Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Somebody set up us the bomb!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Bombanuclear4.gif
60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega.
Imagem mostra fumaça resultante da explosão do Fusca-bomba de Anders Breivik.

Cquote1.png Você quis dizer: Olavismo Cultural na Noruega? Cquote2.png
Google sobre Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega
Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Temporada de caça aos marxistas? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega
Cquote1.png Experimente também: Cidadão-de-bem Cquote2.png
Sugestão do Google para Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega
Cquote1.png Eu tinha muitos problemas, mas agora 77 deles estão mortos! Cquote2.png
Anders Behring Breivik sobre marxistas culturais.
Cquote1.png Se eu pudesse eu matava mil! Cquote2.png
Jeremias sobre os atentados na Noruega.
Cquote1.png Esse cara acha que matando meia dúzia de comunista ele já superou Olavo de Carvalho. SUPEROU O CU DA SUA MÃE!!! Os comunistas mataram bilhões entre eles mesmos, você acha que 77 a mais ou 77 a menos vão fazer diferença? Ora, porra! Cquote2.png
Olavo de Carvalho sobre Anders Behring Breivik.
Cquote1.png Ele não é cristão! Cquote2.png
Crentelho sobre Anders Behring Breivik.
Cquote1.png Ele não é de direita! Cquote2.png
Neoliberal sobre Anders Behring Breivik.

Os Atentados de 22 de Julho de 2011 na Noruega foram dois eventos religiosos que ocorreram na cidade de Oslo e na ilha de Utøya, perpetrados por um homem conhecido como Anders Behring Breivik, ou simplesmente "São Anders".[1] Ao todo, o ato ecumênico levou cerca de 77 marxistas culturais a conhecer o seu Criador, porém falhou em fazê-lo em relação a outras 51 pessoas que ficaram apenas feridas.

Descrição[editar]

Esta sessão do artigo trará uma descrição dos eventos que transcorreram naquele fatídica sexta-feira do dia 22 de julho de 2011. A motivação do atentado é descrita em mais detalhes na biografia de São Anders mas, resumindo, tem a ver com macartismo, fracasso profissional, desilusão amorosa e um micropênis ou seja, todas aqueles velhos clichês que tradicionalmente culminam em assassinato em massa.

Independente da motivação, toda a ação aconteceu entre as 15:00 e as 18:00 horas de uma sexta-feira. As 15:25 Breivik acionava um dispositivo explosivo que encontrava-se dentro de seu Fusca, estacionado em frente a um prédio do governo dinamarquês. A detonação do aparato explosivo matou 8 marxistas e causou sérios danos ao prédio do governo comunista da Noruega - o marxismo cultural sofria o primeiro golpe desde que Santa Thatcher cunhou a frase "O socialismo só dura até acabar o dinheiro dos outros". De uma distância segura, ele ficou like a boss vendo o circo pegar fogo até começar a dirigir-se para o local do segundo atentado: a ilha norueguesa de Utøya.

Imagem obtida via satélite, mostrando o exato momento da tragédia.

As 16:55, Anders Breivik chegou até sua segunda destinação - um acampamento de jovens filiados ao PT da Noruega. Cerca de 600 marxistas estavam reunidos naquele local, e tão logo São Anders botou os pés em Utøya, ele ouviu a voz de Cristo ao seu lado dizendo: "É agora meu irmão: intervenção militar nesses comunas!" e 30 minutos depois estava disparando suas armas automáticas, indiscriminadamente espalhando o amor cristão sobre tudo que cruzasse seu caminho. Assim ele cumpriu seu dever como cidadão-de-bem, salvando aqueles jovens da esquerdização, ao mesmo tempo que salvava a civilização ocidental, branca, cristã e limpinha, daqueles comunistas sujos associados aos fanáticos islâmicos do Foro de São Paulo que querem acabar com a família tradicional pra chupar droga de canudinho e abortar os pobrezinhos dos bebês.

