Ananke

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Se procura a mãe de moiras ou algo que fale sobre mitologia, tente Ananke (mitologia)


Ananke, a pedra bizarra que flutua ao redor de Júpiter.

Cquote1.png Ah! É um termo inca! Cquote2.png
Especialista sobre Ananke
Cquote1.png Não! É uma mulher da mitologia! Cquote2.png
Outro especialista sobre Ananke
Cquote1.png É um planeta, seus idiotas! Cquote2.png
Astrônomo sobre Ananke
Cquote1.png Moral da história: seja astrônomo para saber o nome de ugares ou objetos aparentemente idiotas como Ananke Cquote2.png
Eu sobre a moral da história

Ananke é um dos satélites de Júpiter que é considerado nuclear, pois contém bombas atômicas e quer ajudar o mundo destruindo as luas de Júpiter. Porém, Ananke não está com a faca e o queijo na mão: existem outras luas de Júpiter que tem também bombas nucleares como Ananke... Enfim, não se sabe como Ananke e os outros satélites conseguiram bombas nucleares, mas se sabe que o satélite é minúsculo, medindo a distância que dá de Humaitá até Erval Seco.

Cquote1.png Ótima maneira de não dizer o tamanho dele! Cquote2.png
Astrônomo sobre esconder o tamanho das luas

Etimologia[editar]

Ananke seria a mãe das moiras, aquelas velhas que ficavam segurando o fio da vida dos humanos e elas eram encarregadas de dar um cabo na vida deles, cortando o fio. Mas dizem, que Ananke era uma mulher de muita honra e que ficava o dia todo mofando em seu trono, observando as moiras fazerem o trabalho delas e os deuses ficarem transando e brigando entre si.

Ananke é a personificação do destino, e por isso ela é inalterável... Enfim, tudo que eu disse aqui sobre Ananke não se aplica ao satélite que é uma rocha disforme que flutua ao redor de Júpiter. Bem, é uma das poucas luas que é laranja... Mentira, os astrônomos nunca tiveram a vontade de fotografar o maldito satélite e até hoje é visto como um ponto branco idiota.

Descoberta[editar]

Os nerds responsáveis pela descoberta estavam no meio de mais uma noite entediante em um observatório do Hawaii, geralmente o único lugar onde ocorrem coisas "interessantes" como o descobrimento dessas pedras inúteis.

Então, durante mais uma partidinha de truco, um dos nerds acabava de perder um pacote de camisinhas. Mesmo sabendo que nunca iria usar uma camisinha, acabou batendo muito forte no telescópio que foi girado para um lugar aleatório. E assim, os alunos usaram o mesmo método que Charles Messier usou para fazer todo o Catálogo Messier: apontar para um lugar aleatório do mapa e dizer que aquilo era uma nebulosa ou um satélite natural... Ou então só o que vier à cabeça.

Assim, olharam para o telescópio e acharam Ananke: uma bolinha cinza ou laranja que ficava girando ao redor de Júpiter. Foram falar com a comissão astronômica que naquele dia estava de saco cheio e deixaram eles darem o nome da lua. O nome seria Ananke.

Atualmente[editar]

E como vou saber? Fica a milhares de centenas de quilometros daqui!

Ver também[editar]