Deslivros:A Menina e o Porquinho

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.

Cquote1.png ..... Cquote2.png
Chuck Norris sobre A menina e o Porquinho

Cquote1.png Na União Soviética, o Hannibal e o porquinho matam VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre A menina e o Porquinho

A História[editar]

Numa bela fazenda, repleta de criaturas mágicas e animais felizes vivia uma pequena menininha com seus pais. Num belo dia, a menina pediu a seu papai que lhe comprasse um porquinho de estimação. No dia seguinte, papai apareceu com o porquinho mais lindo que menina já vira. Durante os meses que se passaram, a menina e seu fiel porquinho se divertiram brincando na lama e correndo pelos campos da fazenda. Um dia, porém, após o sol se por, nosso valente amigo suíno ouviu um estranho ruído, vindo das profundezas da floresta. Ao verificar a causa da perturbação sonora, a criatura se viu diante do temido fantasma de Hannibal!! O espectro maligno avançou contra nosso herói e lhe possuiu. O animal endiabrado retornou aos aposentos da menininha, onde a matou, transformando-a em um zumbi. Durante o dia seguinte, os dois executaram todos os bichinhos da fazenda, além dos pais da garotinha, e passaram a vagar com eles para fora da propriedade, tentando impor uma nova ordem-morto-vivo-mundial!!! Felizmente, existe pessoas que estão sempre de prontidão para o caso de um porco possuído e uma menina zumbi resolverem dominar o mundo com um exército de mortos vivos: Constantine e Jill Valentine.

O porquinho da história em todo o seu explendor

Os dois foram até a fazenda, deter a humana e o mamífero quadrúpede de pele rosada. Ao chegar lá, os dois lados iniciaram uma batalha épica. Infelizmente, Constantine e Jill Valentine não teriam muita chance contra um exército de zumbis, então pediram ajuda. Em questão de minutos, a fazenda estava repleta de reforços, entre eles, Samara, que queria vingança de Hannibal, seu pai, por tê-la jogado no poço, Harry Potter, que trouxe uma legião de alunos de Hogwarts, e a Menina eu Roubava Livros, com o poderoso acordeão de seu “pai”.

Vendo que a situação se agravara, o porquinho resolveu usar sua arma secreta: um fio de cabelo de Chuck Norris, com o qual ele produziu um clone do mesmo, para pôr um fim à batalha. A ideia, porém, não deu certo, pois o verdadeiro Chuck Norris, aquele que já morreu à nove anos, porém a Morte não teve coragem para lhe contar e passou o resto da eternidade escrevendo livros sobre garotinhas alemãs, não gostou da ideia, pois NINGUÉM COPIA CHUCK NORRIS!!!! Com a chegada de Chuck, deu-se inicio à maior batalha de que se tem notícia. O clone de Norris atacou o verdadeiro com um Roundhousekick, que, por ser apenas um clone, não surtiu muito efeito. O verdadeiro Chuck então lançou um golpe tão poderoso que abriu uma fenda no tempo e no espaço, que levava a uma outra dimensão, onde ele e seu clone ficaram presos até que um matasse o outro, para que o portal se abrisse de novo, libertando-os. Enquanto os dois imortais se matavam, a batalha continuava na fazenda. O exército de zumbis já tinha matado Samara e uma boa parte dos alunos de Hogwarts. Quando tudo parecia perdido, num golpe de sorte, Jill Valentine disparou um tiro de sua shotgun na nuca da garotinha zumbi, que caiu morta (de novo) no chão. Agora bastava matar o porco-Hannibal para que o exército de mortos-vivos fosse destruído. Enquanto isso, na fenda temporal, o verdadeiro Chuck Norris se cansou da brincadeira e deu um Supreme-Roundhousekick em seu clone, desintegrando-o e reabrindo o portal de volta ao nosso mundo. Quando Chuck retornou à nossa realidade, a batalha estava chegando ao seu fim, pois Constantine, com a ajuda de Harry Potter, imobilizou o suíno possuído. Quando o porco seria executado, Chuck decidiu destruír tudo aquilo, simplesmente porque todas aquelas criaturinhas insignificantes tinham tirado seu sagrado sossego. Sendo assim, o Todo-Poderoso Sr. Norris estalou os dedos e produziu o equivalente a uma explosão nuclear, destruindo toda a fazenda e a batalha também.

Moral da História: O vento do duende vem de roxo, quando pisca a inconsciência do javali.