Amanojaku

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Amanojaku é um youkai cruel, sombrio, assassino, comedor de criancinhas... Enfim, é um cara bem legal. É famoso na mitologia japonesa por fazer dancinhas após matar, torturar e empalar (nessa ordem) as famílias japonesas. Atualmente esta criatura bondosa habita na Ilha da Rainha da Morte, sob o pseudônimo de Cavaleiro do Diabo.

História[editar]

Amanojaku durante sua passagem pela Ilha da Rainha da Morte, brincando de esconder a alma.

Em mais de 1000 anos de mito, apenas 2 pesquisadores japas já tiveram coragem de investigar a história deste cabra da peste. Porém, Amanojaku é um cara discreto, que não gosta que se intrometam em sua vida particular, e fez questão de empalar, dissecar e jogar os restos dos pesquisadores no refrigerador. Em outras palavras, temos porra nenhuma de informação concreta sobre ele. A única certeza é que ele nasceu em algum lugar entre o inferno e o Acre, se bem que estes dois lugares são praticamente a mesma coisa.

De acordo com os boatos que caíram da vózinha do Seu Madruga, quando ainda estava vivo, Amanojaku era um assassino frio e cruel, que possuía o saudável hábito de esfaquear adolescentes pela manhã para alongar os músculos. Atendia pelo nome de Jason Voorhees, ou Jajá para os íntimos. Todas as pessoas que espalharam, ou pelo menos pensaram nesta informação foram, "coincidentemente", esfaqueadas e jogadas de um penhasco.

Amanojaku ficou tocando o terror com sua Gibson Les Paul por muitos anos, até que foi neutralizado pela "Aliança da Justiça", formada pelos defensores das terras nipônicas Ultraman e National Kid. Porém, como vaso ruim não quebra, Amanojaku renasceu em Netherrealm como um youkai, e demorou apenas poucos anos para ele encontrar a saída, ou melhor, construir uma saída, empilhando os ossos de suas vítimas montando assim uma escada para o mundo superior.

Tocando o Terror - Acústico Parte 2[editar]

Agora como um ser das trevas totalmente renovado, armado e preparado, Amanojaku realizou seu retorno triunfal em uma noite chuvosa de segunda-feira, aproveitando que os japoneses estavam enfraquecidos após um dia ridiculamente monótono e estressante. Para alongar os músculos, esfaqueou, empalou, enforcou com fios de telefone e eletrificou com cabos de energia alguns japas que moravam sozinhos nos subúrbios de Osaka. Depois, foi fazer a festa nos centros das grandes metrópoles, aproveitando que os herois nacionais estavam desaparecidos, graças a crise das principais editoras do país.

Porém, em toda história mitológica existe um heroi que aparece do nada, possui poderes ridiculamente anormais e arrisca a vida para salvar um monte de gente inútil que nunca viu na vida. E na mitologia de Amanojaku não foi diferente. Em uma bela noite de lua sangrenta, enquanto realizava seus assassinatos de rotina, Amanojaku foi confrontado por um japa desconhecido de quimono e faixa na cabeça. Amanojaku pediu para ele um lámen, mas o japa apenas lhe entregou um pilão giratório que fez o demônio comer areia. Após uma luta no estilo oriental, cheia de gritos e golpes de karatê, o japa conseguiu sagrar-se vitorioso, e prendeu Amanojaku em um jarro de porcelana super fashion que encontrara jogado no lixão. Nesta jarra, o protagonista deste artigo ficou por longos anos, onde caiu no ostracismo.

A Volta dos que não Foram[editar]

Apesar de ter se acostumado com a jarra de porcelana, Amanojaku não poderia ficar preso lá pra sempre, afinal ele possui o espírito de Jason Voorhees, ou seja, não importa o quanto apanhe ou seja considerado morto, ele sempre voltará para puxar os pés de novas vítimas. Então, em uma noite em que os cães ladravam as 3 da madrugada, uma guria retardada criada a leite com pera e ovomaltine que nasceu dentro de um melão abriu o jarro, pensando que iria encontrar balas, pirulitos ou camisinhas lá dentro.

Obviamente, isso acabou dando merda, uma merda tão grande que já está até fedendo este artigo. Logo após o jarro ser aberto, Amanojaku libertou-se, e fez a sua volta triunfal, soltando sua gargalhada diabólica e agradecendo o garotinho por tê-lo libertado de sua prisão, devorando-o e usando os seus ossos para palitar os dentes. Logo após, também torturou, matou e devorou os pais, os irmãos e o cachorro do garotinho, afinal, o demônio não gosta de serviço pela metade.

Após esse feito, Amanojaku, satisfeito com a refeição, saiu para comemorar, matando todo mundo que ele encontrava pela frente e fazendo umas dancinhas estranhas que ensaiara durante seu confinamento no jarro. Porém, assim como das outra vez, apareceu um japa de nome misterioso para confrontá-lo, e assim como da outra vez, Amanojaku, mesmo com seus instintos psicopatas e peixeiras de açougueiro afiadas, levou uma surra e foi parar novamente dentro do jarro. Bom, mas assim como todo vilão, Amanojaku prometeu voltar no próximo filme conto, coisa que ninguém duvida.