Cláudia Ohana

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.

Cquote1.png Você quis dizer: Floresta Negra Cquote2.png
Google sobre Cláudia Ohana

Cquote1.png Então, quer dizer que não pode raspar os pêlos da buceta? Raspar não pode? Não pode raspar?... Cquote2.png
Marília Gabriela entrevistando Cláudia Ohana
Cquote1.png Aleluia! Ela não é da minha igreja, mas segue a tradição de não se depilar! Amém! Cquote2.png
Menina Pastora Louca sobre Cláudia Ohana
Cquote1.png Ela tem mais pêlo do que eu! Cquote2.png
Bin Laden sobre Cláudia Ohana
Cquote1.png Ela aderiu a minha moda dos pêlos compridos, me copiou! Cquote2.png
Tony Ramos sobre Cláudia Ohana
Cquote1.png O que é isso? Ela tem mais pêlo na buceta do que eu tenho na cara. Cquote2.png
Enéas Carneiro sobre Cláudia Ohana
Cquote1.png Mas que buceta maravilhosa!!! Cquote2.png
Punheteiro viciado em bucetas peludas sobre Cláudia Ohana

Claúdia Ohana, o que um Photoshop não faz.

Cláudia Ohana, nome artístico de Maria Cláudia Carneiro Silva (Rio de Janeiro, 6 de fevereiro de 1963) é uma pseudo-atriz de origem luso-brasileira sefardi. Filha de Nazareth Ohana com o pintor Arthur José Carneiro. Tem uma irmã mais velha chamada Cristina e é meia-irmã do escritor João Emanuel Carneiro.

Dados biográficos[editar]

Dona da maior protuberancia pubiana da tv brasileira, iniciou a carreira no cinema pornô em 1979, em Amor e traição. Depois faria outros filmes conhecidos, como Menino do Rio (1982), Erendira (1983), Ópera do Malandro (1985), Luzia homem, o traveco (1987), Kuarup (1989) e Erotique (1994).

Na TV, sua primeira aparição foi no seriado Obrigado, Doutor, em 1981. Depois ela atuaria nas novelas Amor Com Amor se Paga, em 1984 e Tieta, em 1989, onde fez uma curta participação como Tieta moça (nessa época ela ainda era moça). Atuou também nas novelas Fera Ferida (1993/1994), A Próxima Vítima (1995), Zazá (1997) e As Filhas da Mãe Puta (2001). Porém, a novela mais marcante de sua carreira foi Vamp, onde ela vivia a vampira emo-roqueira Natasha, sua personagem de maior sucesso entre o público. Para a trilha dessa novela, ela mesma cantou "Sympathy for the devil" dos Rolling Stones. Ela afirmou que, na época de Vamp, mal podia sair de casa, devido ao assédio dos fãs que queriam ver asua xana, e que começou a gostar de trabalhar na TV graças a essa novela.

Depois de um acordo secreto com Silvio Santos, onde resolve doar seus pêlos pubianos para que Jassa fisesse uma peruca para o "patrão", em troca de trabalhar na primeira fase da novela Canavial de Paixões, no SBT, o único trabalho fora da Rede Globo.

Claudia primeira aparição na playboy se nota que ela tem muito poucos pelos pubianos, depois dessa Claudia nunca mas pousou para nenhuma revista porque será?


Claudia posou para a revista Playboy em 1985 e em novembro de 2008, onde seus vastos pêlos públicos ficaram registrados para a posteridade, conhecidos como "calcinha de pelúcia".

Em 2009, participou do Concurso Xanas Selvagens, que escolheria a xana mais peluda da TV brasileira, alem de Cláudia Ohana, participaram: Gyselle Soares, Íris Stefanelli, Paloma Duarte, Analice Nicolau, Regiane Alves, Carol Castro Danielle Winits e Bárbara Borges. A vencedora foi, é claro, Claudia Ohana, os jurados inclusive disseram que mesmo que juntassem todos os pêlos de todas as candidatas concorrentes não davam a metade dos pêlos de Ohana! No mesmo mês, ela entrou para o Livro dos Recordes como a dona da maior e mais peluda xana do mundo!

Mesmo 20 anos depois, ela ainda não aprendeu a depilar a xota.

Telenovelas[editar]

Outras participações[editar]

Filmografia[editar]