Deslivros:A desagradável história de um homem que teve uma cobra introduzida em seu ânus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.


Esta é uma história bastante desagradável de um cidadão que acidentalmente (calma, não foi de propósito) teve uma cobra introduzida em sua abertura anal no momento em que se sento para defecar. Essa história, além de desagradável é também deveras peculiar e nos trás ensinamentos que servem de lição para muitas pessoas de nossa sociedade atualmente pouco versátil para conversas e debates a respeito de diversos temas considerados indiscretos. Leia a seguir, com todas as advertências que você não deveria estar fazendo isso...

A história[editar]

A cobra...

Era uma manhã chuvosa e José (mudamos o nome para o conforto da pessoa) estava decidido em continuar em casa, já que o transito de cidade grande iria engrossar ainda mais do que já estava graças à precipitação de gotículas de água. E para sua sorte ele fez a decisão correta a ser tomada, pois logo em seguida uma vontade de cagar incomensurável lhe apossou de sua mente, e mais nada conseguia pensar a não ser soltar uma cagada suprema no vaso sanitário...

Mas isso não iria ser uma tarefa árdua, a não ser para o sistema de encanamento que teria de lidar com essa bostejação, isso porque o vaso sanitário estava a poucos metros de distância de sua pessoa, e bastava dar alguns passos para alcança-lo, e foi isso o que ele fez... Era apenas uma cagada comum, porém, como o leitor já deve ter presumido pelo título, algo mais que peculiar se sucedeu nesse ato de se aliviar... Para a surpresa de José, ele se deu de cara com sua filha Susie (nome alterado para garantir a privacidade da cidadã), pois ele confundiu o percurso de ir ao SEU banheiro e não o DELA.

...O ânus.

Ela olhava enojada para o pai, que estava visivelmente sem compreender a situação, porém ela perderia esse estado de humor pois uma jiboia de 3 metros de altura estaria no exato momento se projetando para o orifício anal de seu progenitor, o que lhe daria uma expressão facial de terror total... Em meio àquela situação bem bosta e aterrorizante, Susie saiu correndo em busca do SAMU, que chegou pouco minutos depois, junto com o controle de animais, que não sabia se prendia a cobra ou o pai da menina, que de tão estérico de estar sendo levado nu para o hospital, ainda com fezes presas no reto...

Depois de algumas horas, José pôde voltar para sua casa, ainda em estado de choque pelo ocorrido... A sensação de levar uma enfiada na bunda para José ainda estava fixada em sua memória, e ainda lhe parecia algo... agradável... Sim, depois de um tempo refletindo a respeito disso, José mudou de ideia repentinamente. Primeiro ele levou a ideia como algo totalmente deplorável, porém, com o tempo, aquilo se transformou numa sensação diferente das usuais, digamos, uma "nova experiência"...

Por muito anos de sua vida, ele era considerado um homem conversador, mandava sua mulher cozinhar, achava que o papai noel era petista, mas... mas... como é possível explicar algo que é inexplicável para José... Ele sentia que algo tinha mudado. Talvez, somente talvez, aquela enfiada no seu ânus tenha sido tão profunda que tingiu suas mais profundas e escondidas ambições e gostos, que ele por muito tempo escondera. Isso teria descoberto de vez a sua verdadeira natureza, a natureza de alguém que gostava de levar no cu, uma espécie de adepto ao sexo anal... José era gay....

O que podemos aprender com isso?[editar]

Com isso podemos concluir duas coisas. A primeira é que olhe duas vezes antes de cagar numa privada, e a outra é que José salvou a virgindade anal de sua filha, e agora ela é uma mulher agradecida, segura de si, e que faz coaching a respeito de como você não deve ter medo de levar uma no ânus enquanto caga. Porém essa são as duas visões que a maior parte da sociedade vê nessa história, pois a verdadeira conclusão é que eu comi o cu de quem tá lendo...