Artigos criados através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações cômicas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Criando um artigo ao estilo copycat.

Os artigos criados através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações cômicas são artigos criados por usuários que talvez não entendem muito de algum assunto, mas têm vontade de fazer artigo sobre o tal assunto, não se sabe o porquê. Às vezes para pagar promessa, outras apenas para ter bastante artigo em sua lista de criações ou, na minoria das vezes, porque o usuário quer mostrar que entende de assuntos incógnitos. Através dessa técnica, o usuário pode criar uns cem artigos por dia, serião!

Por que criar?[editar]

Estes artigos criados sobre um texto da Wikipédia com leves adaptações são fáceis de criar e levam pouco tempo. É possível criar uma caralhada de artigos neste estilo, em poucos minutos. Artigos sobre assuntos desconhecidos ou desinteressantes podem ser importados para a Desciclopédia com facilidade, fazendo com que nosso acervo tenha artigos incomuns. Para aqueles dias que estamos sem vontade, sem interesse ou mesmo sem graça, mas queremos colaborar com o site de alguma forma, nada melhor que visitar a Wikipédia em busca de inspiração, dar um CTRL+C nessa inspiração e publicar na Desciclopédia, com algumas adaptações, é claro. A linha que separa um artigo criado através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações de uma vandalização copiadora é tênue, é preciso saber modificar o artigo até que deixe de ser um vandalismo e se torne um artigo de valor.

Como criar[editar]

Para criar um artigo desse tipo, é suficiente ir na Wikipédia, achar artigo de algo que ainda não tem representante na Desciclopédia, copiar o texto, despejar no site, mas não sem antes alterar algumas palavras, adicionando humor já que humor é relativo mesmo, será nossa visão de humor no artigo. Algumas palavras engraçadas que podem ser adicionadas ao texto verídico são as famosas "bunda", que deixa tudo mais engraçado, "peido", que também traz uma comicidade elegante, "buceta", que é uma palavra engraçada por si só e que adiciona um humor deliciosamente vulgar ao artigo, "piroca", que dá um tom de comédia suja tupi-guarani ao artigo, entre outras palavras comuns de nosso vocabulário. Mas claro, há de se saber onde inserir as palavras pois não pode ser em qualquer frase; tem que haver aquele punch line, aquela palavra inesperada que traz o humor, por exemplo, Cquote1.png Cadillac é uma marca americana de bundas Cquote2.png, algo totalmente inesperado que pode causar uma diversidade de reações no leitor, desde Cquote1.png que porra é essa? Cquote2.png até Cquote1.png será que eu caí na Dark Web e não sei? Cquote2.png, mas que certamente não passará batido. Para não deixar feio, basta adicionar umas imagens aleatórias, encontradas em outros artigos só pra não se dar o trabalho de carregar outras imagens, e também ninguém vai dar bola mesmo.

Variações[editar]

Existem casos em que o artigo da Wikipédia possui apenas uma mísera linha, ou as vezes nem isso, se o assunto for muito obscuro ou considerado não-notável, não gerando a possibilidade de uma cópia em carbono com leves alterações. Para contornar esta situação, os usuários que querem desesperadamente criar o artigo, criaram uma variação da técnica para continuarem a defecar pelos dedos, que consiste em usar como base um artigo de uma outra wiki de um assunto específico qualquer criada nas coxas e administrada por sabe-se lá quem, na qual a gramática é precária e provocaria sete AVC's no Pasquale, e a maioria das informações não fazem sentido algum.

Em outros casos, quando o assunto a ser tratado é restrito verdadeiramente de verdade, e não existe nenhum artigo sobre ele em português em lugar algum, os usuários podem apelar e usar a sua técnica máxima secreta, que consiste em usar o Google Tradutor com suas traduções irrepreensíveis e sem nenhum erro de concordância para copiar um artigo da Wikipédia anglófona. Aí a graça do artigo não fica nem pela piada, e sim pelas frases que parecem ter sido escritas por um retardado mental que está escrevendo alguma coisa apenas porque seu psicólogo da terapia ocupacional sugeriu a atividade. Segue um exemplo prático:

Cquote1.png Panat is a small slaver hideout north of Pelagiad Cquote2.png
Versão original
Cquote1.png Panat é um pequeno esconderijo escravidão ao norte de Pelagiad Cquote2.png
Cópia que nem teve as leves alterações cômicas

Exemplo[editar]

Pegando um assunto sobre o qual o autor do presente artigo não manja coisa alguma e usando a substituição de palavras ou sentenças, criar-se-á um artigo novo para a Desciclopédia. Então, vejamos, um artigo sobre o álbum Take Me Home, da banda One Direction, que, por incrível que pareça, não há artigo próprio na Desciclopédia, apesar das inúmeras fãs retardadas desse grupelho pelo Brasil. Para exemplificar, a utilização dos quatro primeiros parágrafos do artigo da Wikipédia é suficiente. As alterações realizadas serão coloridas em roxo negritado, para a visualização facilitada. O artigo original encontra-se neste endereço.

O artigo, pronto[editar]

Uma legenda qualquer.

