Abraço Boliviano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Evo.jpg

Este artigo vem da Bolívia e tem altas doses de coca!

Como todo bom artigo boliviano, ele fala sobre como o Imperialismo Norte-Americano deve ser combatido.


Cquote1.png Combraram el Acre por uno caballo! Cquote2.png
Grito de guerra de um abraçador boliviano
Cquote1.png É... mas vamos sediar a copa em 2014 Cquote2.png
Vítima, tentando se consolar
Cquote1.png Santo abraço, Batman... Cquote2.png
Robin sobre Abraço Boliviano

Mais uma vítima do Abraço Boliviano sem chance de escapar

O Abraço Boliviano ou golpe seu vagem da lhama nacionalista é mais uma arte marcial inca cultivada nos altiplanos da Bolívia, o segundo maior golpe já sofrido pela petrobrás depois do petrolão.

O abraço boliviano foi desenvolvido pelo rei inca Rhoubatza Lhama Gás Petropaca Moralestaca Putaquelopariuóóó no século XVI contra os conquistadores espanhóis liderados por Pizarro para a defesa do Império Inca. Causou grande mortandade entre os espanhóis e humilhação do rei Filipe II diante de toda Europa.

Efeitos mais comuns do Abraço Boliviano são as dores nas nádegas e na honra nacional

O Grande talento do Abraço Boliviano é que a vítima aparentemente não entende que está sendo atacada, e sorri sem graça.

Funcionamento do Abraço Boliviano[editar]

1. A preparação para o abraço é fundamental. Assim como as lendárias Puxada de Tapete, Beijo de Judas e Punhalada nas costas, fingir amizade é fundamental. De preferência simular origens populares comuns.

2. Após esta preparação, cabe ao aplicador do golpe anunciar as intenções. Se o aplicador for bem sucedido no primeiro passo, a vítima nunca levará a sério e ficará mais despreparada para a ação.

3. Logo em seguida, pegue a vítima desprevenida e nacionalize todas as companhias de petróleo da vítima.

4. Sem chance de respirar, mas ainda assim fingindo amizade, aplique o abraço boliviano e humilhe diante da comunidade internacional.

5. A vítima não terá ação, e não vai querer admitir que sofreu um abraço boliviano. Completamente imobilizada, ou melhor, imobolivializada, a vítima cederá o que for, inclusive assinando contratos de compra de gás desfavoráveis a seu próprio país e eleitores.

6. Neste momento o atacante opta por ainda relaxar e soltar a vítima, ou continuar exigindo mais ainda, como o confisco de terras e expulsão de siderúrgicas.

7. Vítimas masoquistas do abraço boliviano ainda podem anunciar 40 milhões de dólares de investimento como exigência para sofrerem outro Abraço Boliviano.