Asociación Civil Real Atlético Garcilaso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Asociación Civil Real Atlético Garcilaso
Escudo do Real Garcilaso.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Asociación Civil Irreal Atlético Garcilaso
Origem Bandeira do Peru Peru - Cuzco
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio Inka Cola Estadio
Capacidade 45.000
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Peruano
Divisão Primera Divison
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Asociación Civil Real Atlético Garcilaso é um time de futebol secundário e novato do Peru que ganhou rapidamente fama em seu país de origem por ser incapaz de ganhar alguma coisa, sagrando-se vice-campeão peruano por 4 vezes consecutivas. É um desses times de irrelevância internacional e que cada vez que por algum milagre vence Alianza Lima, Sporting Cristal ou Universitario comemora o feito como se fosse um título, uma vez que na falta de taças, o jeito é comemorar vitórias ocasionais.

História[editar]

Fundação[editar]

Fundado em 2009 na cidade de Cuzco, não há registros precisos sobre o motivo de alguém ter feito isso, afinal certas cidades não tem vocação para o futebol, caso de Cuzco. A ideia era criar uma equipe para a prática do futebol mesoamericano, uma vez que desde a extinção do Macchu Picchu FC o Peru estava sem representantes na Libertadores de futebol com os quadris. O problema é que tal competição havia sido extinta por Hernán Cortés, ex-presidente da CONCACAF, em 1538, então o recém-criado time do Real Garcilaso precisou se contentar em fazer um time de futebol.

Os fundadores do Real Garcilaso decidiram copiar o Real Madrid na cara dura, e olha que o estereótipo de coisa falsificada na América do Sul é do Paraguai, criando assim um uniforme e um escudo todos genéricos, o uniforme feito por tecelãs bolivianas e o escudo desenhado no Paint. Feito isso, aproveitando-se da decadência do futebol peruano como um todo em 2009, inclusive do rival local, o Cienciano, que rebaixou e não voltou mais, o Real Garcilaso conseguiu seu espaço na primeira divisão logo em 2012, quando já conquistava seu primeiro vice de muitos de sua curta história de fracassos e derrotas em finais.

Libertadores 2013[editar]

Apesar de ser um time bem merdeiro, em 2013 já fazia sua estreia na principal competição continental por incompetência dos outros times peruanos. Não enfrentou nenhum time brasileiro ou argentino durante toda competição, o que significa que teve bastante moleza, por isso nem se surpreenda ele ter chegado nas quartas-de-final. Mesmo assim perdeu nas quartas-de-final para um time nada tradicional, o Sem Fé de Tangamandápio.

Libertadores 2014 e Tinga[editar]

Ainda se aproveitando da incompetência dos outros times peruanos, e graças a mais um vice, voltou na Libertadores de 2014. Dessa vez caiu num grupo com um brasileiro e um uruguaio, aí não teve chances e ficou na lanterna do grupo. Porém chamou atenção pelo primeiro jogo contra o Cruzeiro, quando toda vez que o meio-campista adversário Tinga pegava na bola a torcida começava a imitar lombrigas mancas como se todos fossem retardados mentais em clara alusão a preconceito contra pessoas deficientes mentais. Suspeitas de racismo foram levantadas inicialmente no calor do momento, mas quando se analisa o povo peruano com aquele cabelinho lambido por lhamas é impossível imaginar que possam ser racistas.

Manutenção na primeira divisão[editar]

Após as duas participações inesperadas nas Libertadores de 2013 e 2014, logo tudo voltou à normalidade e o Real Garcilaso sumiu da competição. Alguns anos brigou pra não ser rebaixado e a torcida passou a ter como alegria apenas ganhar um jogo ou outro do Alianza Lima ou Universitario, além de zoar o Cienciano que não saía da Série B. Mas nunca algo realmente relevante.

Títulos[editar]