Testemunhas oculares sobreviventes afirmam que Breivik, vestido de policial, chegou ao local e passou a ordenar que as pessoas se reunissem ao seu redor sob o pretexto de dar um comunicado aos presentes. Porém, no momento em que julgou que haviam pessoas o suficiente ali - algumas centenas, a maioria delas crianças entre 11 e 17 anos - ele abriu fogo gritando "VOCÊS VÃO MORRER HOJE MARXISTAS MWAHAHAHAHAHA!".[2]

A maioria das pessoas atingidas pelas primeiras rajadas de metralhadora se fingiram de mortas, mas São Breivik tinha assistido o filme "Zumbilândia" e portanto observava a Regra Número 2 de sobrevivência ao Apocalipse Zumbi - e fez questão de ter certeza que os caídos estavam realmente mortos atirando novamente contra os corpos inertes. Em um momento de compaixão, entretanto, Anders poupou a vida de um garoto de 11 anos quando a criança implorou por sua vida dizendo que sua avó recentemente havia lhe presenteado com uma versão norueguesa do livro "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota", do autor brasileiro Olavo de Carvalho.

O tiroteio terminou por volta das 18:34, quando Anders rendeu-se pacificamente assim que viu a polícia chegando.[3] Como um cavalheiro, São Anders cooperou com as autoridades mostrando suas características aristocráticas. Ele informou que havia adquirido as armas e balas de fragmentação através da internet e praticado tiro ao alvo em países cujas legislações sobre a posse de armas eram mais relaxadas. Também disse que utilizou os fertilizantes de sua fazenda de produtos vegetais[4] para produzir uma tonelada de explosivos, usados no Fusca-bomba que quase derrubou um prédio governamental.

Repercussão[editar]

Após sua prisão, São Anders foi julgado e condenado pela IN-justiça bolivariana e hoje em dia encontra-se em uma prisão de luxo, onde está fazendo um curso superior pago pelo Estado enquanto reclama do pouco tempo de acesso à internet que dispõe. Ele admitiu todos os atos, mas não declarou-se culpado, alegando legítima defesa contra os marxistas. É claro que a maconheirada dos Direitos Humanos que tem curso superior do MEC vai chegar pra você e falar mal de São Anders, dizendo que ele é um homicida e talz, mas qualquer cidadão-de-bem concorda que aquilo que ele fez não foi homicídio em massa, mas sim LEGÍTIMA DEFESA COLETIVA do homem branco, heterossexual, cis, que está se sentindo cada vez menos beneficiado, cada vez mais obrigado a "respeitar" os outros (especialmente as minorias), cada vez mais obrigado a ver os pobres andando de avião e os malditos refugiados roubando seu emprego.[5] Mas não se deixem enganar!! Isso não passa de uma conspiração global orquestrada pelo Foro de São Paulo e pelo Lula para sujar a reputação de um homem santo, um verdadeiro cruzado na luta contra os ensinamentos satânicos do Judeu Barbudo.[6]

Referências[editar]

  1. São Anders ou São Breivik são alguns dos nomes pelos quais Anders Behring Breivik ficou conhecido após ter passado pelo processo de canonização pela extrema-direita mundial logo após a matança de todos aqueles esquerdinhas.
  2. Essa citação é verdadeira mesmo. Ele realmente falou isso.
  3. Afinal de contas, todos sabemos que o cidadão-de-bem que se preza adora o cheiro de um coturno, diferentemente dos esquerdinhas cabeludos do DCE que não foram ensinados com um belo pau de arara a respeitar autoridade.
  4. Fontes da Desciclopédia na Interpol afirmam que Anders Breivik utilizava as próprias fezes para fertilizar os produtos vegetais que produzia em sua fazenda chamada "Breivik Geofarm".
  5. Essa nota não serve a nenhum propósito específico seu otário. Haha, te fiz ler isso aqui por nada! Mas já que você está aqui, não custa nada reforçar que hoje em dia não está nada fácil ser um homem branco.
  6. De acordo com as previsões feitas pelo cineasta Mike Judge, chegará um tempo onde toda sociedade estará pronta para compreender a grande praga representada pelo marxismo cultural. Neste dia, todos olharão para o passado e compreenderão que a condenação de São Anders é semelhante às bárbaras crucificações dos cristãos, conforme efetuadas pelo Império Romano nos primórdios da igreja.