Aspirador de pó

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Você quis dizer: Aécio Neves Cquote2.png
Google sobre Aspirador de pó
Cquote1.png Você quis dizer: Maradona Cquote2.png
Google sobre Aspirador de pó


O Aspirador de pó é um dispositivo de sucção, praticamente um mosquito gigante, só que do bem.

O mais célebre aspirador!

Aplicações[editar]

Uma das principais marcas dos aspiradores de pó é a versatilidade. Mentira, na verdade, as principais marcas deles são Electrolux, Brastemp e Philips... Mas que os aspiradores de pó têm muitas aplicações, isso eles têm!

Para finalizar a make, Amy podia ter aspirado um pouquinho melhor o pó...

Maquiagem[editar]

Embora seja consenso que a maquiagem é uma necessidade natural do ente feminino e que, desde pequenininhas, as mulheres são treinadas nesse árduo dever, é impossível dominar toda a sutileza da técnica. Por isso, não tem cabimento que um errozinho na make seja definitivo.

Já fez os olhos, a sobrancelha, toda pele, mas na hora da finalização, estragou tudo porque você se excedeu um pouquinho?

E agora?!

Vai precisar retirar toda maquiagem e começar tudo do zero?

CLARO QUE NÃO!!

É só passar o aspirador de pó na cara, que seu problema será resolvido. Ficará mais bonita e tudo!!

Você que está procurando um presentinho pra sua mulher emponderada e feminista, dê um aspirador de pó para libertá-la dessa dificuldade excessiva na hora de se maquiar. Ela vai adorar receber um aspirador de pó!! Principalmente se for no dia da mulher...

Você nunca mais será ridicularizada por se maquiar demais e parecer uma palhaça! Nem por se maquiar de menos (por ter receio do excesso) e parecer uma zumbi! Afinal, o aspirador de pó tem várias intensidades para se adequar ao seu desespero.

Nível um, fraco: passei um pouquinho a mais de pó. Nível dois, moderado: tentei seguir um tutorial da internet que parecia tão facinho. Nível três, potente: meti a louca e acabei com a cara do Patati.


Liberte-se! Inspire.. Expire...Aspire! o excesso com o aspirador de pó!!

Fantasias[editar]

Os aspiradores de pó também podem ser utilizados como acessórios bem estilosos em uma caracterização. A seguir, separamos alguns exemplos pra você plagiar ou sentir inveja por não ter materiais para confeccionar uma fantasia decente.


1.Fantasia de Aspirador de Pó
Ap-fantasias1.jpg

Mais do que uma fantasia, esse look é uma homenagem a esse célebre equipamento que é tão importante para a humanidade. Pela imagem, percebe-se que o George foi o aspiradorzinho que inspirou não só o , mas também a fantasia super fofa de Vinnie. Nós, da equipe da Desciclopédia, recomendamos que você faça uma assim pro carnaval ou pra momentos de baixa autoestima.


2. Astronauta mirim
Ap-fantasias2.jpg

Esse cosplay (caro otaku e prezada otome: não estou nem aí se essa palavra é adequada ao contexto - já usei fantasia demais nesse tópico. Droga, acabei de usar mais uma vez...) não é apenas bonitinho. É também um artifício muito inteligente utilizada por pais muito inteligentes para botar as crianças para ajudar na faxina sem que elas percebam. Como o artifício funciona? Simples. Ligue o aspirador na tomada: o motor do foguete faz barulho e ainda limpa a casa! Conforme as crianças brincam em todos os cômodos dá galáxia, eles vão ficando aspiradinhos.


3. Luigi (Mário verde)
Ap-fantasias3.jpg

Então, tem um jogo da Nintendo chamado Luigi’s Mansion. Nele, o protagonista é o Luigi equipado com um aspirador de pó nas costas. Bem... Essa é uma opção de fantasia, né? Caso, por alguma razão qualquer, você opte por ela, o procedimento é simples: primeiro se fantasie como o Luigi comum, depois pegue um aspirador de pó, coloque alças nele e o utilize como uma mochila. Pronto.

Provavelmente as pessoas vão te pedir: porque diabos a sua fantasia de Luigi (se lembrarem o nome dele, o que já vai ser bem improvável) tem um aspirador de pó nas costas. Assim, você vai ter um assunto (dois, o primeiro seria contar que o Mário verde tem um nome próprio) pra começar uma conversa. Não é uma ideia tão ruim essa fantasia, afinal. Principalmente se você tiver dificuldade para iniciar interações sociais. Fica a dica da DP! (obs: seguir conselhos sobre traquejo social dados por pessoas que escrevem para a Desciclopédia é por sua conta e risco!)


