Deslivros:Guia para colonizar um planeta

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Deslivros4.png
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.

Este deslivro é parte do acervo de desmanuais Nuclear-explosion.jpg

Está de saco cheio da Terra?, cansado de ter que lidar todos os dias com a contaminação, a superpopulação, o tráfico e outras situações da vida cotidiana?

Seus problemas acabaram! Chegou a hora de colonizar um novo planeta em nome da humanidade. Sim, você leu bem: colonizar seu próprio pedacinho de universo.

Claro, não será nada simples fazer daquele pedaço árido de terra, praticamente inabitável, num paraíso terreno que fique a alguns milhares de quilômetros de sua casa.

Neste manual, você aprenderá o necessário para um propósito tão nobre.

Considerações preliminares[editar]

Assegure-se de que não se veja assim o seu destino.

É claro que você deve escolher um bom planeta para colonizar, ou, como dizem os sábios: terraformar. Como você bem sabe, graças a seus conhecimentos amplos de astronomia, nem todos os planetas são candidatos à terraformação.

Existem alguns cuja gravidade é tão grande que, se você pôr um só pé entre eles, seu corpo acabaria feito uma massa compacta de morte. Noutros, por não existir atmosfera, o sol o calcinará por completo. Porém, existem planetas onde as condições não são tão diferentes das do nosso planeta – e até mesmo têm água!

Simplesmente procure um planeta de tamanho parecido com o da Terra, que possua atmosfera (não necessariamente respirável) e não muito distante daqui, senão corre o risco de chegar morto de vez a seu destino.

1.º passo: arrume fundos[editar]

Uma vez na vida, todo mundo teve de pedir esmola.

Você esperava mesmo que esta longa viagem não lhe custaria nada? Doce ilusão! Não importa como, mas você deverá encontrar a maneira de conseguir os muitos milhões de dólares que a missão lhe custará.

Alguns dos métodos mais efetivos são pedir esmolas e favores a altos funcionários dos países primeiro-mundistas.

Os empréstimos bancários sempre são muito úteis nestas situações, pois todas as instituições bancárias que se prezem estarão encantadas por emprestar seu capital a uma missão de sucesso duvidoso. Pode ser também que você peça emprestado a seus amigos e familiares, embora não venham vê-lo porque sempre que você pede, eles se dizem doentes ou terrivelmente ocupados.

O assalto a transeuntes pode resultar numa opção tentadora, mas pouco produtiva. Vamos, pense em quantas pessoas deverá assaltar para conseguir a grana necessária. Terá muita sorte se chegar a assaltar algum cara rico, mas, mesmo assim, não acredito que você leve mais do que uma surra dos guarda-costas dele.

Quando você tiver o orçamento da expedição completo e em grana firme, poderá ir ao passo seguinte.

2.º passo: construa a nave[editar]

Projeto detalhado da nave.

Já que você foi capaz de juntar todo esse dinheiro, está em perfeitas condições econômicas de construir a nave que levará nossa espécie à verdadeira era espacial.

Contrate bastantes engenheiros, técnicos, peões de obra e qualquer coisa que considerar necessária para fazer de sua travessia um sucesso.

Mas tenha cuidado: sempre esteja atento aos materiais usados, ou das especificações da nave. Não permita que ponham plástico no lugar dos para-brisas ou não irá com vida nem à esquina da plataforma.

Não se preocupe com o projeto: para isso você trouxe os engenheiros. Aí, sim, assegure-se de que o transporte conte com banheiro; você não acreditaria se eu lhe dissesse o quão difícil é defecar em gravidade zero. O espaço interno é indispensável, sobretudo se você pretende ir acompanhado. Reserve espacio para suas coisas, como sua escova de dentes, sua pasta de dentes, seu videogame. (Lembre-se de que o espaço externo é extremamente tedioso. Acredite, você vai precisar.)

Quando a nave estiver pronta, talvez você queira dar uma voltinha para experimentá-la… Verdade? Negativo. Definitiva e absolutamente NÃO. Nem mesmo apenas para ir e voltar da Lua para ver se o porta-copos funciona. Você deve esperar até o dia da missão. Então, deixe de besteira e vá fazer algum exercício para ficar em forma e não morrer na viagem.

3.º passo: sobreviva à viagem[editar]

Não quer dar uma volta?

Viajar no espaço não é coisa simples. Requer esforço, dedicação e muitos, muitos, muitos, muitos, muitos, muitos, muitos… colhões. La no espaço há tempestades espaciais, raios cósmicos, ventos solares, piratas interestelares e sabe-se lá quantos perigos que espreitam por lá.

Prepare-se. Ao sair da atmosfera, a gravidade deixará de existir, pelo que você deve procurar amarrar suas coisas em algum canto, se não quiser ver suas roupas íntimas flutuando por aí. Mas isso não é o mais grave: seus pertences valiosos podem-se enroscar nos controles de navegação e, quando isso acontecer, o mais seguro é que, em pouco tempo, você esteja saudando o Criador em pessoa.

