Caça às bruxas por diversão e lucro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Maezena.jpg Zé Pilintra aprova Caça às bruxas por diversão e lucro. Saravá meu pai ê-ê!

Este artigo é piada de macumbeiro.

Nota: Não aceitamos passe como forma de pagamento.


O filme de 1974, O General Que Procura Bruxas, com os comediantes Vincent Price e Samuel L. Jackson, é a primeira versão em filme desse livro.

Cquote1.png Seja educada e jogue mais uma bruxa no fogo por favor, querida. Cquote2.png
Noel Coward sobre Caça às bruxas
Cquote1.png Já falei que não sou bruxa! Sai pra lá com essas tochas, ou vou mandar o Satanás te morder! Cquote2.png
Bruxa do 71 sobre Caça às bruxas
Cquote1.png Em Togo, o lucro bruxifica a caça de sua diversão Cquote2.png
Inversão Togolesa sobre Caça às bruxas por diversão e lucro

Caça às bruxas por diversão e lucro' é um livro best-seller, originalmente pubilicado no final do século XVI. Ele fez um grande sucesso na Alemanha e na Inglaterra. e depois foi levado à América, onde também conseguiu alguma fama. Reescrito nos anos 50, Caça às bruxas por diversão e lucro é um dos livros mais vendidos até hoje.

Junto com Malleus Maleficarum ("O Martelo das Bruxas") e Fim de Semana na Bernie II ("A Bigorna das Bruxas"), Caça às bruxas por diversão e lucro é um dos principais trabalhos da área.

Contéudo[editar]

Para ajudar seus clientes a confessarem, várias técnicas especificamente criadas para esse fim foram usadas, muitas delas ainda em uso no dia de hoje.

Antes do aparecimento da Cartilha da Nova Inglaterra, os estudantes aprendiam a aprender com o livro Caça às bruxas por diversão e lucro, tornando um dos trabalhos mais populares desde a invenção da imprensa. Até o começo dos anos 90, quando foi substituído pelas Aventuras de Biggles e os trabalhos de Enid Blyton, ele era encontrado em todas as casas e era aclamado por adultos e crianças.

Cquote1.png Na verdade, tu deves cutucar um bruxo ou bruxa suspeitos com algum objeto, preferivelmente fervendo, em regiões como as nádegas ou o calcanhar. Cquote2.png
'

Com um detalhadissímo guia ilustrado demonstrando como os interrogadores podem localizar a "marca do demônio", técnicas de tortura e outras metodologias e instumentos mais clássicos, além de dicas de profissionais para lhe ajudar a lucrar com os objetos confiscados, esse livro é excelente tanto para grandes especialistas no assunto, quanto para os que estão se iniciando no ramo.

Práticas comuns[editar]

Queimar[editar]

Bruxas, assim como os Communistas, são conhecidas por serem extremamente inflamáveis. Luvas resistentes ao fogo devem ser usadas durante todo o processo. Por causa do seu medo ao fogo, queimar é um dos métodos mais populares e efetivos ao se torturar Bruxas, comunistas e chavistas.

Tradicionalmente, queimar na estaca sempre foi o método favorito em toda a Europa e América do Norte, equanto as bruxas gostavam de queimar cristãos em grandes construções formais.

Afogar[editar]

Além de sua natureza extremamente inflamável, bruxas também tem um notável medo de água, fazendo com que uma poça em seu jardim se torne um ótimo lugar para se torturar uma delas. Caso você não encontre uma, também se pode usar uma garrafa de refrigerante ou aquela flor que esguicha água, usada por palhaços. Ou, é claro, você pode simplesmente usar um balde com água, e logo você fará qualquer bruxa gritar "Estou derretendo".

Esmagar a virilha[editar]

Várias competições se tornaram populares nos séculos XVI e XVII, incluíndo a Competição Européia das Línguas Quentes.

Mais um grande favorito, e um dos mais importantes métodos de tortura. Visto recentemente nos jogos de ingleses de Cricket, é um importante membro do arsenal de um torturador.

Furar os olhos[editar]

Executado principalmente com uma grande picareta (ou com um martelo de carpinteiro, furar os olhos não apenas cega permanentemente o seu alvo, mas também pode ser usado para executar lobotomia, destruindo completamente o córtex frontal da vítima. Os praticantes mais famosos desse métodos são os times franceses e sul-africanos de Rugby.

Açoitar[editar]

Muito útil para se conseguir uma confissão, açoitar é um dos melhores métodos para se persuadir bruxas, escravos, e praticamente qualquer pessoa a admitir que eles amaldiçoaram sua mãe, transformaram Leopoldo em um sapo, e/ou tem pacto com o Demo. Também é um passatempo entre clérigos, juízes e membros do parlamento.

Decapitar[editar]

Geralmente usado como "último recurso", a decapitação tem o infeliz efeito colateral de acabar de repente e dramaticamente com a sua diversão tortura. Como um método de tortura é bem ineficaz para se conseguir uma confissão, a não ser que você tente executá-lo com um tijolo ou um botijão de gás.

Críticas[editar]

Enquanto o elemento diversão é imediatamente evidente para os observadores, ou aqueles no raio de alcance dos gritos de excitação, alegria e dor, algumas pessoas dizem que a margem de lucro é muito pequena. Demograficamente, a prática de bruxaria parece ser culpa do desemprego, ou pelo menos isso é o que é geralmente considerado baseado nas análises da quantidade de dinheiro das pessoas torturadas e mortas desde 1500. Por isso, houve um fluxo de dinheiro escandalosamente baixo nas posses.

No presente, um grupo de especialistas foi enviado para pesquisar nas classes trabalhadoras, para verificar se a bruxaria é praticada por muitos deles. Economistas acreditam que tais pessoas serão encontradas e que elas vão ajudar a economia estagnante, além de causar a quase extinção das classes muito, muito baixas..

Autores[editar]

Caça às bruxas por diversão e lucro teve diversas edições, com numerosos autores adicionando novos métodos a ele, sempre mantendo-o atualizado com as mais novas tendências do ramo. Ele também teve uma sequência conhecida como Bíblia. O manuscrito original foi baseado nos diários de Tomás de Torquemada. Desde então, ele foi passado de geração em geração, com grandes contribuições feitas por Samuel Parris, Betty Parris, Abigail Williams, William Griggs, Joseph McCarthy e Adolf Hitler.

Ver também[editar]