Dialeto maconhês

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Cquote1.png Iffooos... Tishhs... poassimssss... Euuajjs... Nuuuumm... Cquote2.png
Adepto do dialeto maconhês

O dialeto maconhês, como é conhecido hoje, é um dialeto moderno derivado de uma protolíngua antiga, o canabinóico arcaico. O maconhês é muito popular e amplamente difundido meio da malandragem moderna e caracteriza-se principalmente por uma certa lerdeza no falar e por construções sintáticas desprovidas da parte semântica (significado, sentido), as orações afirmativas dessa língua são quase sempre encerradas pelas expressões como: “podes crer” e “sóooo”; as interrogativas geralmente pela expressão: “tá ligado ?” admitindo algumas variações.

História[editar]

Os primeiros registros desta língua surgiram do contato das legiões romanas com tribos bárbaras que vieram da região onde hoje se encontra a Jamaica, que nessa período histórico era conhecida como ilha da “chapadócia”, devido ao estado sempre relaxadão dos seus habitantes. A penetração dos chapadóceis, como eram conhecidos, em Roma foi responsável inclusive por um episódio famoso da história antiga, quando o imperador Nero, influenciado pela nova cultura, tentou acender um enorme baseado coletivo e acabou tocando fogo em Roma. Enquanto a cidade ardia em chamas, ele, animado pelos vapores, tocava alucinadamente sua cítara, cantando “no woman no cry”.

Os chapadóceis ao longo dos séculos tornaram grandes comerciantes de variados produtos artesanais, colarares, brincos, bugingangas, pinturas, boinas de crochê e outras tralhas, comércio esse, que praticam principalmente à beira das praias, perturbando os turistas.

Com a expansão desse comércio, ficou conhecida também a cannabis, muito apreciada e consumida nos em variados circulos da sociedade moderna. Devido a essa expansão pelo mundo, o idioma canabinóico arcaico também se diversificou bastante dando origem a outras línguas além do maconhês, como: o Gardenalês, vindo da península da Gardenália, o Repinolês, e muito popular entre as tribos pirangueiras e o lombradolês, que tem suas raízes historicas ligadas ao movimento filofófico da física do petrefiolismo. (exemplo do movimento no youtube)