Colt Python

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Vítima recebendo por trás um disparo de Colt Python.

Colt Python é uma revólver de fabricação estadunidense. Muito útil para caçar bandidos, matar baratas e explodir a cabeça de zumbis errantes.

Apesar de ser bem prática de carregar, e de ter um poder de fogo putaqueparivelmente grande, ninguém usa essa arma. O motivo? Um único pente de balas para essa arma custa o mesmo que a sua casa!

Apesar do valor alto, as balas .357 Magnum não são feitas de ouro. Elas são produzidas a partir de uma mistura entre kryptonita, metal maciço e urina do Steven Seagal.

História[editar]

Como todos os que assistiram Supernatural sabem, os revólveres do modelo Colt são os mais poderosos do mundo, e podem matar qualquer coisa, incluindo aberrações. A única coisa que eles não matam é a sua sogra, até porque esse demônio não é aceito nem mesmo no inferno.

O grande problema é que os revólveres "comuns" do modelo Colt não tinham a capacidade de matar zumbis, até porque esse tipo de criatura morre apenas após ter tomado um headshot. Para solucionar esse problema, alguns estadunidenses desocupados resolveram bolar o Colt Python, arma revolucionária que automaticamente mira na cabeça dos inimigos. Como o poder de fogo é extremamente elevado, obviamente, a cabeça dos inimigos explode, e eles morrem instantaneamente.

Apesar dessa arma perfeita, os membros da S.T.A.R.S ainda preferem ficar usando Berettas da vida, talvez porque essa é a arma mais barata e vagabunda de todas.

Atualmente, existem apenas poucas Colt Pythons espalhadas pelo mundo. A maioria está na mão de milionários gordos, enquanto que uma está escondida atrás de uma estátua em formato de tigre na mansão de Resident Evil 1.

Crítica[editar]

  • Chris Redfield: Essa arma é uma maravilha, salvou minha vida muitas vezes! Se eu não tivesse ela, com certeza teria virado petisco de zumbis, pois se eu dependesse apenas da pistolinha da Jill e da carabina de caipira...
  • Tyrant: ... ... ... ... ... ... ... ... ...

Ver também[editar]