4. Fantasias Eróticas
Ap-fantasias4.jpg

É claro que esse item não podia faltar. Naquela horinha entre as quatro paredes, o que pode ser mais sensual do que um aspirador de pó? Utilizá-lo em fantasias românticas com certeza vai deixar os eu parceiro sem ar.

Caça[editar]

Devido à sua elevada potência de sucção, o aspirador também pode ser utilizado como uma arma de caça, com a vantagem de
1)normalmente não ser fatal para o alvo; e
2)não exigir habilidade de mira do seu portador.

Você também pode de proteger de assombrações!

Fantasmas[editar]

A primeira aplicação do aspirador de pó no contexto de caça e aprisionamento de espécimes foi na área paranormal.

Porque você acha que não há mochilas aspiradores de pó no mercado? Pra evitar a confusão! Imagina sua comprar uma arma paranormal por engano...

Acidentalmente se descobriu que aspiradores de pó tinham capacidade de aspirar também partículas fantasmagóricas. Todavia, utilizá-lo para tal fim não era ideal, já que a assombração seria aprisionada junto com poeira e outros fragmentos materiais. Essa mistura tornaria o espírito ainda mais impuro (fantasmas são mortos vingativos ou em busca de redenção, portanto, já apresentam naturalmente certo grau de impureza), o que dificultaria bastante na hora de vendê-la.

Por isso, o equipamento foi sendo aprimorado até sugar apenas assombrações. Ele também recebeu modificações estéticas, sendo utilizado como uma mochila, para questões de locomoção (caçadores de fantasmas precisam fugir se locomover muito). No fim, as mudanças foram tantas, que aconteceu o processo de especiação, isto é, os aspiradores de pó deram origem a um novo equipamento: as armas utilizadas pelos perítos paranormais!

Animais[editar]

Pequenos animais também podem ser caçados e aprisionados com aspiradores de pó. A não ser os aquáticos, embora talvez dê certo em pequenas quantidades de água, como as que tem no aquário do peixinho dourado do seu caçula...

  • Seu pet não está respondendo ao seu chamado? Sugue-o com o aspirador para tê-lo ao alcance da sua mão e fazer um cafuné no que sobrar do pestinha.
  • Você gosta da caça como um esporte, mas todos reclamam da matança de animais? Sugue seus alvos, experimentando toda adrenalina da caça, sem matar os bichinhos.


Outras[editar]

São muitas as aplicações possíveis para aspiradores de pó. Inspire-se nas imagens abaixo para garantir que está aproveitando ao máximo o seu!

Surgimento[editar]

Infelizmente, todos os seres humanos que viveram antes do século XIX morreram sem ter a oportunidade de ter contato com o dispositivo, já que os fósseis mais antigos de aspiradores de pó datam de 1868.

Então, você se pergunta, como eles limpavam os carpetes, os bancos dos carros e os teclados dos notebooks? Pois é, a vida era difícil naquele período.

Um dos integrantes perigosos do ecossistema carpentil sendo expulso.

Para limpeza do carpete, era necessário enrola-lo, retirá-lo de casa e bater nele. Com violência. E um pau.

Embora dar umas batidas, às vezes pareça relaxante, não era o caso. Afinal, quando uma pessoa se prepara com um tronco para bater num carpete, ela não vê mais necessidade de bater no carpete. Veja bem, o carpete ainda precisa ser limpo. Mas a pessoa tem um galho, porque é ela quem vai fazer o trabalho duro? É mais fácil ela ameaçar outro para que ele o faça...

E o outro, frente ao tronco, não vê outra opção: aceita a incumbência. Pega a vara para bater no carpete e... Você já sabe né? Ao pegar no tronco, não importa mais a intenção inicial, o poder já subiu à cabeça. A pessoa não vai mais limpar o carpete. Não, não: vai ameaçar outra. É um instinto. Algum desejo sexual pelo pai do sexo oposto reprimido ainda na mais tenra fase infantil, como diria Freud.

Dizimação impiedosa de um ecossistema.

Enfim, quando o ser humano percebeu isso, ele foi prudente. Para evitar a anarquia, o carpete não podia ser limpo. E assim o foi. O carpete permanecia sujo... e a civilização, estruturada.