Take Me Home é o segundo álbum de estúdio da boy band gayzona britânica-irlandesa One Direction, banda que mais agrega fãs retardadas no mundo, lançado entre os dias 9 e 13 de novembro de 2012 através da editora discográfica Syco Music, mesmo dia que sua mãe deu pra cinco numa suruba. Como um acompanhamento ao sucesso internacional Up All Night, Take Me Home começou a ser concebido em maio de 2012, pouco após o encerramento da etapa inglesa da digressão Up All Night Tour. As sessões de gravação para o disco ocorreram em sua maior parte em estúdios na Suécia e na Califórnia, terminando somente em agosto. Neste projeto, o grupo contou com o apoio de diversos compositores e produtores, entre eles Latino e Jean Wyllys, responsáveis pelos hits "What Makes You Beautiful" e "One Thing", e teve maior participação e controle em sua escrita e produção.

Em termos musicias (estava escrito errado assim mesmo na Wikipédia), Take Me Home é um álbum pop influenciado por diversos gêneros, como o emocore, dance pop e o estilo do Erasure. Considerado pelos integrantes do grupo como o seu trabalho mais pessoal e muito melhor que o seu lançamento anterior (como se fosse difícil fazer algo melhor que uma bosta bem cagada), possui um trabalho mais elaborado de riffs de guitarra elétrica, sintetizadores e vocais harmoniosos, apresentados individualmente ao longo do disco, com certeza arranjados pela banda Restart. Liricamente, as faixas remetem ao amor, ao comprometimento, a paixões não correspondidas, à saudade de experiências vivenciadas pela banda e a vidagem explícita. Take Me Home foi elogiado pela crítica pelo seu lirismo e pela qualidade de sua produção, mas, ainda assim, obteve análises divergentes de alguns especialistas, que hesitaram em considerá-lo mais maduro que Up All Night.

Comercialmente, o disco obteve êxito global. Estreou na primeira posição das tabelas musicais de 37 países, como a Austrália, a Argentina, o Canadá, a Indonésia, o México e a Nova Zelândia, e vendeu mais de um milhão de cópias em sua primeira semana em todo o mundo pois logo diz o vidente que este mundo está perto do fim mesmo. No Reino Unido, tornou-se o primeiro do grupo a culminar na lista oficial dos mais vendidos e foi o mais comprado em apenas um mês na nação. Nos Estados Unidos, assim como Up All Night, debutou no topo, com vendas iniciais de 540 mil réplicas, convertendo o One Direction na primeira boy band a colocar dois álbuns na liderança da Billboard 200 em um mesmo ano, vencendo até o Slipknot. O grupo terminou 2012 com dois discos dentre os cinco mais vendidos nos Estados Unidos — Take Me Home ficou na quinta posição e Up All Night na terceira —, ambos com mais de um milhão de unidades, tornando-se o primeiro artista a conseguir dois trabalhos no top cinco da lista de fim de ano da Billboard e o primeiro a atingir tal marca com dois álbuns em um período de doze meses. Mundialmente, foi o quarto mais comprado de 2012, com 4,4 milhões de exemplares comercializados em dois meses e, atualmente, registra mais de 5,3 milhões de cópias distribuídas. Com isso, percebemos que o número de imbecis no mundo aumentou muito.

De Take Me Home, surgiram três singles. O primeiro, "Live While We're Young", foi liberado em setembro de 2012 e obteve êxito internacional, listando-se dentre os dez mais vendidos em quase todos os países em que foi lançado. Atingiu a terceira posição das tabelas musicais Billboard Hot 100 e UK Singles Chart, tendo a melhor semana de vendas por um artista não-americano nos Estados Unidos depois do sucesso internacional da Sandy. O segundo, "Little Things", foi lançado em novembro e tornou-se o segundo número um alcançado pela banda no Reino Unido. A nível internacional, obteve um desempenho favorável. "Kiss You", a sua última canção de trabalho, debutou em nono lugar em solo inglês e obteve um desempenho moderado pelo mundo. Dando continuidade à promoção do material, o quinteto apresentou as canções em diversos programas de televisão e embarcou na sua segunda digressão musical, a Take Me Home Tour (2013), que contou com 129 shows e passou pela Europa, América do Norte, Oceania, Ásia e Casa da Mãe Joana.

Ver também[editar]

v d e h
Vândalos, vandalismo e vandalização
Artigo vandalizado - Artigos criados através de um texto da Wikipédia trazido para a Desciclopédia com leves alterações cômicas - Vandalismo - Vandalização abstrata - Vandalização albanesa - Vandalização anti-vandalização - Vandalização apaixonada - Vandalização branqueadora - Vandalização branqueadora acidental - Vandalização atualidades - Vandalização canadense - Vandalização citadina - Vandalização copiadora - Vandalização "Desista de uma vez!" - Vandalização francesa - Vandalização futebolística - Vandalização teste ou por <nowiki> - Vandalização geral - Vandalização gramsciana - Vandalização grega - Vandalização Imagem Exemplo - Vandalização inversa - Vandalização Justificativa - Vandalização de melhorias - Vandalização predefinitória - Vandalização privada - Vandalização rosa - Vandalização russa - Vandalização tcheca - Vândalos da madrugada - Wikipédia Chuck-Norris -Chute-.gif