Bal-Sagoth

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira da Inglaterra.png GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Câmara dos £ordes.

Certamente, paraguaios, franceses e alemães odiarão este artigo!
Vento-bandeira 1.jpg
Night creature.JPG Bal-Sagoth surgiu das trevas!!

Vamos mergulhar o mundo nas trevas!!

Puro osso.gif


Bal-Sagoth
Balsagoth formacao.jpg
Primeira formação do Bal-Sagoth
Origem {{{origem}}}
País Flag of the United Kingdom.svg Inglaterra
Período 1 A.C. - atualmente
Gênero(s) {{{gênero}}}
Gravadora(s) {{{gravadora}}}
Integrante(s) Byron Roberts
Jonny Maudling
Chris Maudling
Paul "Wak" Jackson
Alistair MacLatchy
Ex-integrante(s) Jason Porter
Vincent Crabtree
Leon Forrest
Dave Mackintosh
Dan Mullins
Mark Greenwell
Site oficial {{{site}}}



Cquote1.png Você quis dizer: Conto de Fadas para TrOO Cquote2.png
Google sobre Bal-Sagoth

Cquote1.png O título é mais comprido que a música! Cquote2.png
Pessoa normal sobre o título das músicas.

Cquote1.png What??? Cquote2.png
Senhor Donizildo sobre o título das músicas.

Cquote1.png Que papo é esse Willis? Cquote2.png
Arnold sobre canções do Bal-Sagoth.

Cquote1.png Ph'nglui mglw'nafh wgah'nagl fhtagn. Cquote2.png
Cthulhu sobre Bal-Sagoth

Cquote1.png Não é aquele escritor inglês? Cquote2.png
Você sobre o vocalista Byron Roberts

Cquote1.png Eles são épicos mas não são Power Metal. Cquote2.png
TrOO sobre Bal-Sagoth

Cquote1.png Você traiu o movimento Power Metal véio. Cquote2.png
Dado Dolabela sobre Bal-Sagoth


Bal-Sagoth é uma banda que segue uma linha épica e que conta contos de fadas para marmanjões cabeludos, que se vestem como se estivessem na Idade Média e que tem espadas em casa. Em suma, é uma banda para jogadores de RPG, para trOOs e para qualquer um que aguente o enlouquecedor chamado de Cthulhu.

História[editar]

Os membros da banda se preparando para empalar algum Deus antigo.

Datado de uma época anterior a Dizâs Chraist, o Bal-Sagoth surgiu quando a Pangéia ainda existia. Certo dia, cinco homens da caverna se reuniram para despertar o capeta Cthulhu, depois que o Grande Antigo Senhor Dos Sonhos Lorde Do Abismo A Hidra Sem Nome acordou do seu soninho de beleza mostrou sua gratidão fazendo uma suruba com eles invocando um feitiço e dizendo:

-Ph'nglui mglw'nafh wgah'nagl fhtagn gguhrtkn'noll!

Então os homens da caverna se transformaram nos emissários fodônicos do Deus Metal, atormentando emos, posers e dragões incautos.

Membros[editar]

  • "Lord" Biroca Byron Roberts: Descobriu seu talento enquanto caçava um Tiranossauro Rex, sem querer ele pisou num espinho e gritou com tanta força que o dinossauro caiu morto. Para não matar todos que ouvissem sua voz, Roberts treinou com Bruce Dickinson e com Detonator. Á partir daí ele só canta para poder invocar algum Deep One.
Momento Star Wars do Bal-Sagoth.
  • Chris Rock Maudling: Chris queria morar em Atlantida mas os habitantes de lá não deixaram, puto da vida, ele resolveu invocar The Dreamer in the Catacombs of Ur para lhe ajudar em sua vingança. Então The Dreamer in the Catacombs of Ur deu para Chris uma guitarra. Ele fez um solo tão fudido que acabou afundando Atlantida. Ele é conhecido como o (a)fundador daquele reino.
  • Jonny Maudling: Irmão do Chris, quando seu irmão afundou Atlantida ele ficou com inveja e resolveu destruir um reino também. Então ele fez um ritual e incorporou The Ghosts of Angkor Wat e aprendeu a tocar teclado. O solo foi tão forte que A Black Moon apareceu e Broods Over Lemuria para anunciar o fim daquele reino. Não deu outra, Lemuria foi pro saco.
  • Alistair MacLatchy : Uma vez ele ouviu A Tale From The Deep Woods que dizia que se alguém matasse um Draconis Albionensis ganharia um presente do Deus Metal. MacLatchy caçou, matou, estuprou e empalou um dragão. Ele ganhou um alto baixo e tocou tão forte, que a terra tremeu e a Pangéia começou a se dividir e a formar continentes.
  • Paul Quac "Wak" Jackson: Ele só tocava tambores de guerra para proclamar The Splendour of a Thousand Swords Gleaming Beneath the Blazon of the Hyperborea, mas durante uma batalha épica Paul estourou os tímpanos dos seus inimigos e foi abençoado pelo Deus Metal que mutiplicou seu tambor até virar uma bateria fodônica de destruição em massa.