O problema é que, após alguns meses acumulando sujeira, os carpetes se tornavam um ecossistema próprio que emitia substâncias tóxicas e levemente radioativas. É por isso que, naquela época, a longevidade do ser humano era tão menor do que é hoje. As toxinas liberadas eram disseminadas por toda sociedade.No entanto, os cientistas só perceberam isso após o evento conhecido como "Buum dos aspiradores" (a nomenclatura não deve ser levada ao pé da letra, diferentemente do Galaxy Note 7, aspiradores de pó não são nem nunca foram explosivos).

Em tal episódio, a disseminação deles foi tamanha que havia praticamente um em cada casa – pelo menos nas que tinham capital suficiente para compra-los e que, não à toa, eram as que abrigavam os carpetes nocivos. Nos anos seguintes ao ocorrido, foi notada uma redução doenças pulmonares e um aumento da longevidade. Hoje sabe-se o porquê. Por puro acaso, esse período também coincidiu com a descoberta dos antibióticos e com o final da 2ª Guerra Mundial.

Enfim, ao serem popularizados, os aspiradores começaram a massacrar os ecossistemas dos carpetes. Com o piso aspirado mensal, quinzenal e até diariamente, a humanidade entrou numa era de revolução. Graças aos aspiradores!

Primeiro aspirador. Se a TV junto as famílias em meados do séc. XX, esse trambolho a antecedeu, em meados do séc. XIX.

Invenção[editar]

Oficialmente, a invenção foi feita por Ives McGaffey (Ivo MC Gafe, em português). O primeiro equipamento lançado no mercado não precisava nem de baterias nem da rede elétrica. Bastava que o usuário (1) direcionasse a mangueira do aspirador ao mesmo tempo em que (2) ficasse acionando a manivela (para bombear o ar) e (3) se locomovesse, (4) transportando o trambolho.

Com todo esse trabalho, a limpeza da casa com esse aspirador era uma atividade que promovia a reunião familiar - pelo menos nas casa em que os integrantes possuíssem menos de dois pares de braços cada um. Em famílias de humanos típicos, cada parente precisava ficar responsável por um procedimento. Eles provavelmente faziam rodízios, porque ninguém queria ficar acionando a manivela. Ela devia ser utilizada, inclusive, como forma de punição.

“Clodoado terceiro sorriu na foto da família, é? Já sei quem vai ficar com a manivela, hoje!”

É por isto, aliás, que nas fotos dessa época, as pessoas se portam de maneira tão sérias: para evitar o castigo de ter que ficar bombeando o ar durante a faxina domiciliar.

Mesmo promovendo a integração familiar, a estrutura inicial dos aspiradores de pó mudou rapidamente para que eles se tornassem mais práticos. A partir do momento em que as manivelas deixaram de existir, é possível notar uma significativa diferença nas fotografias da época. As crianças começavam a sorrir nas suas poses.

Graças aos aspiradores, foi possível sorrir nas fotos sem temer! Outra revolução!

Os mais velhos viam com preocupação a mudança – para eles, a serenidade deveria ser exposta nas fotos (e com as memórias dos árduos momentos em que foram responsáveis pela manivela ainda frescas, era fácil não sorrir), no entanto, sem as manivelas, não havia mais com o que coagir a serenidade das crianças na foto. Felizmente essa mudança não levou ao caos social como alguns temiam. Veja a sociedade de hoje: sorrimos nas fotos e não somos um caos... somos?

Tentativas frustradas[editar]

As primeiras ideias de sistemas de remoção do poeira consistiam em dispositivo que soprassem o pó, não que o aspirassem. Obviamente, esses protótipos iniciais deram bem errado, já que, na verdade, só espalhavam a sujeira pela casa, emporcalhando-a ainda mais. Se os inventores da época tivessem tido um contato, mesmo que superficial, com a vassoura, os aspiradores de pó seriam muito mais antigos. Afinal, pra que se usa a vassoura? Pra espalhar a sujeira? Não, pra juntar ela!

Esse erro parece grotesco para nós do século XXI, que passamos a infância toda sendo infortunado pelos pais para ajudar na limpeza e, graças à isso, temos noção dos princípios básicos que regem a faxina (por exemplo, (1) Inércia : Objetos tendem a permanecer em repouso, principalmente se estiverem fora do seu lugar; (2) Aumento da entropia : seu quarto, assim como o universo, tende ao caos; (3) Cumplicidade : tapetes e armários são aliados poderosos, dado que,o que os olhos não veem, a bunda não sente).

Mas, dentro do contexto da época, aquele era um erro justificável.

