer besteira que é bem provavél que alguma ramificação da geografia se interesse pelo o que você escreveu)

Geografia (acadêmico)[editar]

A cada 65 alunos que ingressam no curso de geografia (licenciatura e bacharelado, 10 se formam, 20 desistem, os mesmos 20 voltam para o curso pois não conseguiram passar em outros curos e 25 ficam pelo caminho. Sendo assim, a colação de grau é composta basicamente por 10 alunos regulares e outros 27 de anos anteriores.

No geral, nas turmas de Geografia 70% são marmanjos desocupados, 24,99% canhões, 5% não sabem ao certo e 0,01% uma mulher muito linda que provavelmente sairá na primeira semana de aula (que geralmente é o período de Calourada). Todos os calouros de geografia têm ilusões sobre uma sociedade justa, onde o socialismo é a chave do sucesso, mas logo o efeito da maconha passa e eles voltam a jogar papeis uns nos outros e falar sobre o documentário do Milton Santos.

Típico estudante de Geografia

A geografia, com certeza, é o curso mais confuso que já se viu na face da Terra. Divide-se em Humana e Física, e procura continuamente um método que possa congregar essas duas áreas díspares da ciência. No geral seus alunos veem que é impossível estudar as duas áreas e se dividem entre os extremistas de esquerda da Geografia Humana que disputarão vagas com sociólos e históriadores, e os escravos (ou servos quando conseguem um emprego melhor) da Geografia Física que trabalharão para o sistema-reacionário-burguês-mercadologico-liberal-motherfucker. A ciência geográfica não possui metodologia própria, por isso depende das teorias dos sociólogos, economistas, geólogos e dos filósofos. Talvez por isso não sejam respeitados por ninguém. Eles procuram continuamente (e utopicamente) ganhar dinheiro fazendo mapas, mas em geral, pedem para o pessoal da Engenharia Cartográfica fazer esse serviço em seus trabalhos.

Representação em miniatura da região conhecida como CU do Mundo Acre

Nunca encontraram o sentido de se estudar geografia, mas como eles são professores, obrigam seus alunos a se enganarem sobre a importância desse estudo que só serve para saber quais países estão em guerra no momento. O curso se baseia praticamente em fazer maquetes com argila e cartazes com fotos bonitinhas, além de ler textos antigos que tentam decifrar o que é a Geografia. É praticamente uma aula de educação artística da 4ª série. A Geografia sofre de um grave complexo de inferioridade em relação ao curso de Filosofia, Letras, Ciências Sociais, Geologia, Biologia, Engenharia ou qualquer outro curso superior que possa existir.

80% do curso de geografia se resume a decorar nomes de países, estados, condados, mares, oceanos, baías, golfos, praias, montes, depressões e etc.


A única vantagem de se estudar geografia, talvez seja por que essa ciência é perita em ensinar como se faz guerras. Um exemplo prático é que os americanos durante a Guerra Fria estudaram geografia e história (estudar geografia sem estudar história é inútil, e o contrário é mais), e vendo as burradas que Napoleão e Hitler (esses não estudaram história) cometeram, os americanos não invadiram a União Soviética e aguardaram que eles falissem sozinhos.

Polêmica sobre o ensino da Geografia segundo a Wikipédia e a Revista Veja[editar]

ATENÇÃO: Abaixo conteúdo maçante e chato de entender para quem tiver mania idiota de criticar a vida particular dos outros, e leve a sério ou não o texto, você que decide, pois eu já te falei sobre isso e nunca existiu essa pesquisa com linguagem meio engraçada meio séria, pois trata-se de um texto escrito por uma pessoa insatisfeita com o problema da proibição cultural existente desde a década de 1980, que só pode ser resolvida com software educativo de celular ou perguntas de Show do Milhão:

Matéria publicada durante sessão plenária que defensores da causa do autismo com a Central Globo de Produção e as PMs estaduais

Segundo a Wikipédia (se é que ela viu divulgada a pesquisa sobre educação, o que de acordo com os wikipedistas nunca a foi), o Brasil é o país com o pior índice de proficiência em geografia da América do Sul e da América Latina, sendo superado por Argentina, Colômbia ou Peru debaixo da sunga azul, vermelha, amarela, verde, rosa, sei lá em dias de praia e calor infernal. O motivo é que os brasileiros mais velhos maltratam os mais jovens porque nós jovens insistimos em aprender debatendo com os 200 milhões de biografados sobre história, geografia, demografia, política, subdivisões, economia, infraestrutura e cultura de todos os Estados soberanos, estatoides (subdivisões de países), cidades, prefeituras, municípios urbanos, municípios rurais, continentes, ilhas, arquipélagos, terrenos de quartéis de polícia militar estadual, polícia civil e o escambau. Isso se deve ao conhecimento limitado, nulo ou quase nulo dos brasileiros sobre gramática da língua portuguesa tipo classes gramaticais, substantivos, adjetivos, verbos, o que dificulta a compreensão dos malditos conteúdos com panfletagem claramente e nefastamente crítica às atitudes antirreligiosas dos políticos em Brasília que refugiam-se com práticas religiosas espirituais, paroquiais e diocesanas para esperar que Deus resolva o pecado deles, mesmo que ele o ser supremo entenda que eles não tem estudo porque se tiverem conhecimento serão taxados de chatos, cricas e escravizadores do Estado Islâmico do Iraque e do Levante ou sei lá de qual país estudado pela geografia estou falando (para nós, descíclopes, a liberdade de mentir difamando é toda nossa, paráfrase de "nós, descíclopes, somos todos livres para mentir difamando"), e matemática como multiplicação, subtração, adição e divisão, o que dificulta os traiçoeiros da terra de Nosso Senhor Jesus Cristo da América Portuguesa de conseguirem entender quantos quilômetros dão de Piracicaba até Lisboa. É por essas e outras que os artigos da Wikipédia em português não são nem um pouco muito confiáveis, e quando houver uma paráfrase da obra consultada de geografia, ou é um texto mal escrito ou se não é paráfrase é plágio na certa.

