Alto Svaneti

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome-searchtool blue.png Alto Svaneti é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Quando o fim do mundo chegar, esta cidade não vai ser destruída.

Sciences de la terre.svg.png
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Cquote1.png Você quis dizer: Suzanete Alta Cquote2.png
Google sobre Alto Svaneti
Cquote1.png Experimente também: Uma aldeia Cquote2.png
Sugestão do Google para Alto Svaneti
Cquote1.png Não passa de uma aldeia... Cquote2.png
Você sobre Alto Svaneti.
Cquote1.png Mas é uma aldeia no século XXI! Cquote2.png
Professor de História tentando te convencer da maravilha que é o local.
Cquote1.png Pior ainda. Cquote2.png
Eu sobre comentários acima.

Alto Svaneti é um local na região no noroeste da Geórgia, em que um mitológico povo bárbaro morava, uns tais de svans, um povo bárbaro daqueles que usavam trancinhas e idolatravam Odin, esse povo acabou parando na região após se perder no caminho marítimo para Roma que na época era o paraíso dos bárbaros, pela grande quantidade de área apropriada para saques.

Localização[editar]

A cidade em seu esplendor, que merda...

O local, a cidade, ou melhor, a aldeia, está realmente perdida no você sabe o que da Geórgia. Essa cidadezinha da Geórgia fica próxima da grande Rússia o país que ainda sustenta a Geórgia das formas econômicas e ideológica, já que todos os livvros jogados fora pelos políticos russos são jogados fora e aproveitados por lá, daí o estilo político estranho do país.

Como todo bom local do Cáucaso a região acaba sendo a parte mais atrasada da Europa, que nessas horas é parte integrante da extremamente armada Ásia, ou talvez de alguma outra região atrasada como África ou a Região Sul do Brasil. A partir disso já se deduz o nível econômico do local que sempre sobreviveu de saques que desde o século X entraram em extinção, agora só entra comida lá quando o caminhão da Sadia tomba e os esfomeados habitantes dão "uma limpa" no local, algo similar aos arrastões do Rio de Janeiro.

Cidade[editar]

Habitante natural de lá.

O local é habitado pelos svans desde antes do momento em que o pessoal passou a contar o tempo, ou seja, faz bastante tempo, se quiser precisão rapte alguém de lá e aplique um teste de Carbono-14 ou qualquer outra coisa igualmente estranha. Esse povo é uma subdivisão étnica dos georgianos o que não muda a situação econômica ou tecnológica, o que explica o fato deles estarem morando numa espécie de aldeia pré-medieval.

O local foi considerado patrimônio da humanidade graças a essas casinhas velhas que mais parecem a sua casa, caindo aos pedaços e com mais fungos do que parede, já que a erosão pluvial foi cruel nesses trocentos anos. O que impressiona é a quantidade de casas nessa situação, o que é facilmente explicado pelo fato de não haver lojas de material de construção para vender materiais para uma reforma.

Ver também[editar]