Copa Libertadores da América de 2011

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Vai dar Inter vs. Grêmio nas quartas-de-finais! Cquote2.png
Qualquer brasileiro alienado sobre essa edição da Liberta
Cquote1.png Dessa vez os brasileiros estão muito bem! Cquote2.png
Outro
Cquote1.png FFFFFUUUUUU! Cquote2.png
Fluminense, Grêmio, Cruzeiro e Internacional sobre serem eliminados no mesmo dia

Baleinha.gif

A Copa Libertadores da América de 2011, ou Super Bowl Libertadores LII foi a 52ª edição desse torneio futebolístico romântico que é a Copa Libertadores, (des)organizada, como sempre, pela COME BOLA. Mais uma vez os clubes mexicanos invadiram a América do Sul e disputaram nosso querido torneio, já que disputar com Canadá e México é mais fácil que nocautear o Anderson Silva. Como sempre acontece, o vencedor desse torneio vai para o Japão para envergonhar o nome das Américas diante de um time europeu, nesse caso o razoável time do FC Barcelona, de Messi, Xavi, Iniesta, David Villa e etc. Esse campeonato ficou marcado na história do futebol brasileiro por duas coisas: 1º: revelar ao Brasil quem é Deportes T(r)olima. 2º: revelar ao Brasil que é muito bom menosprezar adversários, não à toa quatro times brasileiros foram eliminados nas oitavas-de-final. Pelo menos o campeão saiu daqui de terras tupiniquins: foi o Santos FC, que por falta de adversários decentes sagrou-se tricampeão, com a ajuda do técnico Muricy Trabalho.

Resumex da primeira fase e de cada grupo[editar]

Primeira fase[editar]

Com a ausência de Ronaldo no ataque, o Corinthians contou com ninguém menos que o Presidente Lula para ser o camisa 9. A experiência não deu certo e o Corinthians viu a Libertadores pela TV.

Chamada pré-Libertadores, é a fase que junta os peores times possíveis que poderiam se classificar pra Libertadores. No caso do Brasil, nenhum time foi eliminado nessa fase, nem mesmo o poderoso Paraná Clube em 2007. Porém,

Corinthians 0-0 Deportes Tolima
Deportes Tolima 2-0 Corinthians

Além dessa vergonhosa atuação da equipe brasileira, tivemos o Grêmio vencendo o Liverpool do Paraguai Uruguai, garantindo ao menos a ida pra fase de grupos.

Grupo 1[editar]

Esse foi o grupo mais sem-graça da Libertadores. Com a nova regra da CONMEBOL que não deixa só brasileiros e argentinos como cabeças-de-chave, um grupo pode ter quatro times de mierda. Nesse grupo, o Club Libertad do Paraguai sobrou, por ser o menos pior, e se classificou junto com o Once Caldas da Colômbia.

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Escudo do Libertad.pngLDU 2.0! 14 6 4 2 0 13 5 8
ESC. ONCE CALDAS..jpgRetranca! 7 6 1 4 1 7 8 -1
Galo brigão.gifTime da Segunda divisão Peruana 6 6 2 0 4 7 11 -4
447997575 2f099e3f32 o.jpgOutro time da segunda divisão 5 6 1 2 3 6 9 -3

Grupo 2[editar]

Nesse grupo tivemos os tricolores imortais, que não justificaram muito bem essa apelido. Mesmo desfrutando de um prazer que o Corinthians não teve, que é passar pra fase de grupos, e caindo num grupo relativamente fácil, o Grêmio suou pra passar de fase, perdendo jogos idiotas contra times mais idiotas ainda. Classificou-se em segundo lugar, atrás do Junior Kyle Barranquilla (QUEM?), também da Colômbia.

Equipe Pts J V E D GP GC SG
Cachamexico.jpgGordo Colombiano 14 6 4 2 0 13 5 8
Escudo do Grêmio.png"Imortal" 7 6 1 4 1 7 8 -1
Escudo do Oriente Petrolero.pngEscravos de Evo Morales 6 6 2 0 4 7 11 -4
Peru de natal.jpgMais outro time da segunda divisão 5 6 1 2 3 6 9 -3

A EXPANDIR

Grupo 3[editar]

Cquote1.png Guerreiro ô ô! Guerreiro ô ô! Guerreirô! Time de guerreiro! Cquote2.png
Torcida do Flu sem saber do que viria depois
Esse foi considerado o GRUPO DA MORTE dessa edição da Libertadores. A cada rodada os líderes revezavam, mas nas duas últimas rodadas, os Argentinos Juniors mostravam que eram cavalos argentinos, chegando a perder em casa por 2-4 do Fluminense, num jogo roubado histórico, que classificou os cariocas. O América do México se classificou em primeiro, num empate com o Nacional, que achou que ia se classificar, mas se ferrou.