No século XIX, havia dois grupos sociais. O dos homens, que se tornavam os inventores e tals. E o das mulheres, que cuidavam da casa e enchiam o saco dos maridos inventores para que eles inventassem algo que facilitasse a faxina.

Pois bem, os maridos inventores tentaram inventar esse algo. Todavia, os integrantes de cada grupo, desde a mais tenra infância, não tinham o menor contato com a função social do outro sexo. Por isso, diferentemente de nós, sábios do séc. XXI, os inventores do séc. XIX não tinham nenhuma percepção de que soprar a sujeira não ajudaria, ao contrário, pioraria a situação. Por isso, um bom tempo foi perdido nessa busca por um “espalhador de sujeira”.

Etimologia[editar]

Como o aspirador de pó foi descoberto no século XIX, seu nome não vem diretamente de vocábulos gregos ou latinos. Isso torna sua nomenclatura bastante intuitiva para falantes do português.

Por exemplo, imagine-se como uma das pessoas que habitavam o Brasil quando ele ainda não tinha mal cheiro, isto é... na época do Brasil Colônia (aprecie o momento facepalm do artigo... ok, já passou).

Você tá lá, vivendo sua vida que nem fede nem cheira, até que em pleno amanhecer de uma gélida noite muito quente, você entra em uma cabine telefônica inglesa pra ligar pros seus pais e pedir dinheiro. Só que, dentro da cabine, você, uma pessoa muito perspicaz - provavelmente um ascendente do próprio Sherlock Holmes - percebe que a cabine não é uma cabine. É uma máquina do tempo - será que Doctor Who estava gravando por aí?

Depois de considerar suas opções, você decide ser prudente e não apertar nenhum botão – só mexer em algumas das alavancas que estavam lá dando bobeira.

Por fim, quando você sai pela entrada da falsa cabine telefônica, nota que não está mais na sua época. Está no século XXI. E pode voltar? Não. Por que? Porque a máquina do tempo desapareceu, sem a menor consideração...

Aqui no século XXI, você se sentiria completamente perdido, se não fosse pelo aspirador de pó. Ele é o seu porto seguro. Mesmo sem nunca ter visto um, você o compreende! O que ele faz? Ele aspira. O que? Pó.

Genial.

Agora que definição do nome aspirador de pó já foi analisada – assim como os impactos psicológicos dele para viajantes temporais, vamos nos ater a um estudo mais morfológico da nomenclatura.

(i) Aspirar : É a aglutinação da onomatopeia de um suspiro (Awh) ao verbo pirar.

Awh + pirar -> Awhpirar -> Aspirar [1]
: Vocábulo incorporado do galinhês.

Logo, percebe-se que, no sentido literal, aspirar denota um suspiro que causa piração. Aspirador, por extensão, é o sujeito que aspira, isto é, aquele que suspira e fica pirado.

  1. De acordo com as normas gramaticais das más línguas da língua portuguesa, toda briófita terminada em h, quando aglutinada com o verbo pirar, tem suas últimas duas consoantes substituídas por “s”

(ii) De : É um termo que, sozinho, não quer dizer nada, mas, em frases, faz falta e tem muitos significados. Quanto a pronuncia, fala-se di, a menos que esse sujeito indefinido seja lá de Curitiba. Daí, fala-se de, bem fechado mesmo. Curitibanos são fechados, até no jeito de falar.

(iii) : Um dos estados da matéria, assim como líquido, sólido e gasoso. Devido à sua elevada complexidade, normalmente não é mencionado no ensino básico, como o plasma. A palavra “” também é usada em algumas expressões:

  • “Do pó vistes, ao pó retornarás” : É um ditado normalmente utilizado frente à arrogância.

Exemplo de aplicação:
Pessoa 1: Estou há várias semanas longe da cocaína! É só eu continuar assim, que vou ficar bem... Eu consigo!
Pessoa 2: Ó o cara, fica aí se achando.. Cê sabe, né:Do pó viestes, ao pó retornarás!

Aspirador de pó inocentemente tentando fazer contato com um cachorro. Sua aproximação, no entanto, foi incompreendida.
  • “Pó dicrer” : Gíria utilizada para expressar concordância.

Exemplo de aplicação: (continuação do anterior)
Pessoa 1: Pó dicrer... Nem adianta tentar..

