Associação Atlética Anapolina

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Associação Atlética Anapolina
Escudo do Anapolina.png
Brasão
Hino Música Tema - Dois Filhos de Francisco
Nome Oficial Anapolina Xata e Gostosa Ui!!!
Origem link={{{3}}} Goiás- Anápolis
Apelidos Xata, Gostosa, Rubra, Máxima e outras coisas gays
Torcedores 12 transexuais que se conheceram no bate papo GLS da UOL
Torcidas Xata
Fatos Inúteis
Mascote Velha
Torcedor Ilustre Aquela caipira gostosa
Estádio Jonas Duarte
Capacidade Desconhecida
Sede Fazendas de Anápolis, Lote 5
Presidente Tonhão
Coisas do Time
Treinador Mário
Pior Jogador Nuvola apps core.png Esquerdinha
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Maradona
Patrocinador Arroz Cristal, Soja Total
Time
Material Esportivo KiChute
Liga Campeonato Goiano
Divisão 1° divisão da série D
Títulos Vice-Campeonato da Série B do Campeonato Brasileiro da época que a Dercy era virgem
Ranking Nacional -1° (nada mal)
Uniformes Baby Look.jpg
Sutia branco.jpg



Associação Atlética Anapolina, representado muitas vezes pela sigla retardada AAA (Analfabetos Anonimos de Anápolis), e outros vários apelidos meigos como Gostosa, Madame X, Rubra pela cor vermelha rosada do uniforme ou Xata pela chatice que o time representa e ilustrar o analfabetismo que marca o interior do Brasil, escrito propositalmente com "x".

História[editar]

Fundado por um grupo de caipiras em 1° de janeiro de 1948, hoje o time é regido por fazendeiros de Anápolis, é a principal única fonte de diversão para os 12 torcedores testemunhas caipiras dessa cidade.

A Anapolina tem a famosa tradição no campeonato goiano de ganhar dos times grandes (detalhe, não há times grandes em Goiás, talvez, relativamente grandes) e perder para os times pequenos (todos então).

Anapolina, um time de história irrisória, nunca passou de um coadjuvante no campeonato goiano. Em seus séculos de derrotas e vitórias sobre Vila Nova e Goiás, só jogou contra três times de primeira divisão até hoje em sua história. O Goiás ao qual vence todo o ano em partidas valendo nada pelo campeonato goiano e quando o Palmeiras e o Botafogo foram dar um passeio na série B.

Considerado a maior torcida do interior goiano, esses fanáticos caipiras foram estimada pelo IBGE comos sendo de 100 mil desocupados desempregados roceiros analfabetos que na verdade torcem para o Goiás.

Títulos[editar]

Um jogador da Anapolina tentando honrar honrando o apelido de Gostosa do clube.

A Anapolina é um time conhecido por tremer e cagar no pau nas decisões, possui vice-campeonatos de todas as competições existentes.

  • Vice-Campeonato da Série B do Campeonato Brasileiro da época que sua avó era virgem.
  • Vice-Campeão Goiano umas 30 vezes.
  • Campeão do Campeonato Citadino de Anápolis, uma competição da qual disputa contra outros times de Anápolis e a final sempre é contra o Anápolis Futebol Clube, eterno rival do qual sempre ganha porque é um time inexpressivo.
  • Maior goleada da história do Campeonato Citadino de Anápolis, quando venceu o Alvorada de Pirí-Pirí por 18 x 0.

Nas Competições[editar]

A Anapolina perde todos os campeonatos goianos, chega no máximo nas semifinais, e naquele época que o estado de Goiás ainda era possessão da Bolívia conseguia vice-campeonatos.

Na época que seu avô jogava futebol, a Anapolina ganhava a segunda divisão do campeonato brasileiro todos os anos em finais contra o Bangu, e disputava aqueles campeonatos brasileiros de 200 times para ser eliminado sempre no primeiro grupo para times como Moto Clube e Fast Clube.

Com a organização do futebol, a Anapolina foi para o seu lugar, que era a série C, conquistando consecutivos vice-campeonatos desta competição nacional. Hoje disputa a série D onde planeja reconquistar sua glória nunca antes existente.

A Anapolina, sempre que chega à série B por milagre, rebaixa no ano seguinte...

No longínquo ano de 2005, a Anapolina disputou a série B pela última vez. Naquela ocasião, conseguiu conquistar o maior resultado de sua história, ao humilhar o Grêmio de Porto Alegre (ui...) por 4 x 0. Na comemoração do resultado, cada jogador foi presenteado com dez litros de cachaça. A ressaca do time foi tão braba, que nunca mais conseguiram vencer no campeonato e foram rebaixados...

Finalmente, no ano de 2012 a diretoria do time conseguiu classificar o time para a Série B! ... só que do campeonato goiano! O time ficou em primeiro lugar na tabela de classificação (se virar a tabela de cabeça para baixo), com uma rodada de antecipação!

Mas o maior feito da Anapolina foi, sem dúvida, ganhar do Fluminense na série C de 1999 com golaço de fora da área em pleno Maracanã, com atuação de gala de Carlinhos Itaberá, maior ídolo da história dos dois clubes.

Churrascos beneficentes[editar]

Devido à dívida de 2 balinhas 7 Belo, o time não faz churrascos beneficentes desde 1500, quando os índios moradores anapolinos fizeram uma festa de boas-vindas para Pedro Álvares Cabral, o qual depois iria escravizar e estuprar todos eles.

Estádio Jonas Duarte[editar]

  • Capacidade
    22 jogadores
    2 técnicos
    1 juiz e 1 e meio banderinha
    20.000 torcedores
    1 ambulante (que vende cachorro quente amendoim cozido)
    No estacionamento: 1 mobilete, 2 bicicletas e dois pares de patins