Cartoonfilia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Hentaifilia? Cquote2.png
Google sobre Cartoonfilia

Cquote1.png Isso é doença! DO-EN-ÇA!!! Cquote2.png
Alborghetti sobre Cartoonfilia
Cquote1.png Pai! Por que minha revista da Mônica está toda grudada? Cquote2.png
Criança inocente sobre Cartoonfilia
Cquote1.png A Margarida não usa calcinha! Rã-rãrã...Ooooooowwwngh...GOZEI! Cquote2.png
Cartoonfílico sobre Cartoonfilia
Cartoonfilia é uma vertente sexual muito praticada por internautas, adolescentes, otakus e nerds em geral, consistindo no ato de se masturbar para um personagem de desenho animado.

Uma abordagem geral[editar]

A cartoonfilia é uma doença mental assim como o Complexo de Édipo. Ele se torna mais grave conforme aumenta a velocidade da banda larga e a definição do monitor. Um cartoonfílico consegue ver pornografia desde onde aparece a calcinha da Minnie, até os sites pornográficos com a Kim Possible.

Históricamente, a cartoonfilia que conhecemos hoje teve uma grande evolução no decorrer dos séculos. Desde a era rupestre temos as fotonovelas eróticas desenhadas. Com o tempo, na Idade Média, foram proibidas as representações de nu total, contudo, por as representações artísticas da época remeterem as mulheres da época, a enorme quantidade de pêlos cobria os seios e vagina, não fazendo muita diferença uma tarja.

Atenção! Abaixo veremos putaria em nível doentio!

Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.

Tipos mais conhecidos de Cartoonfilia[editar]

Se isso te atrai, você tem a Síndrome de Hanna Barbera
Jane Jetson a puta mais ousada
Para um Cartoonfiliaco Incesto de Bart e Lisa Simpson é bom.
  • Síndrome de Hanna-Barbera: Marcada principalmente pelo tesão pelas personagens femininas de Flintstones e Jetsons, geralmente em cenas de incesto. Na verdade, por todos os desenhos da Hanna-Barbera serem iguais, não importa muito a personagem. É um nível médio da doença, agravando-se proporcionalmente ao aumento dos seios da Pedrita.

Quem adquire a síndrome de Hanna-Barbera geralmente tem comportamentos que podem denunciar aos pais um adolescente a tempo da cura. Sintomas:

  1. Entrar no banheiro para bater punheta e sair pelo quarto - Como nos desenhos, o adolescente passa a estranhamente entrar por uma porta e sair por outra. Acompanhado disso, muitas vezes poderá ser encontrado esperma na gaveta de verduras após ele sair pela porta da geladeira.
  2. Animais falantes - Seu filho está andando com animais falantes? Suspeite! Ao contrair a Síndrome de Hanna-Barbera, os animais falantes passam a apreciar a amizade do adolescente, em alguns casos participando das seções de masturbação em frente ao computador.


  • Síndrome de Japonês Tarado: O doente começa a encontrar sensualidade em Sakura Card Captors. Quando menos se espera ele está fazendo sexo com a capa do DVD de A Lenda do Demônio e com miniaturas da Sailor Moon.
Flagra! Doente terminal da Síndrome de japonês tarado pego no metrô vendo hentai

Sintomas:

  1. Tarjas de censura pelo corpo: Fique de olho em seu filho ao sair do banho, ou se trocar. O adolescente com a Síndrome de Japonês Tarado desenvolve um estranho fungo nas partes íntimas de seu corpo que ficam em forma de quadrinhos de censura.
  2. Sangramento nasal: Esse é o sintoma mais importante no que se trata da Síndrome de Japonês Tarado. Se seu filho ou amigo está sempre com algodão no nariz, fique atento! Quem contrai a Síndrome de Japonês Tarado sangra pelo nariz sempre que assiste à um Hentai ou joga Street Fighter 2 com a Chun Li.


  • Mal de Walt Disney: Um dos mais graves tipos de Cartoonfilia existentes. O Mal de Walt Disney não é patológico, mas sim contraído por meio de Mensagens Subliminares existentes nos desenhos da companhia citada.

Os estágios se agravam conforme o desenho, sendo que no último estágio já foi constatada a masturbação por fotos da Fiona, da animação Shrek.

O Mal de Walt Disney, tem diversas sub-categorias, todas subversivas e cada uma incentivando um tipo de perversão sexual. Vejamos algumas:

  1. Mal de Adan Beast - Provocado pelo filme A Bela e a Fera, gera nas crianças e adolescentes o desejo sexual por sexo com animais, além do furrysmo. Relatos recentes apontam que foi o último filme visto pela atriz Mônica Mattos antes da famosa cena com o cavalo.
  2. Mal de Pomme Empoisonnée - Originalmente descoberto na França, trata-se do mal adquirido após 4 seções de Branca de Neve. Desperta o desejo sexual por grupos, geralmente de sete, sendo um homossexual. Gera também a parafilia por anões. Geralmente atrizes da empresa Brasileirinhas são obrigadas a assistir ao desenho antes de cenas com ex anões do Pânico na TV.
  3. Mal de Cinderela - Desejo incontrolável de sexo com empregadas domésticas e faveladas é um dos sintomas geralmente relatados após assistir à Gata Borralheira. Pessoas que não sabem exatamente o que é Borralheira podem também adquirir tesão por fezes e coprifilia.
  • Doença de CNetwork: Representada pela tara por personagens mau desenhadas, geralmente de desenhos da tv a cabo, em canais como Cartoon Network, Boomerang e outros do gênero. Iniciou-se como uma doença controlada, mas passou a ser considerada pandêmica após a compra dos desenhos pelo SBT.

Sintomas comuns:

  1. Visualização de fotos nuas da Kim Possible
  2. Visualização de sexo entre os Padrinhos Mágicos
  3. Tesão gay pelo Ben 10

A cura para esse veneno, infelizmente é mais veneno. À medida que cresce, o doente passa a perder o tesão por esses desenhos passando para estágios como Scooby Doo até chegar à Druuna.

A cartoonfilia durante os séculos[editar]

  • O primeiro registro de cartoonfilia nos anais médicos foi do jovem Steve Metocando, flagrado nos anos 40 em uma sala de cinema de Nova Jersey se masturbando para um pôster da Betty Boop. Steve foi indiciado por atentado violento ao pudor, pois Betty era virgem.
  • Sabemos através da arqueologia, que os desenhos pornográficos sempre existiram, mesmo na época das cavernas.
  • No Egito antigo, fazia parte do ritual de iniciação da maturidade ejacular no rosto de uma pintura de Cleópatra. Os que não conseguiam eram obrigados a andar com braços em forma de "Z" e a mão quebrada para a frente para o resto da vida. Uma representação da palavra "ZIFUDEL", que significa bicha azarada em egípcio.
  • Muitos marinheiros tatuavam mulheres em suas bundas durante a época das grandes navegações. Prática que se estende até hoje na Marinha. Isso porque dessa forma, poderiam ser identificados os marujos com cartoofilia, a medida em que era praticada a tradicional transa gay em alto mar.
  • Durante as cruzadas, muitos não cristãos foram assassinados brutalmente após o Rei Ricardo encontrar uma versão pornô da bíblia, que narrava as aventuras sexuais dos conhecidos personagens.

Ver também[editar]