Avignon

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
FrancesAutentico.jpg ALLONS EN₣ANTS DE LA PUTARIE!!

Este artigo è ₣rancês! Ele não toma banho, come camembert e faz biquinho. O autor já mendigou na Avenue Champs-Elysèes e è xenofòbico.

Lembre-se de quem perdeu todas as guerras para a Inglaterra.


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Avião Cquote2.png
Google sobre Avignon
Cquote1.png Você quis dizer: Champignon Cquote2.png
Google sobre Avignon
Cquote1.png Experimente também: Roma Cquote2.png
Sugestão do Google para Avignon
Cquote1.png Bons tempos... Cquote2.png
AntiPapa Clemente VII sobre Avignon
Cquote1.png Bons o caralho! Cquote2.png
Papa Urbano VI sobre Avignon
Cquote1.png Adoro, ainda mais grande. Cquote2.png
Bêbado sobre Avinhão.
Cquote1.png Cidadezinha pequena... Cquote2.png
Parisiense sobre Avignon

Avinhão, ou Avignon é uma das belas cidades da República do perfume vencido, a França, terra natal de Napoleão Bonaparte e Camus de Aquário, Avignon possui alguma fama internacional apenas pelo fato de ser palco de um dos maiores quebra-paus da história da religião desse humilde planeta, o Grande Cisma do Ocidente, que só os nerds já ouviram falar.

O Cisma[editar]

Olha o antigo palácio dos Papas.

A história da pacata cidade é intrínseca ao fato, o Grande Cisma do Ocidente, toda essa história começa quando um papa aleatório, tudo bem, um tal de Clemente V, foi levado espontaneamente para passar um tempinho em terras francesas, por decisão do rei, que para facilitar a vida do hóspede disse que ele poderia reinar sobre o império católico da França mesmo, mais precisamente de Avignon.

Após um certo tempo o pessoal, leia a famiglia italiana, quis que o papa voltasse a Roma, o que ocorre, mas o Zé Mané eleito acaba sendo um déspota, o sucessor, Clemente VII, decidiu voltar à França, pois o ar lhe era mais agradável, o que irou os romanos que elegeram outro papa, renegando Clemente VII a um cargo do lado negro da força, sendo denominado o papa de Avignon como antipapa, um termo bem cortês.

Essa situação se prolongou por mais do que os católicos desejaram, mas com o papa Martinho Lutero V, acabou toda a viadagem e a casa voltou a devida ordem, ou não. Algo assim, tão incômodo, só volta a acontecer com a Igreja Católica com a Reforma Protestante.

Patrimônio[editar]

Exército de Roma preparado caso fosse necessário levar abaixo Avignon.

Avignon é conhecida pelos inúmeros resquícios deixados pela era papal no local, isto é, as câmaras de tortura da inquisição da época, que possuía os mais divertidos métodos de tortura, os mais tecnológicos do momento, o que incluía berço-de-Judas e Virgens de ferro, que não tem a função que você gostaria que tivesse.

O local é todo murado, feito Tróia, só que com mais rachaduras, menor resistência e menos mortes no currículo, se bem que a inquisição foi tão sangrenta quanto aqueles dez anos de guerras helênicas, mas isso deixe para os psicopatas especialistas em guerras e exterminações em geral. Com todo esse passado histórico a UNESCO nomeou o local patrimônio mundial, o que é menos bizarro do que a nomeação do Mar Frísio.

Ver também[editar]