O problema da compreensão dos conteúdos de geografia seja em livros, enciclopédias, dicionários, atlas, jornais, revistas e almanaques do acervo de bibliotecas públicas estaduais e municipais, é o mesmo que acontece em as disciplinas do deficiente currículo escolar brasileiro. Isso porque o Brasil é também o país com pior índice de proficiência em gramática de língua portuguesa da América Latina, mesmo o sendo o país com maior população lusófona do mundo. Infelizmente esse quadro também é irreversível pois talvez precisamos ou não debater a história da Europa na Segunda Guerra Mundial. Vamos pedir a Deus a nossa inteligência para possamos fazer uma Wikipédia cada vez melhor e vamos ser policiais ou qualquer profissão responsável seja médico, advogado, maçom, bibliotecário, pesquisador por isso e não só seremos policiais, propriamente ditos, por sermos difamadores. Para finalizar, a Desciclopédia é discurso pessimista puro. Quem é que entende isso? Quem é que entende isso é só gente mas muita gente que não sabe o que é ser engraçado e não apenas idiota e chama as piadas da Desciclopédia de discurso pessimista pois pensa que sabe o que é preconceito mas não sabe ser palhaço e recebe algo do tipo "preconcepção" porque só sabe parafrasear um texto de uma obra que consultou na biblioteca para o seu artigo da arqui-inimiga Wikipédia.

Para quem tiver muito histórico de memória curta em divisão política do Brasil, agora imagina o seguinte: O Piauí sente muita saudade do Maranhão, só de brincadeirinha, pois o Maranhão e Piauí fazem fronteira juntos sempre, desde a Independência do Brasil.

O POVO QUE É GRANDE MAS NÃO VINGATIVO, QUE NUNCA A JUSTIÇA E O DIREITO CALOU!!! (Hino de Santa Catarina)

Conceitos Básicos da Geografia[editar]

Típica resposta dada em uma prova de geografia e o professor ligando muito pra isso!!!

Espaço: a maior tecla do teclado do computador

Tempo: o que o relógio marca TIC TAC

Cidadão: uma grande cidade

Cidade-Global: Projac

Rede: o que o baiano usa pra descansar

Geógrafos[editar]

Lembrança da viagem de formatura de uma geógrafa [Repare seu conhecimento sobre as capitais do Brasil]

Normalmente os geógrafos são pobres e pé-rapados, exceto os que trabalham com Geoprocessamento,topografia, delimitação de áreas rurais, georreferenciamento,Clima (a porra do bacharelado agrega áreas que nem quem é formado em geografia sabe tudo em que pode trabalhar, O Crea é um puteiro onde basicamente entre engenheiros florestais, Agrônomos, geógrafos e os outros povos do Mato, todo mundo praticamente pode fazer o trabalho de todo mundo, mas dificilmente qualquer um desses citados vão conseguir comer sem abrir o próprio escritório, oque também não garante que eles vão conseguir comer). Esses enchem o cu de dinheiro, mas em troca são obrigados a ouvir que "trairam o movimento" e abandonaram a causa esquerdista intima=maente relacionada ao curso, afinal, geógrafo não-marxista não é geógrafo, é burro.

Carta de amor de um geógrafo[editar]

Meu amor,

A saudade que sinto de teu perfil suave como a serra! Mas não sei chorar. Minhas lágrimas são lençóis cativos nas camadas mais profundas de meu ser – e eu não posso, não choro, não sei chorar. Mesmo que essa alternância de gelo e degelo, longe de ti, venha fragmentando gravemente a rocha de meus nervos.

Penso em ti. Profundamente em ti. És de uma ternura transparente como a formação cristalina. És bela como uma floresta de cedros intactos. Doce como a luz do dia estendida sobre as dunas muito brancas. Alta e misteriosa como as agulhas esguias que existem da Islândia. Estas em todas minhas direções como as rosas-dos-ventos.

Mando-te uma montanha de beijos.

(Campos, Paulo Mendes. Revista Manchete, 8 de abril de 1972)

Veja Também[editar]


Matérias da sua escolinha

Escolinha do Professor Raimundo!
Matérias comuns: ABC - Artes - Biologia - Ciência - English - Física - Geografia - História - Português
Matemática - Literatura - Redação - Religião - Química

Matérias menos comuns: Atualidades - Cultura pela paz - Educação Física - Educação Sexual - Español - Ética - Filosofia - Français
Geometria - Informática - Música - Sociologia

Matérias extintas: Catequese - EBD - Estudos Sociais - Moral e Cívica - OSPB - Puericultura - Retórica - Roubar