Avantasia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Avantasia
AvantasiaPhoto.jpg
Origem Nazilândia
Gênero Musical Power Metal, Opera
Álbum mais Vendido The Metal Opera
Maior Sucesso Avantasia
Integrantes Tobias Sammet, Michael Kiske e muito mais gente
Influências Massacration, Banda Calypso, Mágico de Oz
Vícios
Cafetão/Produtor Volkswagen

Cquote1.png Você quis dizer: Fantasia Cquote2.png
Google sobre Avantasia
Cquote1.png Você quis dizer: Avangaysia Cquote2.png
Google sobre Avantasia
Cquote1.png Experimente também: Avalon Cquote2.png
Sugestão do Google para Avantasia
Cquote1.png Caralho, eles tem mais integrantes que nós... Cquote2.png
Corey Taylor sobre Avantasia.
Cquote1.png Olê, Olê, Olê, Olê! Kiskê, Kiskê! Cquote2.png
Fã brasileiro no show do Avantasia achando que está no estádio de futebol.
Cquote1.png Essa história realmente faz sentido? Cquote2.png
Qualquer um ouvindo as músicas.
Cquote1.png You will die if I don't dream AMYmore... Cquote2.png
André Chatos cantando Inside.
Cquote1.png Who is Amy? Cquote2.png
Tobias Sammet para André Matos após ele errar a música de novo.
Cquote1.png E aí galerinha voltei! Cquote2.png
Michael Kiske sobre Avantasia.
Cquote1.png Filho da puta... Cquote2.png
Pessoal do Edguy sobre a dedicação de Tobias ao projeto paralelo.

Avantasia é uma incomum mistura de opera e heavy metal alemão batido no liquidificador com todos os elementos do Mágico de Oz e dos filmes da Xuxa, sendo, na verdade, um catado de cantores secundários e eternos backing vocals cantando atrás de um mínimo de reconhecimento.

Criação[editar]

O forte do Avantasia definitivamente não é o figurino...

Há muitos e muitos anos, um alemãozinho chamado Tobias viu que sua bandinha de garagem não tinha lá muito futuro e começou a pensar em algo para fazer que realmente desse grana, apesar dos shows que ele e sua banda faziam os rapazes não conseguiam sair do vermelho ocasionado pela excessiva compra de jogos para o Xbox 360 deles, já que todos são absolutamente nerds e eles não sabiam que tinham que destravar o videogame.

Numa sessão de cheiramento de gatinhos com orégano surgiu a ideia de criar uma história épica, como todo bom power metal, chamando artistas de todos os cantos, jogando na centrifugadora música clássica, heavy metal, Tolkien, Manowar, McFly e Rouge. Surgia assim a ideia inicial do Opera Metal.

Tobias fantasiado e cantando com sua voz de taquara rachada.

Tudo isso foi amadurecendo enquanto o Edguy fazia algum sucesso, mas Tobias queria algo mais rentável e menos alegrinho para cantar, dessa forma conseguiu juntar algumas pessoas e ensaiou o primeiro CD do projeto.


Funcionando[editar]

Os recrutados por Tobias, inicialmente foram os mais famosos artistas desconhecidos da Alemanha, os eternos backing vocals e o André Chatos, músico renegado brasileiro. Assim ele já tinha a base para montar o time, precisava apenas aparar as arestas, organizar o pessoal e nivelar os egos de todos esses pseudomúsicos.

A coisa ia, mas precisavam, ainda, de um nome de peso para a equipe e grandes artistas estavam caros, o negócio foi tentar ressucitar um, inicialmente fizeram voodoo para reanimar o John Lennon, mas não deu muito certo, o negócio foi resgatar o ex-Helloween, Michael Kiske.

Tobias Sammet, o idealizador, produtor, cantor, protagonista e diabo à quatro do Avantasia pagando de fodão.

Com o time entrosado, os titulares escolhidos, tudo certinho Tobias pôde lançar seu projeto em paz, ouvindo apenas os grunhidos dos colegas de banda que sentiram-se preteridos.

História[editar]

Há uma história irrelevante, sendo o divertido as músicas que todo fã põe para tocar no aleatório ignorando a ordem cronológica, ou não, dos fatos. A trama conta as desventuras de Gabriel Laymann, personagem do próprio Tobias - o idealizador - lá no começo do século XVII. O protagonista é um noviço dominicano da abadia de Mainz, uma cidadezinha alemã perdida na terra de Oliver Kahn.

Gabriel o protagonista, um metaleiro do século XVII. Viajaram, né?

Gabriel passa a caçar bruxas, fazendo a festa na época da inquisição queimando geral, não no sentido pervertido que você imagina, mas no sentido inquisitorial da coisa. Uma das acusadas de bruxa herege é a própria meio-irmã de Gabriel, Anna Held, interpretada pela Amanda Sommerville, backing vocal de luxo e reserva, às vezes, da Simone Simons no Epica. Ao ver sua maninha em risco Gabriel passa a ter dúvidas e se mete numa biblioteca para relaxar como todo bom nerd do século XVII, vivendo o advento do Atari. Lá ele acha um livro do Paulo Coelho e seu mestre o vê lendo aquela afronta ao bom gosto literário e o joga no calabouço.