Cães e Gatos[editar]

Na assombrosa disputa dos e Mafagafos cães e gatos pelo controle do mundo, o aspirador de pó declarou-se oficialmente neutro. Surpreendentemente, ele foi incompreendido por ambas as partes.Quer dizer, os gatos presunçosamente ignoraram a declaração e usam os aspiradores a seu bel-prazer. E os cães... Bem, os cães provavelmente nem a ouviram: eles demonstram excessivo medo da linguagem aspiradoresca e mantém distância de qualquer aspirador de pó em funcionamento.

Se um Transformer perder a cabeça, agora já sabe com qual eletrodoméstico pode repor...

Modelos[editar]

Os aspiradores de pó se subdividem em quatro raças:

  • Tradicional : O clássico modelo com tromba e sobre rodas.
    Quanto ao design, ele se subdivide em vários tipos, desde os que se assemelham a botijões de gás, até os mais delicadinhos, que parecem cabeças de Transformers.
    Eles também podem ser encontrados em versões silenciosas, mas os modelos barulhentos são os mais populares pelo Brasil, já que possuem duas vantagens muito significativas para a nossa cultura: primeiro, são mais baratos e, segundo, mas não menos importante, incomodam os vizinhos.
Os aspiradores robôs também podem servir como pets.
  • Portátil :Essa raça se destaca por ter pequena e de fácil transporte. Pode, facilmente, ser colocada em uma bolsa como forma de precaução. Nunca se sabe, afinal, quando um aspirador pode ser necessário. Imagine, por exemplo, que você está no carro. De repente, uma mosca entra. E... você sabe o que as moscas são: máquinas do caos.
    Você acha que ela entrou por acidente no seu carro? É óbvio que não! Não existe a menor possibilidade de você ser bem-sucedido na tentativa de enxotá-la do veículo.
    Mas você é uma pessoa precavida! O seu aspirador de pó portátil está dentro da sua bolsa, seja ela masculina, feminina, transexual ou o que for.

Você pega seu fiel aspirador e tchau-tchau mosca... Parabéns por ter livrado a civilização de um servo do mal!

  • Vassoura : Este modelito lembra um cortador de grama e também é chamado de aspirador de pó vertical. Ele é comumente associado à típica família norte-americana feliz dos anos 20 e 30, uma vez que eram bastante utilizados nas propagandas da época – aquelas totalmente espontâneas com mulheres sorrindo ao aspirarem um tapete. Se a Coca-Cola não desse conta da conquista da felicidade, as mulheres da época recorriam a esse tipo de aspirador.


  • Robô : Praticamente um frisbee que limpa o piso de casa. Ele é autônomo, sendo uma ótima opção para pessoas que tenham mais o que fazer. Ou que não tenham nada pra fazer, só que não querem ficar aspirando a casa... Ou seja, ele é uma ótima opção para toda humanidade.
    No entanto, seu custo é elevado e sua tecnologia ainda tem muito pra melhorar. Isso mantém essa como versão como uma promessa para o futuro.


Cultura Pop[editar]

Um ícone da sociedade, os aspiradores são homenageados em todas as formas de arte. Uma arma de combate ao , ele é idolatrado no mundo inteiro – a não ser, é claro, na Colômbia.

  • Cinema

Obviamente, o design de R2D2 foi inspirado na figura tema deste artigo. O queridinho da primeira trilogia de Star Wars foi, afinal, baseado no queridinho da civilização.

Esboços iniciais :


Protótipo do novo design.

Após essa primeira leva de esboços, George Lucas percebeu que, embora estivesse tentando fazer uma máquina “futurística” seu desenho estava preso aos padrões estéticos dos aspiradores de pó da época. Mesmo com receio de mexer nas sagradas estruturas anatômicas da máquina, ele retirou a tromba sugadora. Sua função, de sugar, seria exercida, então, pelo apoio central do robô. Algo muito mais tecnológico, de fato. Tanto que até se assemelha ao funcionamento dos modernos robôs aspiradores atuais.

  • Outros


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Aspirador de pó no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg



House christoph brill 01.svg Coisas da casa
v d e h

AlmofadaAr CondicionadoArmárioAntena ParabólicaAzulejoBanheiroBidêBotijão de gásCamaCantinho da disciplinaCerâmicaCorredorCortinaCozinhaChaminéChuveiroDobradiçaEncanamentoEscadaFechaduraFossaGaragemGeladeiraJanelaLareiraMaçanetaMuroParedePára-raiosPiaPiscinaPorãoPortaPorta da cozinhaPortãoPufRaloSacadaSala de EstarSofáSótãoTelhadoTelevisãoTorneiraTomadaVaralVaso Sanitário