Grupo 4[editar]

Grupo que não gerava muitas expectativas, já que era óbvio que Universidad Católica e Vélez Sarsfield se classificariam. Então, a única coisa que salvou foi o jogo entre os dois, principalmente o jogo em Buenos Aires, no qual a Universidad Católica virou um jogo perdido e venceu o Fortín por 3-4.

Grupo 5[editar]

Grupo esse que estava tudo manjadão pro Santos se classificar em primeiro vencendo todos os jogos, mas sofreu com vários tropicões no início. O Colo-Colo ameaçou tomar a vaga dos alvinegros praianos, mas a equipe de Neymar e cia. tomou conta do bagulho e ficou com a segunda vaga. O líder do grupo foi o Cerro Porteño.

Grupo 6[editar]

Esse grupo mostrou que o TP Mazembe é melhor que vários times sul-americanos, porque o Internacional foi quem liderou. A equipe de Paulo Roberto Falcão (que teve uma desculpa pra sair da Globo) pareceu que ia balançar, mas acabou liderando um grupo também fácil. O Jaguares de Chiapas foi o segundo colocado.

Grupo 7[editar]

Cquote1.png Depois disso, ninguém tira o título celeste! Cquote2.png
Sem comentários, cruzeirenses
Mas o Cruzeiro jogou muito nesse grupo! Goleadas atrás de goleadas, inclusive sobre o carrasco de 2009, os Burritos. Só não fez campanha perfeita porque empatou uma vez com o Deportes Tolima. Se fosse o Corinthians teria sido uma campanha perfeita. Trollface.jpg

Grupo 8[editar]

Cquote1.png HAHAHA! Eles se foderam antes! Cquote2.png
Brasileiros sobre argentinos
Grupo que parecia ser equilibrado, e o foi o tempo todo! Quatro times abaixo da média, incluindo dois times-museu: Peñarol e Independiente. Acabou que os dois argentinos foram eliminados logo na fase de grupos, o que envergonhou toda a nação hermana, que já tinha que contar com a ausência (por tempo indeterminado) do Boca Juniors na competição. Os uruguaios se classificaram junto com a LDU, que por alguns gols não reenfrentou o Fluminense, que já estavam cagando de medo.

Mata-mata[editar]

Cquote1.png Acho impossível a final não ser entre dois times brasileiros, são muito superiores! Cquote2.png
Torcedores e comentaristas brasileiros sobre a mesma lorota de todo ano

Oitavas-de-finais[editar]

Cquote1.png Você quis dizer: Noite do terror Cquote2.png
Google sobre Copa Libertadores da América de 2011
Foi a fase que os argentinos gostaram muito de assistir, embora quase todas suas equipes já tivessem toeliminadas. Isso porque quatro, nada mais, nada menos que quatro brasileiros foram eliminados nessa fase, como repetido exaustivamente neste maldito artigo. Foram eles:

Samudio, carrasco do Fluminense.
  • Fluminense - O time estava em cacos, mesmo depois da dita heroica classificação ante os Argentinos Jrs. Estavam assim porque o atacante Emerson Sheik saíra do clube esbravejando contra os cartolas tricolores. Não sabemos o porquê, já que não foram os cartolas que cantaram o Bonde do Mengão Sem Freio dentro da concentração do Fluminense.

Resultados: Fluminense 3 x 1 Libertad / Libertad 3 x 0 Fluminense


  • Cruzeiro - O "Barcelona das Américas" foi eliminado pelo Once Caldas (segurando o riso). Como vinham atropelando todo mundo na Libertadores, acharam que já eram campeões mesmo antes da hora. Então, resolveram poupar o time titular para jogar as finais do Campeonato Mineiro contra o Atlético (só pra ter um link para o Atlético num artigo sobre Libertadores) e puseram os juvenis para atuar pela competição sul-americana. Mas não sabiam que o Once Caldas era páreo o suficiente.

Resultados: Once Caldas 1 x 2 Cruzeiro / Cruzeiro 0 x 2 Once Caldas

Lucas Prattão, vice-artilheiro da Liberta e carrasco do Grêmio.
  • Grêmio - Nossa, seria mais difícil ganhar de WO do que desse time patético do Grêmio. Tomou duas saraivadas do Universidad Católica do Chile e fez com que a torcida ficasse ainda mais irritada com o seu maior ídolo como jogador, o na época treinador Renato Gaúcho. E olha que são considerados time "copeiro", né... imaginem se não fosse!

Resultados: Grêmio 1 x 2 Universidad Católica / Universidad Católica 1 x 0 Grêmio


  • Internacional - O dito Campeão de Tudo depois dessa pode ser chamado de Eliminação Escrota em Tudo. Comemoraram feito loucos ao saber que enfrentariam um time de múmias nas oitavas-de-final, o Peñarol. Só não imaginavam que o Faraó ressussitaria esse time e os desse força (não muita) para eliminarem os fracos gaúchos, que acreditaram que o futebol uruguaio estava morrido.