No calabouço ele encontra com um druida, Lugaid Vandroiy, cantado pelo Kiske.

Tobias fazendo média com os brasileiros.

O druida é fruto das alucinações de Gabriel e o fala de um tal lugar chamado Avantasia [[WTF?|(Avantasia = Avalon, terra do Rei Arthur + Fantasia, terra do filme História Sem Fim)]], assim os dois fogem da prisão e o druida manda Gabriel para Avantasia, isso numa clara alucinação do personagem, onde o rapaz deveria salvar o mundo e, em troca, o druida libertaria sua irmã da cadeia.

Enquanto isso, diversos personagens subsecundários se reúnem para receber o papa Clemente 23, sendo que eles tem o livro de Gabriel em mãos e falam que ele abre portais para uma outra dimensão eles conversam sobre isso enquanto tomam chá de ayahuasca.

Gabriel vai até Avantasia onde é recebido por um anão metaleiro, Kai Hansen, e um elfo abrasileirado, André Matos, parodiando incrivelmente o Senhor dos Anéis.

O CD propriamente dito, quase ninguém o possui, isso devido aos downloads ilegais que você costuma fazer.

Eles contam todos os problemas sociais do lugar criticando o sistema neoliberal do momento e pedem para Gabriel ajudá-los a vencer o papa e sua ambição de dominar as duas dimensões criminalizando o sexo pela eternidade. Gabriel sente-se na obrigação de, como todo bom super-herói, parar as malignas ambições do vilão de tomar algum objeto sagrado que ninguém entendeu o que é da Torre, que ninguém sabe onde fica, para ter poder. Dentro da Torre havia uma espécie de lacre que ele afana do papa, que afanara de algum outro lugar anteriormente, e o leva à cidade dos elfos completando a primeira parte da opera, conseguindo rank C na missão por não ter pego todas as moedas.

Continuação[editar]

Como ele gostou de lá, Gabriel fica em Avantasia o suficiente para lançar o CD The Metal Opera Part II. Nessa nova parte Gabriel vê seu tutor, aquele que o jogou no calabouço, sofrendo muito e Vandroiy conta que é causado por um cálice de almas localizado nas catacumbas romanas a conexão entre os fatos é um segredo para o próprio autor. Gabriel decide ir lá libertar as almas presas no cálice mesmo com os avisos dos colegas arregões.

Cquote1.png Que tal um novo metal-opera baseado no livro da Bruna Surfistinha? Cquote2.png
Ideia surgida numa reunião dos integrantres.

Gabriel vai lá, derruba o cálice e liberta as almas e de bônus a besta que o protegia, uma espécie de Hidra de Lerna misturada com Pagodeiro e Cérbero, ou algo assim, ou nem tanto assim. Na fuga ele corre mais rápido que o anão, que tinha pernas curtas, e sobrevive ao contrário do colega com nanismo.

Vandroiy cumpre sua promessa, vai libertar a irmã de Gabriel e encontra o tutor do rapaz lá com a mesma intenção, na fuga um coxinha mata o druida sob a acusação de que o velho fabricava substâncias ilícitas, mas acaba sendo morto pelo professor de Gabriel, dessa forma eles conseguiem escapar. Assim Anna e Gabriel estavam novamente juntos para viver um amor incestuoso sem arrependimentos.

A lenda, o mito, Michael Kiske em ação, no papel de druida mano.

The Scarecrow[editar]

Como o Avantasia encheu os cofrinhos de Tobias e sua trupe, porque não continuar? Mas a saga havia acabado, o que fariam? Quem poedria ajudá-los? A ideia foi fazer algo totalmente sem relação e apenas surfar no nome "Avantasia".

Surgiu assim o "The Scarecrow" que conta a história de um compositor alemão que se fudeu bonito, tanto nos campos profissional como no amoroso. É o projeto tido como o mais pesado, pelo ar de catástrofe pessoal que assola o protagonista que só faltou ter apostado certas coisas no truco. Essa nova parte do projeto rendeu 3 CD's e algumas verdinhas.

Integrantes[editar]

A trupe do Avantasia é tão vasta quanto a população chinesa, as más línguas afirmam que há mais músicos no Metal Opera do que em todo o país de Liechtenstein. É gente que não acaba, todos músicos que quase ficaram famosos e agora tocam juntos para arrumar uns trocados para quitar o boleto das Casas Bahia que eles têm.

Avantasia no Brasil. Onde? No Centro de tradições nordestinas! WTF?


Vocalistas[editar]

Há trocentos vocalistas, sendo todos eles pseudofamosos e cada um com o papel um pequeno personagem que aparece só para uma única música no espetáculo inteiro revelando um desperdício de artistas. A seguir a lista dos vocalistas e seus respectivos personagens.

Instrumentistas[editar]

Há tantos instrumentistas quanto cantores, sendo que os intrumentistas são geralmente da mesma banda dos cantores, diversas bandas inteiras tocam juntas numa confusão de sons que explodiria a cabeça de qualquer garotinho desprevenido. Eis os tocadores do Avantasia:

Ver também[editar]