Ashley Graham (modelo)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Selena Gordinha.jpg Este artigo se trata de uma GORDELÍCIA!

Ela está "levemente" acima do peso, aquece mais no inverno e é mais potente no sexo.
Você nem liga que sua barriga esconda suas genitálias...

Clique aqui para conhecer mais deusas da gula.

Ashley Graham (modelo)
482001800w.jpg
Uma capa de revista masculina
Origem Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Data 30 de outubro de 1987
Onde trabalha Onde tiver comida
Talento(s) Ser uma gorda gostosa
Dados
Cabelos Castanhos
Olhos Castanhos
Altura 1,75 m
Peso 91 kg
Busto 91 cm
Cintura 86 cm
Quadril 122 cm
Coxa 78 cm
Perfil
Hobby(ies) Comer
Característica marcante Os quilos a mais
Frase Cquote1.png Quem gosta de osso é cachorro! Cquote2.png
Prêmios Miss Model Plus Size
Website
AshleyGraham.com

Ashley Graham é aquela guria retardada loirinha e irritante da série de jogos Resident Evil, mas este artigo não é sobre ela, mas sim sobre uma supermodelo homônima que recentemente vem fazendo muito sucesso. Ashley Graham, a modelo, teoricamente não teria nenhum diferencial em relação a suas colegas de profissão e seria apenas mais uma dentre tantas anoréxicas a desfilar nas passarelas internacionais e ser capa de revistas de moda. No entanto, ela se destaca justamente por não ostentar uma magreza esquálida, pelo contrário: é um dos maiores literalmente exemplares atuais de gordelícia a povoar a mídia.

Biografia[editar]

Estadunidense, nasceu em Lincoln, no estado do Nebraska. A julgar por seu país de origem, é perfeitamente compreensível o fato de estar acima do peso, já que o prato típico de lá são os lanches do McDonald's, com os quais os habitantes se alimentam desde a mais tenra idade começando pelo inocente McLanche Feliz até chegar no grandioso Big Macky BigMac.

Ashley Graham quando adolescente

Nos tempos de colégio, Ashley Graham nunca chegou a sofrer bullying, afinal de contas a maioria esmagadora de suas conterrâneas é composta por garotas bem mais obesas que ela. Aquele estereótipo da líder de torcida gostosa existe somente nos filmes mesmo, porque na vida real as coisas são bem diferentes e as únicas mulheres que não são gordas é porque sofrem de transtornos mentais alimentares. Ou seja, não existem seres humanos do sexo feminino saudáveis nos Estados Unidos.

Ser modelo sempre foi o sonho de Graham, mas antigamente ela tinha bom senso e sabia que gordas como ela jamais seriam aceitas na profissão. Como era preguiçosa demais para tomar vergonha na cara de praticar exercícios físicos e comer alimentos saudáveis, ela preferiu conformar-se com seu corpo cheio de gordura e passou a boicotar os padrões de beleza impostos pela sociedade moderna, pregando a autoaceitação feminina em relação às próprias "curvas" (leia-se banhas) através das redes sociais. Não demorou para que as feministas tomassem conhecimento de sua pessoa e simpatizassem com a causa, promovendo suas postagens e tornando-a uma subcelebridade que logo ultrapassaria o ambiente internético e passaria a dar palestras motivacionais pessoalmente.

Por muito pouco Graham não virou uma versão gringa da Sara Winter, já que virou parte de sua rotina bostejar sobre aceitação corporal e incentivar a obesidade mórbida entre as mulheres, o que tornou-a um ícone da cultura feminista. Tal qual Winter, além de ganhar dinheiro ilícito falando suas groselhas ela ainda teve a pachorra de realizar protestos mostrando as tetas gordas e caídas, como se isso fosse ajudar em alguma coisa além de passar vergonha. A diferença é que o attwhoreismo de Graham de fato acabou rendendo frutos positivos, fazendo com que ela de fato recebesse convite para de fato trabalhar como modelo.

Aparência[editar]

Como aqui é a Desciclopédia, temos a obrigação de criticar e ofender qualquer coisa em nossos artigos, mas a verdade é que Ashley Graham nem é tão gorda assim, pelo menos não se for comparada a mulheres normais ao invés daquelas vagabundas para as quais você se masturba. Ela também nem foge tanto assim dos padrões americanos como a imprensa tanto gosta de pregar, pois não deixa de ser uma gostosa peituda. Claro, seus peitos são naturais e se ela tirar o sutiã eles vão parar lá no chão, mas e daí? Você nunca vai ter a chance de comê-la mesmo! Talvez ela seja considerada uma quebra de padrão por assumir que é naturalmente morena dos olhos castanhos, ao invés de tacar água oxigenada para descolorir o cabelo e ficar loira ou usar lentes de contato baratas que correm o risco de cegá-la em troca de azular seus olhos.

Carreira[editar]

O convite para ser modelo surgiu em 2000, logicamente tendo início através do book rosa. Após realizar uma série de trabalhos amadores de procedência duvidosa, ela enfim assinaria contrato profissional com uma grande agência pornô em 2001.

No início da carreira, Ashley Graham foi muito discriminada por não ser magra, e geralmente era chamada somente para fotografar editoriais que a mostrassem do pescoço para cima, já que seu rosto sempre foi considerado bonito. Do pescoço para baixo, geralmente suas fotos eram photoshopadas trocando seu corpo pelo de alguma modelo genérica que se encaixasse nos padrões. É lógico que Graham ficava muito puta com isso, mas como estava ganhando dinheiro, nem pensava em reclamar. Os detetives da internet logo apareceram para futricar seu passado e comparar suas fotos atuais de lingerie com as fotos antigas que ela postava, notando várias incongruências corporais. Uma delas por exemplo foi quando substituíram seu corpo verdadeiro pelo da Daniela Cicarelli, que tem seis dedos em um dos pés ao invés de cinco, então desmascararam seu segredo e passaram a chamá-la de hipócrita. Para justificar a controvérsia, ela pagou para participar do programa do Jay Leno, onde inventou um monte de desculpas esfarrapadas.

Desde 2010, Graham voltou a ser a pseudofeminista de outrora, e atualmente faz apenas trabalhos em que apareça de biquíni ou calcinha e sutiã, sempre destacando a pança flácida e ressaltando o quanto é importante que as mulheres não sintam vergonha de seus corpos, por mais horríveis e deformados que possam ser. No caso dela, o que mais chama atenção são os peitões, fazendo com que ela seja considerada gostosa apesar de gorducha.

Além de modelo, Graham atualmente faz bicos paralelos de escritora, sendo autora de livros de autoajuda para gordas barangas; e de estilista, desenhando suas próprias roupas tamanho GGG.

Ver também[editar]