Resultados: Peñarol 1 x 1 Internacional / Internacional 1 x 2 Peñarol


Outros jogos das oitavas:

  • Santos x América do México: Confronto sonolento, decidido nos pés de Paulo Henrique Pato. Serviu para os santistas se gabarem de serem os únicos brasileiros a passarem das oitavas. No agregado: Santos 1 x 0 América
  • Jaguares de Chiapas x Junior Kyle Barranquilla: WHO CARES? Agregado: Jaguares 4 x 4 Junior (Jaguares classificado pelo gol fora. Foda-se, nunca ganharia a Libertadores mesmo!)
  • Vélez Sarsfield x LDU: Talvez o único motivo da alegria do Fluminense tenha sido a eliminação da LDU. Os fortinhos trucidaram, no agregado: Vélez 5 x 0 LDU
  • Estudiantes x Cerro Porteño: Idem ao de cima, só que para o Cruzeiro. Mas esse foi mais apertado, no agregado: Cerro 0 x 0 Estudiantes (5 a 3 pro Cerro nos penais)

Quartas-de-finais[editar]

Era isso o que tínhamos que aturar...

Um pouco mais emocionante que as oitavas-de-finais, as quartas de finais apontaram o time que seria o grande favorito a vencer a Libertadores, devido a suas meteóricas partidas em que destroçavam seus adversários: o Vélez Sarsfield. Depois de eliminar exemplarmente a LDU, grande rival do Flu, passaram o carro no Club Libertad, outro time odiado pelos tricolores. Enquanto isso, o Santos e Peñarol(com ajuda do goleiro do Universidad) se classificavam com certa dificuldade e apareciam como candidatos a talvez tirar o título das mãos dos argentinos. O outro classificado para as semis, o Cerro Porteño, não metia medo nem em uma criança com Síndrome do Pânico.

Agregados:

  • Once Caldas 1 x 2 Santos
  • Jaguares 1 x 2 Cerro Porteño
  • Vélez 7 (ui!) x 2 Libertad
  • Peñarol 3 x 2 Universidad Católica

Semifinais[editar]

Bem mais emocionante que as quartas-de-finais, as semifinais nos reservaram dois ótimos confrontos, principalmente para aquele público que gosta de tirar uma soneca ou que gosta de assistir aos desfiles de lingeries que passa no Superpop. Tivemos uma grande surpresa, que foi a eliminação do Vélez Sarsfield, que, convenhamos, já estava com a taça na mão, mas talvez tivesse sofrido um pouquinho de Síndrome de Cruzeiro, de achar que já está classificado quando não está.

Agregates:

  • Santos 4 x 3 Cerro Porteno
  • Vélez Sarsfield 2 x 2 Peñarol (Peñarol classificado na maldita regra do gol feito fora de casa.)

Finais[editar]

Ganso, você quer ganhar a Libertadores?

Os jogos mais esperados da América no ano (mesmo que tenhamos Copa América no mesmo ano) aconteceram nos dias 15 e 22 de junho de 2011. Na primeira partida, em Peñarol Montevidéu, empate tosco em 0 a 0, talvez pela ausência do eternamente machucado Paulo Henrique Ganso da parte do Santos. Os carboneros até tentaram em algumas jogadas de bola alçada o gol, mas perderam chances até dizer chega, e o placar foi merecido.

Na segunda e derradeira peleja, o Santos preferiu jogar no Pacaembu ao invés de jogar no Morumbi, com medo de não conseguir lotar o estádio. Com toda a sua técnica e seu saco puxado pela imprensa, não conseguiu jogar bem o primeiro tempo, a ponto de fazer com que os inflamados torcedores aurinegros acreditassem em um título em plena São Paulo. A melhor coisa pro Santos aconteceu quando Neymar acertou um chute violento no seu comedor, Alejandro González (que não o desgrudava desde o jogo de ida), recebendo apenas o cartão amarelo e tirando o uruguaio do jogo. Vale ressaltar que no jogo de ida, González mal tocou em Neymala e já recebeu um cartão amarelo, com direito a encenações do menino mala. Concluímos então, que se fosse ao contrário, se González acertasse um chute violento em Neymar, certamente o uruguaio seria expulso.

Mas no segundo tempo, brilhou a estrela de Neymar, que deveria ter sido expulso e aproveitou a entrada de um perna-de-pau no lugar de Alejandro González. Depois de passar uma tinta mais brilhante em seus cabelos, a joia confundiu a marcação do lateral ruim e logo fez um gol. Depois foi a vez de Danilo deixar o dele e Zé Love perder um caminhão de gols, mostrando que não merecia ganhar a América. O gol contra de Durval, que deu uma de Durval, deu aquela esperança esperta para os jogadores e a torcida do Peñarol, que, acredite, gritava mais que a torcida do Santos. Assim, concluímos que o Santos foi campeão graças ao apito amigo e por falta de adversários melhores nesse campeonato.

Libertadores 2011
Neymar Futebol Clube.png
NEYMAR
Campeão
(3º título)

Ver também[editar]