Cofrinho da Cruz Vermelha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cofrinho da Cruz Vermelha é onde os voluntários da Cruz Vermelha botam o dinheiro e o sangue dos transeuntes que se dispõem a contribuir com a causa.

História[editar]

Chaves mostrando o primeiro protótipo do cofrinho da Cruz Vermelha, cuja violação é impossível.

O primeiro cofrinho da Cruz Vermelha surgiu com a criação da Cruz Vermelha, em 1859, já que o criador da porra toda, Henry Dunant, não estava disposto a colocar o próprio dinheiro e sangue no projeto, ele preferia trabalhar com os recursos financeiros e sanguinários dos outros. A princípio, o design do cofrinho possuía apenas uma boca, onde o dinheiro deveria entrar, porém sabendo que os pedestres iriam dar a desculpa de que estavam sem nada no momento, mesmo estando com a carteira recheada com notas de 100 cruzeiros, Dunant incluiu também um buraco redondo, para as contribuições com sangue.

Também não estando disposto a pedir o dinheiro por conta própria, já que não estava disposto a ficar brigando com os marreteiros vendedores de Snickers e com os vagabundos que ficam pedindo dinheiro nos vagões dos trens, Dunant teve uma ideia, a de recrutar voluntários para trabalhar de graça para ele, dessa forma ele não teria gasto algum e no fim do mês ainda teria lucro, com a lavagem de dinheiro dos cofrinhos.

Para evitar que os voluntários, sem querer querendo, acabassem "perdendo" as quantias depositadas nos cofrinhos, Dunant utilizou uma tecnologia da Nasa, que impede que a mão de garotos mortos de fome que vivem nas periferias do México entre nos cofrinhos. Também não é possível enfiar a mão no buraco do sangue, mas acho que com exceção do Drácula e do Temer, ninguém iria querer o sangue mesmo.

Atualmente[editar]

Os cofrinhos da Cruz Vermelha continuam circulando por aí, quando você menos esperar, aparecerá algum pobre diabo pedindo uma ajuda para a Cruz Vermelha. E diferente do que acontece com os moleques que fazem malabarismo com laranjas no semáforo, você não terá escapatória, já que se disser que não tem dinheiro, o voluntário irá propor a doação de sangue, que é feita através de um cruzado de direita no seu nariz.