Breath of Fire

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Breath of Fire é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Joanna Dark mata o ET Elvis acidentalmente (ou não).


Bitch of Fire
Breathe of Fire.png
logo da série
Gênero RPG
Desenvolvedor Capcom
Publicador Capcom
Plataforma de origem PlayStation 2
Primeiro lançamento Breath of Fire (1993)
Último lançamento Breath of Fire 6 (2016)

Cquote1.png Hadouken! Cquote2.png
Ryu sobre único diálogo falado dos jogos
Cquote1.png ... Cquote2.png
Todas as falas de Ryu de todos os jogos
Cquote1.png Sinto falta de você dentro de mim Cquote2.png
Fou-Lu tentando convencer Ryu a entrar dentro dele de novo

Bitch of Fire é um Final Fantasy com nome diferente e personagens sem personalidade. Para zerar qualquer jogo da série, o único botão necessário é o "X".

Todos os "Bitch of Fire" possuem o mesmo enredo, Ryu, um moleque mudinho que pode se transformar em dragão, é o escolhido pelo destino para salvar o mundo, e por isso sai por aí matando gelatinas e vilões psicóticos. Ao longo do caminho, ele vai recrutando vários mutantes excluídos, com destaque especial para Nina, uma loira maga com asas que aparece em todo santo jogo.

Criação da série[editar]

Uma emocionante luta contra um chefão.

Depois do sucesso de Street Fighter e Mega Man, a Capcom achou que precisava ganhar mercado. Para isso, usou seu mascote, Ryu, para atrair a atenção de todos para uma nova série, pintando seu cabelo de azul. Nascia aí o Bafo de Fogo.

Ryu transformado em dragão.

A maior "inovação" que esses jogos iriam trazer era que Ryu não mais precisava fazer meia lua pra frente e soco para executar o Hadouken, você deveria ficar andando como um demente até encontrar uma luta, e seguir por menuzinhos complicados de mais para um macaco usar, até finalmente encontrar o "Hadouken", e se tiver barrinha de especial suficiente, executa o golpe.

Sucesso instantâneo, o jogo vendeu mais de 2 bilhões de cópias em todo o mundo segundo os produtores, e 50.000 segundo todas as outras fontes. Jamais saberemos quem disse a verdade.

Diferenciais[editar]

A maior (possivelmente única) diferença de Breath of Fire em relação a outros jogos do gênero como Pong ou Tibia, é que o personagem principal (Ryu), sempre tem a capacidade de se transformar em algum tipo de dragão gigante, que então funciona como qualquer outro personagem.

Embora não seja lá grande coisa, é a única coisa que impediu a Capcom de levar processos de plágio de empresas como a Quadrado e a Enix, que depois até se fundiram para derrubar a Capcom, mas seus advogados infelizmente não tinham level suficiente.

Além disso, transformar-se em dragão é pre-requisito para que Ryu possa derrotar outros dragões gigantes, cobras lunares, caminhões de lixo, portas falantes e outros monstros estranhos de RPG, os quais são mais fortes do que Bison, por mais difícil que seja acreditar nisso.

Chun-Nina[editar]

Para economizar os custos, mantiveram a roupa.

Para conseguir o papel de protagonista feminina da nova série, Chun-Li teve de passar por grandes modificações. Seu cabelo foi pintado de loiro e colaram duas asas de papelão nas costas. Invariavelmente fica com Ryu no final, usa cajados e magiazinhas de vento. Através do código ultra secreto que ninguém ainda descobriu, é capaz até mesmo de usar o golpe da perninha.

Enredo[editar]

O mal irá dominar o mundo. Você é o herói que vira dragão. Encontre a mocinha bonita, elimine o mal e viva feliz para sempre.

...o quê? Esperava algo inovador?

Grandes Feitos[editar]

  • Primeiro RPG com fadinhas, ou não.
  • Primeiro RPG com herói de cabelos azuis, ou não.
  • Milésimo RPG com herói que usa espadas.
  • Prêmio de melhor RPG do ano pela academia de jogos do Zimbábue.
v d e h
Breathe of Fire logo.png