Implicações psicológicas[editar]

Passar tanto tempo num espaço tão reduzido tem lá suas consequências. Talvez devíamos ter-lhe advertido aos claustrofóbicos antes de iniciar a viagem numa nave tão pequena. Mas devemos fazer muitas outras coisas que ainda não fizemos.

Outro risco que a mente humana sofre é a solidão. Por mais que você deseje estar sozinho, a solidão sempre o seguirá, especialmente se não há ninguém mais com você. Com certeza, você terá paranoia ao ler isto. Ou talvez esquizofrenia.

A gama de doenças mentais que você pode contrair numa odisseia espacial é quase infinita.

4.º passo: estabeleça uma base[editar]

Mais ou menos assim ficará seu novo lar depois de terminado.

Bem, finalmente você chegou ao seu novo lar. Mas agora deve pôr-se a trabalhar. Não se pode ficar de papo pro ar o dia inteiro, não é mesmo? Seus dias de vagabundagem passaram há muito tempo… Agora, com certeza você se lembrou de trazer o material para a construção: isso lhe será indispensável nas condições péssimas em que seu módulo de aterrissagem se encontra.

Então, se quiser sobreviver à noite, é melhor que comece a cavar um bom fosso de onde se tire água. Esquente essa comida meio rara que parece pasta de doentes e abrigue-se.

Lar, doce lar[editar]

Com todo o material que você trouxe da Terra, você deverá construir uma base resistente ao calor escaldante, ao vento impiedoso e que tenha as mesmas comodidades de uma casa de classe média. (Mas, por favor, não espere TV por assinatura: a única coisa que você poderá ver é o padrão de barras coloridas de seu televisor quando a transmissão sai do ar.)

A água é indispensável para sobreviver, devido à falta evidente de cerveja em seu novo lar. Assim, você não beberá nada mais que água e mais água.

Lembre-se de jamais sair sem o seu traje espacial, ou não viverá para ver seus netos jogarem bola em gravidade zero, nem mesmo viverá o suficiente para respirar pela última vez.

Quando sua base e demais instalações de vivenda e comida estiverem prontas, é o momento de continuar a colonização do planeta.

5.º passo: contaminar até não poder mais[editar]

Muito bem! Está conseguindo!

Como você pensava esquentar o planeta? Com seu forninho de brinquedo? Isso é que não. Parecer-lhe-á raro (falo de você, ambientalista de poltrona) que tenhamos de contaminar o planeta para esquentá-lo e torná-lo sustentador de vida… Mas você já tentou evoluir a 80°C abaixo de zero? Diga aos que verdadeiramente conseguiram e vamos ver se não lhe dão uma bela infecção como castigo por sua insolência.

Mas chega de criticar a você. Só o que deve fazer nesta ocasião é começar a criar fábricas – muitas, mas muitas fábricas.

Na verdade, não interessa se são de tênis, de fast food ou de armas. Só o que deve lhe interessar é que lancem toneladas de poluentes na atmosfera de seu novo planeta. Eventualmente, o planeta virará o novo Terceiro Mundo (em alguns casos, será literal), onde as empresas humanas mais contaminantes e com os resíduos mais tóxicos que se possa imaginar virão se estabelecer; e virão imigrantes da Terra em busca do “sonho extraterrestre”, embora, no final, só encontrem trabalhos mal pagos, leis migratórias racistas e discriminação. (Qualquer semelhança com o mundo de hoje no mundo de amanhã, é mera coincidência.)

Uma vez que seu planeta seja o berço de algumas das cidades industriais que joguem mais resíduos no ar, vá para o passo seguinte.

6.º passo: povoe a nova Terra[editar]

Não se esqueça de NÃO o usar!

Sim, senhor! Seu planeta é próspero e repleto de belezas naturais. Agora que você está velho e dedicou sua vida a garantir o futuro da humanidade no espaço, é hora do passo mais divertido e mais fácil, que poderia ser feito na Terra sem problemas e pelo qual tantos anos de esforço árduo valeram a pena.

É exatamente o que você está pensando. É hora de se reproduzir feito coelhos tarados e encher este novo mundo com seus derivados e com a escória humana mais imunda encontrada na Terra; no fim estes sempre se multiplicam rapidamente (e, veja bem, sem nem usar calculadora).

Neste passo, nada mais resta a não ser explicar: você já saberá exatamente como proceder. E, se não, sempre pode procurar nesta mesma enciclopédia algum método efetivo para o realizar.

Últimas recomendações[editar]

Com certeza você está se perguntando: “E agora, o que faço?”. Simples: nada. A esta altura você está com um pé na cova. Mas será para sempre lembrado como alguém que deu um novo sopro de esperança à humanidade. Não se iluda: quem lhe diz isso não sou eu, e sim o obituário e a lápide que estão reservadas para você enquanto vai para mais além.

Por mim não se preocupe, que ficarei rico como acionista majoritário de seu pequeno projeto de colonização. Que tudo corra bem com a sua nova civilização.

FIM