Brejo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Experimente também: Valeta Cquote2.png
Sugestão do Google para Brejo

Cquote1.png O que você quer aqui? Cquote2.png

Brejo é um laguinho de águas imundas... Não, nem tanto, são água entre paradas e correntes, a treta é que elas correm com menor velocidade e nos lençóis mais baixos, assim o que fica na superfície é aquele pequeno lago ou um conjunto de pequenos lagos, cheio de criaturinhas vivendo e morrendo alegremente. O brejo é uma parte do pântano, onde há o laguinho e aquela vegetação gozada.

Amantes do brejo[editar]

Sabe quem são os bichos que mais amam o brejo? O primeiro lugar é discutível, mas pode-se apontar os primeiros. Claro que você deve estar pensando que são as sapos e outros anfíbios, e é verdade, os sapos amam os brejos, porque é mais difícil que alguém vá os importunar no brejo do que em uma cachoeirinha linda, e ainda o brejo é cheio de mosquitos, que a macacada detesta e ainda os anfíbios tem a garantia de suas pancinhas forradas. Mas os sapos tem outros amigões que dividem com eles o brejo, além de sua comida. Nos brejos pantaneiros por exemplo e daí que também surgiu o costume de chamar brejos de pântanos. Nos pântanos existem outros que se refugiam quando querem mais sossego. Os jacarés após suas refeições vão dormir no brejo ouvindo o canto das cigarras. Os brejos no Pantanal também abrigam sucuris, mas dificilmente elas brigam com alguém aí, pois já devem ter comido todo mundo... ou apenas uma capivara, e elas já ficam bem satisfeitas e vão descançar no brejo.

Rã se preparando para pular na cara de alguém.

Dessa forma os sapos, rãs e pererecas podem apreciar os jacarés na beira d'água, de barriga pra cima e ainda pular na barriga deles, que os jacarés nem acordam, bem como as sucuris, com que os sapos brincam de por debaixo da cordinha... ou de pular por cima do cordão, tanto faz.

Bovino e macacos primatas oferecendo mais um espetáculo para os habitantes do brejo.

Isso tudo para os sapos e afins, é mais interessante do que brincar apenas com a vegetação, pois a vegetação se mexe apenas com o vento, nem ocorre a liberação de adrenalina de quando os bichões e bichonas ameaçam acordar e eles fugirem aos pulos. A vegetação eles usam mais para se esconder e descansar, os bichos grandes sequer dão mais do que um grunhido ou um bote involuntário e voltar a dormir.

Os sapos mesmo, ninguém perturba, acham eles feinhos demais e as cobras(que não são as sucuris), pegam anfíbios apenas quando não acharam nada melhor, até porque se acharem um com o veneno mais forte que o delas, podem se foder. Os grilos ao acharem um sapo, ficam pouco à vontade, por já estarem mais acostumados com as pererecas, mas eles também, nem eles nem as cigarras, são dos insetos preferidos dos sapos para alimentação, talvez por serem verdinhos e pularem.

A vaca[editar]

O brejo sempre é bem melhor do que um tufão.

A vaca é outro animal que ama o brejo. Nem se sabe se elas se atolam neles para aliviar o estresse e deixar a pele macia após se atolarem no fundo do brejo, ou se elas querem ir até o brejo para se divertir. Nem todos os bichos gostam das vacas nos brejos, mas ninguém reclama muito, somente o dono da vaca. Quando vai a macacada tirar a vaca do brejo, na maioria das vezes contra a vontade dela, pois se quisessem mesmo sairiam sozinhas, alguns dos animais do brejo não gostam da balbúrdia, outros se divertem vendo o baile.

Brejo num período de calma, com saudade dos atolamentos.

Depois disso tudo, quem tem que reformar o brejo todo, são seus próprios moradores, pois os donos da vaca nem se importam em deixar um valor simbólico ou ajudar a por uma pedrinha no lugar que seja. Depois disso eles tem que deixar tudo em ordem novamente, e até que se saem bem nisso, depois o brejo fica mais bonito até do que antes... mas lá aparece a vaquinha pra tomar banho no fundo do brejo novamente, mas nunca se sabe quando ela vai ter sorte de ser desatolada por seus donos antes que apareça um jacaré ou uma sucuri faminta, que não conseguiu achar um quati ou uma capivara e a vaquinha pode se foder antes de se divertir chafurdando no brejo assim como ela vê os porquinhos chafurdando na lama.

Depois de aprender tanto sobre o brejo, deixe eles relaxarem, e aprenda ainda como se mijar na água aproveitar um banho relaxante.

Quando a vaca, nem é comida, nem gosta demais do bainho para nem querer sair dele, tendo que ser resgatada, ela mesma se vai após uma interação com alguns animais do brejo, e se vai com o rabo entre as patas de volta para o curral, demorando algum tempo para voltar a encher o saco no brejo.

Ver também, se quiser[editar]