A Música do Bal-Sagoth[editar]

A típica música do Bal-Sagoth possui os seguintes elementos:

  • Palavras sem sentido. Exemplo: R'acan Ahalgana chamiabac ahalmez ahatocob tocapa chiamiaholom ahchami.
  • Mais palavras sem sentido. Outro Exemplo: Ka-kur-ra Zul'tekh Azor Vol-thoth Xuk'ul Kur'oc Gul-Kor.
  • Cthulhu, ou algum outro Great Deep One.
  • Alguma coisa relacionada com H.P. Lovecraft (ou não).
  • Alguma coisa relacionada com Robert E. Howard (ou não).
  • Um puta nome gigantesco do caralho: The Dark Liege of Chaos is Unleashed at the Ensorcelled Shrine of A'Zura Kai (The Splendour of a Thousand Swords Gleaming Beneath the Blazon of the Hyperborean Empire Part II).
  • Silêncio.
  • Alguém contando uma história.
  • Algo relacionado com o Splendour of a Thousand Swords Gleaming Beneath the Blazon of the Hyperborean Empire.
  • Algo astral (nem sempre).
  • Algo épico (sempre).
Byron Roberts. Uma rara mistura de rapper e trOO.

O Fã do Bal-Sagoth[editar]

Um típico fã do Bal-Sagoth possui as seguintes esquisitices características:

  • Louva Cthulhu.
  • Presta six score and ten oblations to a malefic avatar (seja lá o que isso for).
  • Tem uma espada em casa (os fãs pobres têm espadas de durepox).
  • Acredita em Atlântida.
  • Diz já ter visto o Empyreal Lexicon.
  • Sonha em morar no Hyperborean Empire.
  • Joga RPG.

Cquote1.png WTF?. Cquote2.png
Você sobre tudo isso.

Discografia[editar]

DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Starfire Burning Upon The Ice-Veiled Throne Of Ultima Thule?
  • A Black or White Sun Moon Broods Over Madagascar Lemuria (1995): O primeiro álbum da banda é uma homenagem ao tecladista Jonny Maudling que destruiu Lemuria quando uma Black Moon apareceu por lá. É o disco mais Troo da banda, com uma gravação mediana e pouco conhecido (como todos os outros álbuns).
O 1° demo da banda, essa é a pose de invocamento do demônio de Cthulhu.
  • Starfire Burning Upon the Ice-Veiled Throne of Ultima Thule (1996):

Ninguém sabe o tema desse álbum já que as música são enormes e os títulos maiores ainda, então todo mundo tem preguiça de ouvir e de ler as letras das músicas.

  • Battle Magic (1998): Esse disco conta a Battle Magic entre trOOs e gnomos, falando de sangue, batalhas mágicas, aço nu (?!?) e coisas de guerreiro. Muitos vikings apreciam batalhar ao som do Bal-Sagoth (ou não).
  • The Power Cosmic (1999): Apoś realizarem uma viagem até a Lua eles se inspiraram para compor esse álbum, que trata de poderes cósmicos dos Cavaleiros do Zodiaco, de seres cósmicos e antigos, de coisas cósmicas em geral. Alguns dizem que Byron Roberts cheirou gatinhos para escrever algumas músicas.
  • Atlantis Ascendant (2001): Homenagem ao (a)fundador de Atlantida Chris Maudling. Um disco que conta histórias das antigas civilizações que os integrantes da banda afundaram, conquistaram ou explodiram. Tem também uma faixa que conta a história de Xerxes e dos 300.
  • The Chthonic Chronicles (2006): Álbum em homenagem à Cthulhu, o fundador da banda. É um álbum sobre os Deep Ones, catástrofes e uma tal Arcana de Antediluvia. Foi aprovado pelo próprio Cthulhu e também por H.P. Lovecraft por ser um disco bem épico mas sem ser Power Metal.
Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Bal-Sagoth no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg