A Hora do Pesadelo (série)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Você diria não para este homem?

A Hora do Pesadelo é uma franquia de terror slasher composta por sete filmes canônicos, um spin-off meio zoado que só presta pra fanservice e um remake podraço que faz Wes Craven ter espasmos em seu túmulo até hoje. Também fazem parte da série um documentário de quatro fodendo horas que ninguém nunca teve saco pra ver e vários quadrinhos caça-níqueis que não agregam valor algum, na verdade é o contrário, só excrementam a trajetória de Freddy, já que neles ele só apanha.

A trama de todas as mídias que carregam o nome de "A Hora do Pesadelo" é sempre a mesma, não mudando nem nos spin-offs: Freddy Krueger, um pedófilo flamenguista ressuscitado por Shinnok fica torturando, perseguindo, matando e torturando novamente (nesta ordem) adolescentes degenerados, e não pode ser parado por ninguém, a não ser por doses cavalares de cafeína. A única fraqueza de Krueger são garotas loiras que acabaram de sair da puberdade, ele nunca consegue matá-las e pra piorar, ainda acaba sempre sendo solado por elas, algumas vezes tomando um pau em seu próprio território, o Mundo dos Sonhos.

Personagens[editar]

Freddy Krueger

Freddy é conhecido como o terror das novinhas.

O protagonista da série, Freddy é um demônio pedófilo com a cara queimada que usa uma luva com garras de adamantium, que já foi morto algumas centenas de milhares de vezes, mas continua vivo, ou algo próximo disso, pois assassinos de filmes slasher são imortais, ao menos enquanto derem lucro para as produtoras e puderem ser inseridos em várias mídias. A diferença de Krueger para os seus principais concorrentes dos anos 80 na arte de matar e empalar adolescentes é o seu carisma. Diferente de Jason Voorhees, Leatherface e Michael Myers, que falam porra nenhuma o filme inteiro e conversam usando seus facões, Krueger faz questão de zoar as suas vítimas antes de foder com elas, fisicamente e psicologicamente. Ele é quase como um tiozão engraçadão, fazendo piadas ruins nas piores horas possíveis, ao menos até ser humilhado e derrotado por alguma protagonista loira.

Krueger é o fruto de um gangbang violento entre uma freira e cem maníacos, sua concepção já foi uma merda. A mãe de Freddy conseguiu bater o recorde de Rowena na concepção de Crowley, este que também viraria demônio. Parece que o destino dos frutos de orgias generalizadas é fazer parte do quadro de funcionários do inferno após a morte. Pra melhorar o que já era uma bosta, Krueger foi adotado por um velho bêbado e tetudo que fazia o moleque de sparring toda madrugada pois ficava puto quando chegava em casa e não tinha nada pra comer, até porque ele nunca trabalhou e Krueger ainda tinha oito anos. Na escola, apanhava dos valentões e era zoado por ter sido gerado em uma orgia com malucos, e por isso virou emo, cortando-se com um canivete suíço, este que mais tarde serviria para matar seu pai adotivo e pegar a herança.

Freddy após levar um animality em Mortal Kombat 9.

Após alguns anos, Krueger virou um pai de família, com esposa, filha e um brutamontes barbudo como amante. Mas ele ainda era um maníaco, e como tal, sequestrava crianças e as levava para um quarto secreto no porão, onde oferecia o sangue delas em rituais que, como diria o Guardião Universal, são chamados de satânicos. A esposa de Krueger descobriu o fetiche com crianças de seu marido após algum tempo, e o botou pra dormir no sofá, mas como não queria pegar uma dor na lombar, Krueger a estrangulou e escondeu o corpo no refrigerador. Sua filha viu isso ao vivo, e jurou que algum dia vingaria a destruição de seu clã, o que conseguiria mesmo.

Ao descobrir os costumes peculiares de Krueger, o pessoal de Springwood não ficou muito feliz, e decretou a morte do maluco. Não podendo bater de frente com aquela turba que tava vindo pra cima, Krueger fugiu até onde deu, e no fim se escondeu em um galpão velho, este que foi incendiado pela galera, fazendo com que nosso protagonista virasse uma churrasqueira a controle remoto ambulante. Mas antes de morrer definitivamente, Krueger conseguiu fazer um pentagrama com seu sangue para invocar o Shinnok, que ofereceu para ele um cargo como demônio dos sonhos, concedendo a ele os poderes de fazer seus sonhos virarem realidade, ao vender Hinode. Não tendo mais nada a perder mesmo, Krueger aceita, e vira o doido varrido imortal e sarcástico que é hoje.

Nancy Thompson

Após muita perseguição, o romântico Freddy finalmente se declara para Nancy.

A primeira garota a conseguir derrotar e atrasar Krueger por alguns anos, pois matar o bicho é algo próximo do impossível mesmo. A princípio, era apenas uma mina comum dos anos oitenta, com sua calça colorida na altura do umbigo, sua camisola tamanho GG de bolinhas que parece um abadá e seu penteado estranho meio armado. Sua panelinha era composta por um trio de clichês vivos feitos apenas pra fazer figuração e ajudar Freddy a alongar os músculos antes de partir pro prato principal. Um deles era seu namorado prestativo e metido a valentão, Johnny Depp. A outra era sua melhor amiga, uma loirinha gostosa e burra que morre de maneira imbecil. E o último era um retardado cético namorado da loirinha, que morre sem nem entender o que caralhos tava acontecendo ali.

Nancy tinha tudo para ser uma líder de torcida comum, isso se não morasse em Springwood, e pior ainda, fosse filha do casal que fez parte dos vingadores que botaram fogo em Krueger no passado. Por isso, Nancy e seus amigos, que também possuíam esta descendência, passam a ser perseguidos pelo assassino demoníaco, e vão virando purê um por um, até o momento em que sobra apenas Nancy mesmo, que tem que ser virar pra dar cabo do maluco sozinha, o que consegue mesmo com a ajuda do protagonismo concedido pelo diretor.

No terceiro filme, Nancy volta do limbo do ostracismo para ajudar Kristen Parker a lidar com Freddy, que tava de volta, firme, forte e de pau duro, doido para voltar a praticar seu esporte favorito, estripamento de adolescentes degenerados. Mas como um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, dessa vez Nancy não conseguiu tapear Freddy, na verdade ela que foi tapeada, caindo no truque mais velho do mundo, o do "parente morto que aparece vivo do nada e pede desculpas", assim morrendo empalada pelas garras do vilão.

Jesse Walsh

Jesse dando a luz a Freddy.

Para dar uma quebrada no clichezão de final girl, que ninguém aguentava mais pois era usado e abusado em tudo que é filme de terror slasher, o diretor Jack Sholder inovou, fazendo com que o protagonista de A Hora do Pesadelo: A Vingança de Freddy, o segundo filme da franquia, fosse um homem, ao menos biologicamente falando, pois na real, Jesse se parece mais com uma mulher do que Nancy.

Enfim, Jesse é um cara loiro com senso de moda pouco apurado, mas que pelo menos não usa os mullets que estavam em alta em sua época. Ele é um cara normal, que namora com uma loirinha com a cara meio bugada, estuda em uma universidade aleatória e fuma folha de bananeira com os hippies que protestam contra as guerras com o pau peludo pra fora enquanto cantam "Imagine" do John Lennon. Ele poderia viver normalmente, mas cometeu um erro, que foi se mudar justamente para a casa que era de Nancy no primeiro filme. Assim ele passou a ser o alvo de Freddy, que estava fraco depois de ser humilhado por uma adolescente, e precisava de um sock puppet, uma marionete de carne para matar umas crianças em seu nome e lhe dar forças novamente, pois as suas baterias só se recarregam quando alguém sente medo dele, e ninguém nem se lembrava de sua existência, ele estava no limbo do ostracismo fazendo companhia ao Haley Joel Osment.

Kristen Parker

Aparecendo em A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos, Kristen é a segunda protagonista loirinha destinada a derrotar Freddy, vindo depois de Jesse. Kristen é a responsável por inaugurar a categoria de "protagonistas com poderes de X-Men", já que humanos normais não podem bater de frente com o imortal Freddy, o jeito foi apelar para os mutantes, para ver se eles dão cabo do maluco. A estratégia deu certo, ambas as três aberrações que bateram de frente com Freddy conseguiram botá-lo no cantinho da disciplina praticamente sozinhas, e olha que seus poderes nem são grande coisa, elas apenas conseguem botar qualquer um que esteja próximo dentro de seus próprios sonhos (que merda, hein?). Em qualquer lugar esta habilidade seria inútil, mas aqui com um pouco de estratégia, dá até pra enfrentar o vilão e ter alguma chance de não morrer.

Mais uma fantástica batalha travada entre Kristen e Freddy.

Assim como a maioria dos protagonistas, com exceção de Maggie que era doida de berço, Kristen era apenas uma pessoa normal, uma garota comum que fazia compras com as amigas, era apaixonada secretamente pelo maromba do time de futebol americano da escola, brigava com o pai porque ele não liberava os cartões de crédito e participava de orgias satânicas com sete pretos no banheiro do colégio, ela era apenas uma menina americana padrão. O único detalhe que faria toda a diferença é que os seus pais fizeram parte da iniciativa Vingadores que queimou Freddy uns anos atrás, fazendo assim com que Kristen entrasse para a lista negra do vilão.

Apesar de no mundo real ser um peso morto que sabe fazer nada de bom, nem calcular a raiz quadrada de coisa nenhuma, Kristen descobriu que no Mundo dos Sonhos ela ganha poderes especiais que podem ser upados de lvl. de acordo com seu uso, no caso habilidades de balé que ajudariam a se esquivar dos ataques viciosos de Freddy. Assim como o poder de botar outras pessoas dentro do próprio sonho, Kristen passa esse poder para Alice no 4° filme, antes de virar carvão.

Alice Johnson

Ao ver que Alice era dura na queda, Freddy apela pro seu secretão, o Justu Clones das Sombras, mas nem assim consegue vencer a Mestra dos Sonhos.

Mais uma protagonista loirinha a humilhar Freddy, e em dobro ainda, derrotando ele em dois filmes e ainda sobrevivendo para se gabar futuramente para seus netos. Fã de RPG de mesa, Alice faz questão de ser chamada no mundo real pelo seu apelido, de "Alice, Mestra dos Sonhos, líder dos Guerreiros dos Sonhos". Ela é a única descendente dos caras que queimaram Freddy que o vilão não consegue matar nem fodendo, e não foi por falta de tentativas. Por não conseguir matá-la, o vilão desistiu e foi atrás de um cara menos casca dura, no caso Jason Voorhees.

A princípio, Alice era mais uma adolescente teoricamente normal que vivia sonhando acordada, fantasiando eroticamente com o quarterback do time de futebol americano da escola, Dan Jordan. Tudo ia muito bem pra ela, obrigado, até o dia em que deu o puta azar de cruzar com Kristen Parker, e pra piorar virou a BFF dela ainda, que era o prato principal de Freddy Krueger. Para livrar-se do maluco que não saia de sua cola desde que era criança, Kristen passa a maldição dos poderes de controle de sonhos para Alice, e logo em seguida é morta por Freddy, que agora já tinha uma nova mina adolescente para brincar de pega-pega.

No fim, com os poderes devidamente calibrados e upados no lvl. 99, Alice desperta seus poderes ocultos, vira a nova Mestra dos Sonhos e dá um pau em Freddy, não uma, mas duas vezes, fazendo o vilão fugir com o rabo entre as patas, pois apesar de ser imortal, ele não era a prova de humilhações. No final do 5° filme, ela pare um filho de Freddy Dan, Jacob Johnson, que por alguma razão leva o sobrenome da mãe e não do pai... Vai ver porque botar Jacob Krueger no moleque ia pegar mal...

Maggie Burroughs, a srta. Krueger

Cquote1.png Do you like it... Daddy? Cquote2.png
Maggie, ou Katherine, sei lá

Aparecendo em A Hora do Pesadelo 6: Pesadelo Final - A Morte de Freddy, Maggie é a última protagonista canônica. Nascida com o nome de Katherine Krueger, é a filha única e herdeira de Freddy, a pessoa perfeita para fechar com chave de merda o império de terror de seu pai. Assim como as duas últimas protagonistas, Maggie possui um poder especial, no caso um herdado de seu pai, que faz com que ela seja a única pessoa além dele que pode usar a luva com garras de adamantium, a única arma que pode exorcizar os deuses dos sonhos que vivem dentro de Freddy e definitivamente matar ele, ou não.

Sua infância foi uma merda, pois viu ao vivo seu pai maníaco estrangular a sua mãe submissa, num dia que ela resolveu fazer uma greve de sexo. Depois que o velho foi preso, Katherine foi levada pra um orfanato e adotada por uma família random qualquer que faz comercial de pasta de dente. Assim ela cresceu e virou uma moça bonita, moça formosa, moça bem feita não degenerada, apesar das origens. Mas ela ainda era a filha de Freddy, e precisava dar cabo de seu pai de uma vez por todas, então usou seus poderes que estavam adormecidos no ânus para entrar no Mundo dos Sonhos, chamou o vilão num canto e disse pra ele que perdeu a virgindade aos 13 anos com um pastor alemão. Enquanto Freddy estava atordoado, Maggie usou a garra de adamantium pra empalar seu pai tão fundo que até os deuses dos sonhos que moravam dentro dele foram furados e exorcizados. E assim a epopeia de Freddy acaba finalmente, com ele de volta pro inferno para todo o sempre, ou não... com certeza não.

Heather Langenkamp

No filme mais brisado da franquia, O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger, Heather Langenkamp, a atriz que interpretou Nancy no primeiro filme, é a vítima da vez. Ao perceber que ficar perseguindo personagens fictícios é uma perda de tempo, uma porra mesmo, pois eles contam com o protagonismo e são mais imortais do que ele, Freddy decide ir atrás de vítimas de verdade, invadindo o mundo real. Assim, após bugar a matrix do mundo e passar a existir em nossa realidade, a primeira pessoa que ele decide caçar é Heather, pois ela interpretou a primeira pessoa a humilhá-lo, e tinha lugar preferencial na lista de pessoas que deveriam tomar no cu. O foda é que aqui Freddy não quer saber de gracinhas e enfia seu humor negro característico no rabo, agindo mais como um animal e matando suas vítimas sem brincar muito, para não dar chances delas se defenderem.

Cquote1.png Se preocupa não que bicho papão não existe... Zoeira, existe sim e vai matar e estripar você e todo mundo que ama Cquote2.png
Heather

Após matar vários negos aleatórios que ficavam no set de filmagens de seus filmes, que estavam na função de figurantes, Freddy termina de alongar os músculos e vai atrás de Heather, mas descobre que até em filme metalinguístico a mina é semi-imortal, e difícil pra porra de matar. No fim, mesmo levando a sério sua missão de matar os hereges que o faziam passar por humilhações, Freddy apanha mais uma vez e é preso em uma fornalha, daonde não deveria sair nunca mais, mas vai sair assim mesmo pois todo mundo quer explorar a sua imagem pra ganhar uns trocados.

Jason Voorhees

Até no spin-off de seu próprio universo onde ele teoricamente teria vantagem, Freddy apanha.

O protagonista (PROTAGONISTA!?) de Freddy vs. Jason, o spin-off feito pros fanboys que ficavam brigando em fóruns da internet, discutindo sobre quem era mais forte, Jason ou Freddy. Já que não dá pra matar nenhum dos dois por conta de suas imortalidades, nada mais prático do que botar ambos para lutarem para sempre, assim eles ficam eternamente morrendo e revivendo e não enchem mais o saco de ninguém que quer transar ou se drogar. Nessa história os únicos que tomaram no cu foram os adolescentes que acabaram ficando no meio da treta, que morreram das piores maneiras possíveis. Destaque especial pra negra que elogiou o tamanho do pau do Jason e tomou uma machetada logo na sequência, pois o maluco da máscara de hóquei é uma pessoa tímida que não gosta de atrair mais atenção do que o necessário.

No fim, Jason conseguiu superar por muito o KDA de Freddy, pois foi o responsável por incríveis quatorze mortes, enquanto que o demônios dos sonhos matou apenas dois maconheiros, que fase horrível, já pode aposentar. Numa luta direta, Jason também levou a melhor, metendo a porrada em Freddy, decepando sua cabeça e matando-o definitivamente... ou não, apenas isso não passa nem perto do necessário para matar o flamenguista, que já estava preparando o seu retorno.

Nancy Holbrook

Cquote1.png É só um cortinho de nada, só botar um band-aid que melhora... 2 litros de sangue depois a gente recupera de boas Cquote2.png
Nancy

Inspirada na protagonista do primeiro filme Nancy Thompson, Nancy Holbrook é a protagonista do remake que os fãs da franquia tanto amam. Resumidamente falando, ela é o oposto da original, enquanto Thompson era uma garota cheia de vida, com amigos, vida social agitada e otimismo, Holbrook é uma mina fria, solitária e que fala porra nenhuma. A única vantagem pra versão original é que ela é mais gostosa, até por isso Freddy não perdeu tempo e entrou na banheira com ela.

No fim, todo mundo que Nancy ama (só sua mãe e seu namorado) são mortos por Freddy, e a protagonista fica a mercê do vilão, sem saber o que fazer e provavelmente sendo estripada fora de cena, e nem o protagonismo poderia salvá-la agora.

Pesadelos[editar]

A Hora do Pesadelo

Que horror... O Johnny Depp tudo bem, mas Freddy não perdoou nem a televisão.

O filme acompanha a história de Nancy e de sua cavalaria, composta por Johnny Depp e outros dois quaisquer que irão morrer com certeza. Em uma segunda-feira chuvosa bem bosta, a melhor amiga de Nancy pega no sono no sofá e tem o primeiro sonho estranho de muitos que viriam, todos influenciados por Freddy, que achava que estava na hora de voltar pro plano terreno pra conseguir a sua vingança contra os fdps que o queimaram vivo alguns anos atrás, torturando e matando os seus descendentes.

Após ver Freddy estraçalhar violentamente os seus amigos na sua frente através dos sonhos deles, Nancy finalmente entende a situação, e no fim, após preparar várias arapucas pra arrancar Krueger do Mundo dos Sonhos, onde ele era praticamente um deus, a protagonista consegue trazer o vilão pro Mundo Real, onde ele é apenas um bosta feio pra caralho sem poderes que só pode contar com suas garras mesmo. Agora em um x1 justo, Nancy consegue incendiar Krueger pela segunda vez, matando o demônio de uma vez por todas, ou não. Apesar de virar churrasco, aparentemente Krueger consegue fugir pro Mundo dos Sonhos aos 48 do segundo tempo, conseguindo recuperar a sua libido para voltar a vingar-se no próximo filme.

A Hora do Pesadelo 2: A Vingança de Freddy

A habilidade imaginativa de Freddy pra criar bicho escroto do nada continua em alta no segundo filme.

Jesse era apenas um moleque semi-cabaço e sem graça criado a leite com pera, que não teria problemas em se tornar um professor de aula chata em um futuro próximo, mas que viu o seu destino mudar no momento em que mudou-se com seus pais para a antiga casa de Nancy, a mesma onde ela botou Freddy no saco no filme anterior. Apesar de não ter tomado seu Cogumelo do Sol e estar com baixa disposição pras suas atividades diárias de tortura infantil, Freddy faz um esforço para levantar-se de sua cama no limbo e cria o seu conceito de estratégia, no qual ele planeja corromper a mente de Jesse aos poucos para que ele fique influenciável a ponto de virar a sua marionete de carne.

Após dar uma mão para Jesse, que finalmente toma vergonha na cara e mata seu treinador pé no saco, Freddy ganha um pouco de força, e consegue controlar o moleque em vários momentos, através de um ritual de antiga possessão do mal que fez com o auxílio da Bruxa do 71. Mas por ser um protagonista, o mais bosta entre todos da franquia, mas ainda assim um protagonista, Jesse ainda consegue resistir por mais algum tempo ao controle total de Freddy, ao menos até o final do filme quando não aguenta mais e solta a franga, matando um monte de crackudo que tava numa festa de aniversário fumando umas rochas - Se não dava pra matar todos os adolescentes, ao menos Freddy queria fazer a limpa nos drogados e nos que transam, considerados vítimas preferenciais. Mas depois de uma batalha interna, Jesse, com o poder da amizade e do amor, consegue exorcizar Freddy, que abandona o seu corpo... ou não, pois no outro dia Jesse é possuído completamente, mata empalado um motorista de ônibus escolar e desaparece sem deixar vestígios.

A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos

Freddy e os Guerreiros dos Estereótipos Sonhos. A ordem das mortes você nem precisa ver o filme pra saber.

Esqueça Jesse, ele nunca mais vai aparecer na franquia. Agora, a protagonista é Kristen, uma patricinha mimada com o poder de controlar os sonhos. Em um dia como qualquer outro, após mais um pesadelo, precisando de ajuda, Kristen diz pra tua mãe que está sendo perseguida por um maluco psicopata flamenguista serial-killer com a cara queimada e com garras do Wolverine que tortura e mata adolescentes em seus sonhos, fazendo com que eles morram na vida real também. A velha acha que isso não passa de uma fanfic feminista de baixa qualidade, pois nem pra incluir as palavras "depressão" e "gordofobia" prestou, então interna a filha em uma clínica de malucos. Lá na clínica, Kristen encontra uma rapaziada que também aguentou o tranco de ser perseguido por Freddy, fazendo amizade com eles e montando uma panelinha para combater o vilão, que ficaria conhecida como "Guerreiros dos Sonhos", o mesmo nome que usavam no clã de Ragnarok Online.

Agora com um monte de bucha de canhão e contando com o auxílio do seu psiquiatra Neil e da experiente Nancy, a mesma do primeiro filme que agora era funcionária da clínica dos sonhos, Kristen ganha confiança para ir atrás de Freddy e achou mesmo que poderia vencer o vilão em seus demônios, mas leva uma surra de pau mole e vê quase todos os seus amigos morrerem das piores formas possíveis na sua frente, explodidos, queimados, rasgados no meio, fumados por um boladão de maconha... a criatividade de Freddy estava em alta no dia. Ela só se salvou porque Neil seguiu os conselhos que recebeu via Skype de Sam Winchester e queimou os restos de Freddy, dando pra ela alguns anos de vantagem antes de sua morte, que aconteceu no próximo filme. Mas antes de morrer, Kristen passa seus poderes pra próxima protagonista, Alice, para manter a tradição das loiras mutantes.

A Hora do Pesadelo 4: O Mestre dos Sonhos

Aqui o protagonismo é dividido, nos 45 minutos do primeiro tempo, a principal personagem é Kristen, que ainda estava viva a esta altura. Mas após virar carvão na fornalha, e de transferir os seus poderes para a sua sucessora, a protagonista fica sendo Alice, uma loirinha gostosa com autismo que ficava sonhando acordada direto, e que por isso iria se dar bem com a habilidade de manipulação parcial dos sonhos que Kristen lhe passou, ao menos até saber que o preço por isso é ser perseguida eternamente por Freddy Krueger.

Cquote1.png Se preocupa não Alice, quando chegar a hora eu aviso Cquote2.png
Freddy

Apesar de no princípio Alice não saber o que fazer, pois não conseguia fazer nada a não ser assistir de camarote a morte de todos os seus amigos e as exibições de gala do Fredão, que aparentava estar novo em folha e com disposição pra botar em prática as milhares de técnicas que desenvolveu durante sua estadia forçada no limbo, no decorrer do filme a loira vai ficando mais forte, aprendendo aos poucos a dominar a bucha que lhe passaram, digo, os poderes. No fim, com o controle total do poder herdado, e com a ajuda do seu crush Dan ou não porque o inútil fez nada, ela consegue liberar as almas que Freddy tinha absorvido usando a técnica que aprendeu com o Shang Tsung, e que estavam tornando ele tão poderoso. Agora sem almas, Freddy virou uma pilha de excremento, que Alice varreu pra debaixo do portal dos bons sonhos, derrotando assim o vilão, ao menos temporariamente, e virando a Mestra dos Sonhos, título que carrega até hoje.

A Hora do Pesadelo 5: O Maior Horror de Freddy

Todos os filmes da franquia são bem brisados, já que os cenários e criaturas são limitados apenas pela mente doentia e maníaca de Freddy, que é bem criativo na hora de matar, digassi di passagi. Mas este filme aqui supera todos os limites da compreensão humana, pra você ter uma ideia, apesar de teoricamente a protagonista voltar a ser Alice Johnson, o verdadeiro personagem principal é o seu filho Jacob Johnson, que ainda nem nasceu. Sim, um feto é o protagonista do filme, e ele até consegue derrotar Freddy com seu próprio poder sem a ajuda de ninguém, dando um tapa na cara gorda das feministas.

A mãe de Freddy com Jacob, com essa lata aí não me impressiona que Freddy tenha se interessado em adotá-lo.

O enredo do filme gira em torno da disputa pela alma de Jacob, sabendo que o moleque é o herdeiro da Mestra dos Sonhos, e que teria o mesmo poder que sua mãe, na verdade um poder até mais forte, Freddy pensa em adotá-lo e transformá-lo em seu padawan, fazendo dele uma máquina de matar sonífera. Mas Alice, que agora seria uma mãe solteira após a morte matada de seu namorado Dan, não queria ceder a guarda do Enzo Jacob, e passa a enfrentar tanto Freddy quanto os pais do seu ex-mozão para conseguir o direito de criar o moleque em paz, o que consegue no final.

Após ser solado por um feto que nem estava perto de nascer, este que com razão era o "maior horror de Freddy" descrito no título do filme, o vilão fica com tanta vergonha que nunca mais vai atrás nem dele e nem de sua mãe, deixando os dois viverem em paz o resto de seus dias. Por isso ambos desapareceram da franquia após este filme e nunca mais são nem mencionados.

A Hora do Pesadelo 6: Pesadelo Final - A Morte de Freddy

É, agora fodeu pro bonde dos pesadelos.

No último filme canônico da franquia, Freddy encontra um inimigo que pode matá-lo definitivamente, ou não - Sua filha, Katherine Krueger, que agora atendia pelo nome de guerra de Maggie Burroughs por não querer carregar o nome de degenerado que seu pai lhe deu. Apesar de a princípio nem se lembrar direito de suas origens, ao longo do filme Maggie vai ganhando poder, até o momento em que pode peitar de igual pra igual seu pai biológico, matando o velho com sua própria luva com garras pra pegar a herança, Suzane von Richtofen feelings. Esta seria apenas mais uma morte pra botar na conta de Freddy, que no próximo filme ressuscitaria de novo como se nada tivesse acontecido, mas Maggie não fez um serviço porco como os outros protagonistas, fazendo questão de matar também os Demônios dos Sonhos que viviam dentro de Freddy, e que eram sua força vital. Agora sim ele não levantaria mais, ao menos não nesse universo.

O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger

Freddy demonstra o truque que aprendeu com Reptile durante sua passagem por Mortal Kombat.

Não aguentando mais apanhar de moças em seus filmes, Freddy sai do mundo cinematográfico e invade o mundo real, só pra apanhar também das atrizes que interpretam as moçam que o espancam. Nesse filme, Freddy não é mais aquele piadista sem graça com tiradas de tiozão, pelo contrário, agora ele se assemelha mais a um animal maníaco sedento por sangue que fode as pessoas na mesma hora que as encontra, nem dando chance delas falarem alguma coisa.

Freddy passa o filme inteiro indo atrás de Heather Langenkamp, pois foi ela a primeira mina a foder com a sua moral nos filmes, mas no fim, consegue apenas matar uns figurantes e é derrotado pela união da atriz com Wes Craven, este que era imortal por estar protegido pelo diretor, ou seja, por ele mesmo, que criou uma nova definição de chupar o próprio pau.

Freddy vs. Jason

Lições aprendidas em filmes: Nunca deixe um assassino tímido constrangido elogiando o seu pau, isso acelera a sua morte, especialmente se for negra.

Nesse fanservice, os dois imortais que mais morrem no final se enfrentam, pra decidir quem era o mais apto a substituir o Leão do PROERD na missão de meter a porrada e matar tudo que é adolescente maconheiro do mundo. No fim, Freddy mostra que é só hype mesmo, pois só mata dois moleques o filme inteiro, uma vergonha pros assassinos slasher, até protagonistas matam mais do que ele. E pra piorar, mesmo este filme fazendo parte de seu universo, Freddy leva uma surra de pau mole de Jason, que leva sua cabeça pro fundo de Crystal Lake pra alimentar a piranha da sua irmã.

A Hora do Pesadelo (de novo essa merda?)

Englund opina sinceramente sobre o remake.

O remake do primeiro filme é considerado o fundo do poço pelos fãs da franquia, já que não tem nada de bom nessa merda, a não ser a cena da protagonista pelada na banheira. Aqui o enredo é simples, um monte de adolescente aleatório criado apenas pra ser retalhado por Freddy Krueger é jogado no meio de Springwood, e todos eles tem que misturar muita cafeína com LSD pra ficarem ligadões e não dormirem, o que seria a morte nas mãos, ou melhor, nas garras do vilão... mas ninguém dá uma foda pra isso, pois um Fredão que não é interpretado por Robert Englund não tem moral alguma.

No fim, todo mundo é fodido fortemente por Freddy, que tentou compensar a falta de enredo do filme com um monte de morte sangrenta com toques esquizofrênicos. A única que sobrevive é a protagonista Nancy Halbrook, que faz questão de imitar os métodos da Nancy original e botar fogo no corpo do vilão, que não morre, óbvio.

Sonoplastia[editar]

Freddy aproveita o sucesso de A Hora do Pesadelo pra dar uns pegas nas fãs.

O que predomina em qualquer filme da franquia são os gritos de dor e medo, quando os personagens não estão fugindo de Freddy, estão sendo torturados por ele. Por ter o controle quase que total do Mundo dos Sonhos, Freddy até poderia criar uma vitrola ou uma jukebox com a força do pensamento e botar uma música pra animar as torturas de adolescentes, mas ele gosta dos gritos mesmo, acha que eles dão um toque especial as mortes. Em alguns filmes, por se dar muito bem com crianças, Freddy usa as almas torturadas delas para fazer um canto em seu nome, este que pode ser considerado o seu tema.

Recepção[editar]

A série de filmes é considerada "ladeira" pelos críticos de cinema e nerds virgens fãs da franquia, a cada novo filme lançado, o nível foi baixando até chegar no quartinho do inferno que o Freddy dividiu com o Jason. O primeiro filme é deliciosamente bizarro, em uma época em que o realismo nas matanças era o clichê do momento, só ver Leatherface, Michael Myers e Jason, todos mais ou menos normais que atacavam apenas com um facão de caçador, ninguém espera que um vilão faça com que uma cama devore o protagonista de seu filme. O segundo filme, com as suas possessões demoníacas, é inferior ao primeiro, mas ainda assim pode ser considerado bom e inovador. A partir do terceiro a maionese começa a desandar um pouco, com a inserção dos protagonistas mutantes, mas ainda passa. O filme metalinguístico é considerado uma merda, pois ninguém entendeu caralho algum do que aconteceu lá, mas ainda se salva por usar Wes Craven como ator. E por fim, no pior momento da franquia de longe, vem o remake de 2010, que ninguém gostou, nem o próprio diretor, ele só gostou mesmo do quanto faturou, pois todo mundo tava ansioso para ver um novo filme da franquia depois de sete anos.

Apesar de estar em baixa com as últimas "maravilhas" que fizeram, Freddy ainda é popular no universo do terror, por ser um vilão feio pra caralho chegado nas putarias com um humor negro quase que único entre os assassinos slasher. Usar a sua mitologia é uma boa maneira de fazer uns trocados, mas como os nerds pediram pelo amor de Deus pra não fazerem mais filmes cagados, Freddy é usado principalmente em quadrinhos e video-games, fazendo aparições, por exemplo, em Mortal Kombat e em paródias pornográficas.


v d e h
One, two, Freddy's coming for you...
Freddy krueger.jpg