Cadáver

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PoR-Death.gif Cadáver já morreu!

Já foi tarde!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Aranha feliz1.jpg Este artigo é relacionado à biologia.

Não estranhe se ler que fruto e fruta são coisas diferentes.



Cquote1.png Experimente também: Presunto. Cquote2.png
Sugestão do Google para Cadáver
Cquote1.png Não querem que os defuntos levantem e peçam desculpa de ter morrido? Cquote2.png
Ratinho diante dos argumentos dos advogados de Susane e os Cravinhos sobre cadáver.
Cquote1.png Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver, dedico, com saudosa lembrança, estas memórias póstumas. Cquote2.png
Machado de Assis sobre cadáver.
Cquote1.png Huuum... comida. Cquote2.png
Hannibal sobre cadáver humano.

Cadáver é qualquer organismo que acabou de levar um kik da morte, sem direito a beijinho, e agora só serve de alimento, ou para estudou, ou para adubo.

Aspecto de um cadáver[editar]

Morte se surpreendendo com outro cadáver fujão.
Presuntinho sendo fatiado em aula de culinária.

O aspecto de um cadáver humano é dos espécimes mais interessantes de se estudar: nota-se minutos após a morte que o sangue para de circular e a palidez toma conta da face, se os olhos estiverem abertos pode até lembrar um vampiro tipo Crepúsculo, principalmente se for abaitolado.

As unhas, cabelos e pentelhos continuam a crescer, se for um cara que tinha cabelos até nos ouvidinhos singelos, ele vai estar lá no caixão a crescer sem maiores problemas, esse então seria o próprio conde Drácula, isso sem contar as olheiras que estaram mais roxas do que nunca... e se você acha que em poucos dias só estará o esqueleto faça uma pesquisa em necrotérios e cemitérios: o defunto até se mexe, se lhe forem dados impulsos elétricos, já que esses substituiriam a energia vital, até mesmo lindas caretas o cérebro é capaz de mandar como mensagem, mesmo morto.

Os fluidos corpóreos (que chique) deixam espectros pela posteridade afora que criam fantasmas dos mais bonitinhos, a maioria deles com o aspecto que o defunto tinha. Nem a múmia consegue esse aspecto, já que a idéia de múmia era se parecer ao máximo com o que era em vida. No caso do cadáver múmia, ora, aquilo nada mais era do que os egípcios quererem a clonagem e nada daquelas asneiras que ensinam nas aulas de história. Esses cadáveres múmia sãotão bem feitos, que criaram a ideia de que andam por aí, mas é claro que isso é noia, apenas a Maldição da Múmia é que anda por aí, pra quem quiser experimentar.

Venham os vermes[editar]

Nem sempre o que cheira como se fosse é um cadáver.
Cadáver ficando saradão para a aula de anatomia.

Todo mundo que perambula por aí um dia deixará seu cadáver para ser consumido por vermes ou o que seja, de um jeito ou de outro a natureza dá um jeito de aproveitar mesmo quem nunca serviu pra nada, ora, os humanos comem toda espécie de cadáveres: boizinho, carneirinho, gafanhoto, peixe, ... mas, não pense que a única forma do chique e interessante cadáver humano ser comido é se encontrar um tigre esfaimado e sem nada melhor pra comer, não, não, também não é só encontrando um Hannibal Lecter pela frente: o cadáver humano é comido de alguma forma, embora por causa da vedação das lápides que é hermética, apesar de não chegar na sola do sapato da mumificação mas, conserva, assim mesmo é comido pelos vermes. Conclusão: já que será comido mesmo, saia agora mesmo, alegremente, dando por aí.

Falando em dar por aí, quando um cadáver perambula ele costuma ser uma espécie de zumbi mas, não necessariamente anda com as mãos esticadas, a não ser que queira grudar no pescoço de alguém. Andando o defunto não perde os ares de cadáver, podendo ser amarelado ou branco igual papel, pode exibir lábios aroxeados ou pretos, e no geral eles gostam de se esconder em casas velhas (tendo ou não moredores vivos nela), ou em árvores grandes e também antigas mas, não ligam quando um cachorro faz xixi nelas: eles implicam mais com os humanos porque a treta não é interespécies e os negócios pendentes sempre tem a ver com outras pessoas.

Ver também (bem de perto)[editar]