Atlus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Atlus é uma produtora de jogos de videogame conhecida pelos títulos sem nenhum sucesso de vendas e por usar temática de animes em 98% de seus jogos.

História[editar]

A Atlus é uma empresa japonesa de jogos, e portanto pagã, por isso fica colocando em quase todos seus jogos referências a Satanás e possibilidades de matar Deus, além de outras coisas macabras e nada louváveis como apologia ao suicídio como se atirar na própria cabeça pudesse invocar do além algum tipo de Pokémon ou coisa parecida.

O carro-chefe da empresa é a satânica série Shin Megami Tensei que tem pelo menos uns 50 jogos, embora nenhum desses jogos seja conhecido, exceto os da série Persona, conhecidos por serem os primeiros jogos emo da história.

A Atlus America foi criada em 1991, e fica estabelecida em San Francisco. No prédio da empresa estão os únicos 20 otakus de toda América do Norte, por serem otakus são também os únicos norte-americanos que sabem japonês. A sua função é traduzir os jogos da Atlus feitos no Japão, e apenas isso.

Outro título famoso da empresa é o Disgaea, mais um jogo que envolve demônios, paganismo e heresia em geral, jogo que se destacou entre os mais de 8000 RPGs criados pela Atlus, tudo igual, clichê e com uma capacidade enorme de acabar com teu resquício de vida social, pois nesses jogos tem sempre uma garota virtual dando o maior mole pra você

Cquote1.png As vendas vão mal... vamos apelar para a sacanagem Cquote2.png

Atualmente, com o fim da moda emo e os esforços intensos do Vaticano para acabar com heresias nos videogames, a Atlus está cada vez mais falida, e mudou um pouco seus rumos criando jogos que no trailer parecem ser a maior putaria, atraindo todos fapeiros de plantão, mas na hora do jogo a coisa é mais inocente que a relação entre Super Mario e Princesa Peach, vide o jogo Catherine. E quanto ao Demon's Souls, ele não foi produzido pela Atlus, escreveram o nome na capa por engano.

Estilo[editar]

O público alvo da empresa é bem claro: Otakus e emos. Uma vez que sempre os jogos da Atlus possuem história extremamente toscas e viajadas típicas de animes e personagens que obrigatoriamente tem franja emo e se comportam como viadinhos.

Os jogos da Atlus são projetados para apenas pessoas de intelecto superior conseguirem zerar, uma vez que não são baseados em apenas apertação repetitiva do X para zerar, comov emos em Soul Calibur e Call of Duty por exemplo.

Outra carcterística peculiar dos games da Atlus são as interaçõesa sociais que na verdade são de mentira. São esses relacionamentos virtuais dos jogos da Atlus que fazem o ego dos jogadores de MMORPG inflar por ter suas esposas online (que na verdade são engões disfarçados).